conecte-se conosco

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Multa bilionária e insatisfação deixam Aprosoja-MT em risco; Ex-presidentes notificam diretoria

Publicado

O Momento Agrícola deste final de semana trouxe à baila um assunto nada ‘palatável’ para a classe produtora de Mato Grosso. Uma das principais entidades representativas de produtores de soja e milho do mundo está sob risco.

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) responde ação movida pelo Ministério Público, que ofereceu denúncia contra plantio experimental sem amparo legal e científico e sem cumprimento de protocolos sanitários em pleno mês de fevereiro.

O experimento teria, segundo o MP, aberto uma porta para disseminação da ferrugem asiática no estado. O resultado: O MP quer que a Aprosoja-MT pague uma multa superior a R$ 3 bilhões.

Presidida pelo produtor rural Antônio Galvan, entidade passa por momento político turbulento, com associados em posição divergente em relação à atual diretoria.

A ação movida pelo MP e o alto valor da multa deixam a Aprosoja-MT em cheque. Como se já não bastassem os riscos jurídico e financeiro, a entidade ainda passa por um momento político turbulento, com parte dos associados em postura divergente em relação à atual diretoria, comandada pelo produtor rural Antônio Galvan, da região de Sinop.

Leia mais:  Safra 2020: IBGE prevê novo recorde, com MT respondendo por 28% do total

No Momento Agrícola desta semana, o apresentador Ricardo Arioli (que é produtor rural, consultor e um dos fundadores da Aprosoja-MT), entrevistou o primeiro presidente eleito da entidade, Rui Carlos Ottoni Prado, numa abordagem sobre a atual situação política da associação e sobre os efeitos da ação movida pelo MP.

Durante a entrevista, Prado defendeu a contratação pela Aprosoja de uma consultoria isenta e independente para avaliar o risco do processo ao qual responderá a entidade. Um grupo de associados, através do Conselho Consultivo da associação, notificou a diretoria para promover a contratação do serviço. “É para fazer um ‘compliance’ da nossa entidade. Queremos saber o que pode e o que não pode, como se dá a governança numa entidade como a nossa, a Aprosoja, que é uma das maiores do mundo!”, disse Rui Prado, que durante a entrevista encontrava-se em sua fazenda, em Campo Novo do Parecis, em meio a uma colheita de milho.

Prado cobrou de forma veemente a contratação da consultoria. “Precisamos desse parâmetro para não sermos mais surpreendidos que já fomos (…) Toda esta responsabilidade pode recair sobre o produtor rural associado, e eu sou um deles. Então, nós, associados, precisamos tomar providências”, acrescentou, deixando claro o temor dos associados, que já temem pesados prejuízos financeiros com a ação do MP, além de evidentes prejuízos do ponto de vista político-classista.

Leia mais:  Para ouvir: Ricardo Arioli estreia no Enfoque Business com “Momento Agrícola”

Além de Rui Prado, a notificação pela contratação da consultoria também foi assinada pelos ex-presidentes da Aprosoja-MT Rogério Sales, Glauber Silveira, Carlos Fávaro (senador), Ricardo Tomczyck e Endrigo Dalcin.

Ricardo Arioli, por sua vez, também externou sua preocupação com a atual conjuntura da Aprosoja-MT. “Também gostaria de ouvir um parecer jurídico isento sobre o risco que a nossa entidade corre. Hoje sabemos apenas de versões: a da diretoria da Aprosoja e a do Ministério Público”, disse, no diálogo com Rui Prado. Arioli finalizou a entrevista com uma declaração que sugere reflexão. “Uma coisa é certa: As diretorias passam, mas ações jurídicas ficam por um longo tempo…”.

Outras

Outras abordagens do Momento Agrícola desta semana dizem respeito à decisão da entidade de proteção ambiental norte-americana sobre o uso do Dicamba nas lavouras dos Estados Unidos, o vazio sanitário que começa em junho e, também, considerações sobre o sistema ILPF.

Para ouvir o programa na íntegra, acesse o link abaixo.

 

publicidade

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Leilão BRF, conjuntura do milho, peixes de cultivo e entrevistas são destaque

Publicado

A edição deste sábado (24) do Momento Agrícola traz novidades e comentários sobre o agronegócio em Mato Grosso e no Brasil.

De autoria do produtor rural, agrônomo e consultor Ricardo Arioli, o programa é veiculado aos sábados pela Rede de Rádios do Agro e repercutido em forma de notícias e com o link do Soundcloud pelo Enfoque Business, também aos finais de semana.

Leilão BRF

Foto: Reuters

No próximo dia 11 de agosto, a Lance já! – organização especializada na recolocação de bens móveis e imóveis no mercado – leiloará nos modelos online e presencial (e de forma extrajudicial) 40 lotes pertencentes à BRF, multinacional brasileira do ramo alimentício.

A participação dos interessados pode ser online, pelo site www.lanceja.com.br.

Os lotes referem-se a terrenos com e sem benfeitoria distribuídos em 12 cidades, incluindo dois imóveis em Mato Grosso e uma fábrica de ração desativada em Porto Alegre (RS).

Em Mato Grosso, os lotes estão localizados nos municípios de Nova Mutum e Ipiranga do Norte. Em Nova Mutum, o lote consiste em imóvel terreno rural de 10 hectares, na margem da Estrada P3. Já em Ipiranga do Norte, o lote corresponde a uma gleba de terra (terreno rural de 9,5 hectares), ponto de referência Fazenda Rio Branco, na Rodovia MT 010, Km 100.

Leia mais:  Momento Agrícola: A segunda onda da Covid-19, queda nas exportações, clima e eventos são destaques

Os demais lotes estão localizados em Serafina Corrêa (RS), Piratini (RS), Marau (RS), Videira (SC), Indaial (SC), Concórdia (SC), Carambeí (PR), Paranaguá (PR) e Nazaré Paulista (SP).

Novas perdas de milho

Nessa semana houve novos registros de geadas nos estados do sul do Brasil e mais lavouras de milho foram afetadas.

Nesse contexto negativo da produção de milho, Ricardo Arioli destaca questões importantes, como a comercialização e a defesa contra quebras e a volatilidade de mercado.

Outro aspecto lembrado no Momento Agrícola é o seguro rural multirrisco, que parece caro em anos normais, mas que mostra seu valor em anos de perdas, como vem ocorrendo nesta safra.

Peixes de cultivo

O Ministério da Economia informou, com dados elaborados Embrapa Pesca e Aquicultura, que as exportações brasileiras de peixes de cultivo cresceram 158% em junho em comparação ao mesmo mês do ano passado. Considerando o segundo trimestre (abril a junho), o avanço nas vendas internacionais foi de 83% em relação a igual período de 2020 e de 22% frente ao trimestre anterior.

Leia mais:  Momento Agrícola: Lentidão da SEMA, gafanhotos, feijão, novidades sobre Dicamba e Roundup são destaques

O faturamento nesse período atingiu US$ 3,9 milhões. O Paraná superou Mato Grosso do Sul e assumiu a liderança nas exportações de tilápia. Santa Catarina vem em terceiro lugar e a Bahia em quarto. Entre os clientes da tilápia brasileira, os Estados Unidos lideram, seguido por China e Chile.

Outras

O Momento Agrícola também traz outras abordagens interessantes, como as entrevistas. Os temas abordados são “A polêmica das ferrovias de Mato Grosso”, com Edeon Vaz Ferreira, “O Carbono na União Europeia”, com o Adido Agrícola Guilherme Costa e “O uso do herbicida Dicamba nos Estados Unidos”, com Dr. Rodrigo Werle.

Para ouvir o Momento Agrícola na íntegra, clique abaixo:

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana