conecte-se conosco


Cidades & Geral

Produtor rural convoca proprietários para adesão ao projeto de recuperação do Queima-pé

Publicado

O prefeito municipal, Vander Masson, e o vice-prefeito e secretário de Infraestrutura, Marcos Scolari, acompanharam esta semana os trabalhos de recuperação da nascente do Rio Queima-pé, que abastece Tangará da Serra. Coordenados pelo consultor ambiental Décio Siebert, com participação de estudantes de agronomia da Unic, o projeto é apoiado pelos produtores rurais Reinaldo Bonzanini e Antônio Guzatti.

Décio Siebert explica que na propriedade particular foram feitas curvas de nível e estão sendo implantados drenos que irão auxiliar na infiltração da água da chuva para ficar armazenada no lençol freático, dando maior estabilidade à nascente do Queima-pé. A medida, segundo o consultor ambiental, é importante e deve ser implantada em toda a área de extensão do rio, em especial nas áreas de recarga do manancial, com adesão de todos os proprietários de fazendas, sítios e chácaras.

O prefeito Vander Masson agradeceu a adesão dos dois produtores rurais e destacou a importância da participação dos demais. “Quero agradecer ao Antônio Guzatti e ao Reinaldo Bonzanini, que forma parceiros nossos, que entenderam o objetivo e a importância da realização desse trabalho de recuperação da nascente do nosso Rio Queima-pé. Esses produtores, que aderiram a esse projeto vão dizer aos amigos deles da importância disso aqui”, disse o prefeito.

Leia mais:  Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Antônio Guzatti sabe da importância de recuperar o Rio Queima-pé. Ele convoca os demais proprietários que façam adesão o projeto.

“Convoco aqui os outros proprietários, o Rio Queima-pé tem 8 a 10 quilômetros de extensão daqui até na ETA [Estação de Tratamento de Água], então todos esses companheiros, os agricultores, os proprietários que façam esse trabalho junto com o prefeito, com o Décio, com a Secretaria de Infraestrutura, porque é um trabalho importantíssimo, que deve ser feito não só na cabeceira e sim em todas as vertentes que abastecem o Queima-pé. Fica um recado para os amigos o desafio para que a gente pegue para valer, vamos tocar o barco e abraçar esse projeto para preservar o Queima-pé, rio tão importante que abastece nossa cidade”, destacou.

(Assessoria)

publicidade

Cidades & Geral

Sinal 5G começará a funcionar em Brasília na quarta-feira; No MT, prazo é para setembro

Publicado

Brasília será a primeira capital do país a ter a rede 5G em funcionamento na telefonia móvel. Segundo o conselheiro e vice-presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Moisés Moreira, o sinal será liberado em Brasília nesta quarta-feira (6).

Em participação no evento Teletime Inc, em São Paulo, o grupo técnico da Anatel encarregado de avaliar a desocupação da faixa de 3,5 gigahertz (GHz) aprovou a ativação do sinal 5G na capital federal no fim da tarde de hoje (4). Segundo Moreira, as próximas capitais a terem a tecnologia liberada serão Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo, sem data prevista por enquanto.

Moreira preside o grupo da Anatel responsável pela liberação das frequências 3,5 GHz, por onde transitará o sinal da telefonia 5G. Atualmente, essa faixa ainda está ocupada por empresas de antena parabólica que operam com a tecnologia Banda C e estão atrasadas com a migração para outra frequência, chamada de Banda Ku.

Originalmente, o edital do leilão do 5G, realizado em novembro do ano passado, previa que todas as capitais deveriam ser atendidas pela telefonia 5G até 31 de julho. No entanto, problemas com a escassez de chips e com atrasos na produção e na importação de equipamentos eletrônicos relacionados à pandemia de covid-19 provocaram atrasos no cronograma.

Leia mais:  Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

O prazo para o funcionamento do 5G em todas as capitais passou para 29 de setembro. Segundo Moreira, o lançamento da rede 5G em Brasília servirá como teste, com a Anatel e as operadoras instalando filtros anti-interferência. Também está prevista a distribuição de decodificadores da Banda Ku à população de baixa renda que usa antenas parabólicas antigas que operam na Banda C.

(Agência Brasil)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana