conecte-se conosco

Empresas & Produtos

Terceira agência do Sicredi em Tangará da Serra será inaugurada em 31 de março

Publicado

Polo da região sudoeste de Mato Grosso, economia sólida, diversificada e com espaço para crescer. Um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 3 bilhões, que figura entre os dez maiores do estado. Estes são os principais atrativos para o Sicredi Sudoeste MT/PA investir em mais uma agência – a terceira – em Tangará da Serra, no bairro Cidade Alta.

Os tangaraenses já sabiam da nova agência da cooperativa de crédito, mas foi na manhã desta sexta-feira (28), durante um café da manhã oferecido à imprensa, que os diretores da instituição fizeram o anúncio oficial. A inauguração acontecerá dia 31 de março, quando o Sicredi MT/PA celebrará 31 anos de fundação na região.

Anúncio aconteceu na manhã desta sexta-feira (28), durante um café da manhã oferecido à imprensa.

Segundo o presidente do Sicredi MT/PA, a nova unidade é uma demanda de moradores e empresas. “As pessoas querem contar com quem olhe para elas, que ofereça um atendimento personalizado e invista os recursos na comunidade”, explica o presidente da cooperativa, Antônio Geraldo Wrobel.

Wrobel aposta no modelo de negócio do Sicredi como fator de crescimento e de participação na economia. Segundo dados mostrados pelo gestor do Sicredi MT/PA, os principais resultados constatados em municípios onde as cooperativas de crédito atuam apontam para índices de 5,6% dos PIBs per capita municipais, são responsáveis por 6,2% dos empregos formais e estão presentes como agentes em 15,7% dos estabelecimentos comerciais.

Wrobel: “Para cada R$ 1 concedido em crédito, adicionamos outros R$ 2,45 no PIB local”.

O dirigente da instituição vai além e cita como exemplo os resultados auferidos pelos créditos concedidos pelo Sicredi nas comunidades em que atua, “Para cada R$ 1 concedido em crédito, adicionamos outros R$ 2,45 no PIB local”, considerou. Ele destaca, ainda, que em Tangará da Serra são 10 mil cooperados, número que o faz acreditar na continuidade do crescimento dos resultados da cooperativa, com a ampliação do quadro de associados dos atuais 81 mil para 96 mil, e de um resultado de R$ 90 milhões em 2020 ante os R$ 80,8 milhões alcançados ano passado.

Leia mais:  Frigoríficos de Tangará da Serra e Barra do Bugres são habilitados para exportar carnes para a China

Agência

Nova agência será inaugurada em 31 de março.

A agência Sicredi Cidade Alta contará com 600 metros quadrados e amplo estacionamento. Dez caixas eletrônicos oferecerão a praticidade do autoatendimento. A estética da agência da confirma o otimismo da instituição para com o município. “Temos grandes metas e expectativas, por isso vamos inaugurar a nossa terceira agência aqui em Tangará da Serra”, disse o futuro gerente da unidade, Ibomar Santos.

Cooperativa

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa que tem foco no crescimento dos seus associados e no desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos mais de 4,2 milhões de associados em todo o Brasil, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, oferecendo mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

No Mato Grosso e no Pará, o Sicredi MT/PA conta com 35 agências para atendimento de mais de 80 mil associados em 29 dos 97 municípios da região onde atua.

Leia mais:  Município deverá ganhar fábrica de argamassa com 100 empregos diretos

Além de Tangará da Serra, onde está a sede administrativa, as agências do Sicredi MT/PA estão localizadas nas cidades de Arenápolis, Barra do Bugres, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Campos de Júlio, Curvelândia, Denise, Glória d’Oeste, Mirassol d’Oeste, Nortelândia, Nova Marilândia, Nova Olímpia, Poconé, Porto Esperidião, Santo Afonso, Sapezal e Várzea Grande, em Mato Grosso. No Pará está presente nos municípios de Canaã dos Carajás, Marabá, Parauapebas, Redenção, Rio Maria, Tucumã, Xinguara, Dom Eliseu, Rondon do Pará, Paragominas e Tomé-Açú.

publicidade

Empresas & Produtos

Madeira tratada: Bom negócio da floresta à construção, com ganhos ambientais e geração de empregos

Publicado

A madeira de florestamento é uma das matérias primas mais utilizadas no mundo. É empregada na indústria, na construção civil, na agropecuária, na geração de energia, nas artes, no papel de cada dia (seja na higiene, nas embalagens ou nas impressões) e, também, como matéria prima na indústria do ferro e aço, nas obras públicas… É um ativo da economia nos seus mais variados setores, ou seja: A madeira é, literalmente, ‘pau pra toda obra’.

A indústria de produtos florestais tem hoje uma participação de 7% do PIB industrial, com destaque para pisos, painéis de madeira, papel, celulose, madeira serrada e carvão vegetal, segundo dados da Indústria Brasileira de Árvores (IBA).

Florestas plantadas diminuem a pressão sobre as florestas nativas e representam grandes avanços em termos de geração de emprego e renda.

O Brasil conta com grandes áreas com eucalipto, pinus, acácia, cedro australiano, teca, mogno entre outras. E a grande produção permite bons negócios com o exterior. Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a madeira oriunda de reflorestamento no Brasil é exportada principalmente para Estados Unidos, Europa, México, Ásia, Arábia Saudita (celulose e madeira processada) e Índia, China e outros países da Ásia e da Europa (madeira em bruto).

Diante desse quadro, percebe-se que o mercado da madeira é interminável e o Brasil é protagonista neste cenário. Ou seja: investir em madeira sempre foi, é, e continuará sendo um bom negócio.

Modelo de negócio

Indústria de produtos florestais tem hoje uma participação de 7% do PIB industrial.

As florestas plantadas diminuem a pressão sobre as florestas nativas e representam grandes avanços em termos de geração de emprego e renda nas regiões onde os polos-florestais são implantados.

(*) Veja no link ao final da matéria galeria de fotos com imagens das atividades florestais da Liptosflora e as aplicações da madeira de florestamento

Em Mato Grosso, na região de Tangará da Serra, os principais negócios com madeira estão em florestas plantadas de eucalipto e teca. Mas um novo gênero – Corymbia – começa a se destacar com algumas espécies como a citriodora, maculata e variegata. A alta densidade destas espécies resulta em durabilidade natural e resistência mecânica superiores.

A técnica, o profissionalismo e o conhecimento de mercado são condições ‘sine qua non’ para o sucesso no segmento e na comercialização da madeira.

A técnica, o profissionalismo e o conhecimento de mercado são condições ‘sine qua non’ para o sucesso no segmento e na comercialização da madeira. Segundo a Liptosflora Florestas Sustentáveis (www.liptosflora.com.br), empresa especializada em florestas plantadas e madeiras de florestamento com sede em Tangará da Serra e indústria de tratamento de madeira e florestas plantadas também no município de Reserva do Cabaçal – MT, cada fase é importante, do preparo do solo à implantação, do manejo à manutenção, do corte à comercialização.

Liptos Flora tem sua sede no Anel Viário André António Maggi 4920-S – Cx. Postal 267, Zona Urbana, Tangará da Serra – MT.

“Planificar a finalidade da madeira a ser produzida é fundamental para definir a espécie e o material genético que comporão a floresta, assim como o espaçamento e o manejo a serem adotados”, observa Valdir Andrade, diretor-proprietário da empresa.

Leia mais:  Mais uma empresa aérea low cost pede autorização para voar no Brasil

A Liptosflora está à frente de modelos de negócios e projetos com florestas plantadas com vistas à produção e comercialização de madeira sólida em Mato Grosso, com destaque para o eucalipto e, nos últimos anos, com Corymbias.

Mercado

O mercado está aquecido, como, na realidade sempre esteve, o que movimenta intensamente o departamento comercial da Liptos. “Temos uma grande procura e por isso estabelecemos critérios nas vendas. A qualidade do produto garante esta demanda e isso nos mostra que, ali adiante, há um mercado ainda mais promissor. A pandemia (do novo coronavírus) impõe suas limitações na economia, mas os mercados não param e estarão ainda mais abertos no pós-crise”, observa o diretor da Liptosflora.

Valdir Andrade: “Quando se conhece as vantagens das florestas plantadas, se constata o que realmente elas podem representar dentro de um contexto econômico”.

No caso do eucalipto, a adaptabilidade da espécie em solo mato-grossense, a disponibilidade de tecnologia exclusiva de manejo pela própria Liptos, a alta rentabilidade e os benefícios socioeconômicos que podem ser gerados pelas florestas plantadas já deram resultados econômicos e geram grande interesse na indústria e, também, entre a classe produtora, que pode implantar em suas propriedades módulos florestais como alternativa de investimento de longo prazo.

Leia mais:  Tratortecmaq oferece a colhedora de forragem Menta Premium Flex ATM 1.3

“A madeira de florestamento, seja de eucalipto, seja de corymbia, possui alto valor agregado, com múltiplas aplicações, desde uma simples cerca, passando pela indústria moveleira, até a construção civil”, disse, acrescentando que estas madeiras, em razão da beleza e durabilidade, também tem sido largamente empregadas no acabamento de residências, especialmente em pisos, escadarias, divisórias e madeiramentos.

Ganhos ambientais e sociais

A diminuição da pressão sobre as florestas nativas, a rentabilidade e o grande potencial de geração de emprego e renda fazem dos polos-florestais o sustentáculo para um novo e promissor segmento econômico na região. “Quando se conhece as vantagens das florestas plantadas, se constata o que realmente elas podem representar dentro de um contexto econômico”, afirma Valdir Andrade.

Segundo ele, a questão ambiental é tão importante quanto a econômica e a social. Plantios com visão de sustentabilidade não podem ser implantados em áreas que não sejam licenciadas por órgãos competentes, assim como devem ser respeitadas as áreas de reserva legal e de preservação permanente, integrando assim, a produção à biodiversidade e viabilizando a comercialização e a utilização dos produtos gerados pela floresta.

Todos estes, entre outros tantos, são critérios adotados como conceitos pela Liptos ao planificar o investimento do cliente, tornando o projeto viável sob todos os aspectos.

Mais informações constam no site da Liptosflora – www.liptosflora.com.br – e, também, pelo telefone 3311-9899.

Veja galeria de imagens na capa do site ou acesse o link abaixo:

Liptosflora: Imagens da atividade florestal e da aplicação dos produtos da madeira de florestamento

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana