conecte-se conosco

Infraestrutura & Logística

Licitação do Aeroporto de Tangará da Serra deverá ocorrer este ano, com investimento de até R$ 14 milhões

Publicado

Já aprovado pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC/PR), o projeto do aeroporto regional de Tangará da Serra demandará entre R$ 12 milhões e R$ 14 milhões em investimentos. Foi o que afirmou o deputado federal Neri Geller (PP), que esteve em Tangará da Serra na manhã desta segunda-feira (13), durante reunião com lideranças, na Câmara Municipal.

O parlamentar esteve em Tangará da Serra para contatos políticos e para – segundo ele – tratar de demandas do município, como o próprio aeroporto regional e emendas para saneamento básico e saúde.

Município já realiza obras estruturais, como mureta operacional e avenida de acesso ao aeroporto.

Geller disse que a unidade aeroportuária de Tangará da Serra terá caráter regional e poderá também ser utilizada par cargas. Os recursos – que segundo Neri Geller já estariam confirmados pela SAC/PR – ainda precisam ser liberados para que o convênio seja assinado, dando sinal verde para o processo licitatório, cuja responsabilidade será do governo estadual.

Geller: “O aeroporto regional de Tangará da Serra é uma questão estratégica”.

Segundo o parlamentar, a licitação deverá ocorrer ainda este ano. “O aeroporto regional de Tangará da Serra é uma questão estratégica. Não é de interesse só do município, e sim de todo o estado de Mato Grosso. Vamos acelerar este processo para que o recurso seja liberado para que o convênio seja assinado e a licitação ocorra ainda este ano”, disse Geller.

Leia mais:  Sistema Sepotuba: Seis empresas vencem certame para aquisição de tubos e materiais hidráulicos

O município, por sua vez, já realiza obras infraestruturais no sítio aeroportuário, que consistem em mureta para cerca operacional (exigência da ANAC), e avenida de acesso a partir do anel viário.

Importância estratégica

Considerado como fundamental instrumento de logística para impulsionar a economia do município, o aeroporto municipal – que leva o nome do pioneiro e fundador do município Joaquim Aderaldo de Souza – tem importância estratégica para toda a região polarizada por Tangará da Serra, que inclui cerca de 20 municípios que, juntos, somam 400 mil habitantes e um PIB que gira em torno dos R$ 20 bilhões. Com melhor estruturação física, o aeroporto servirá, especialmente, de atrativo para investimentos privados no município.

 

publicidade

Infraestrutura & Logística

Governo prevê geração de 235 mil empregos durante construção de ferrovia estadual

Publicado

A construção da primeira ferrovia estadual deve geral 235 mil empregos, entre diretos, indiretos e temporários. A projeção é do secretário estadual de Fazenda, Rogério Gallo, durante o lançamento do chamamento público para a realização das obras, no início dessa semana.

A ferrovia estadual terá 730 km e vai ligar o município de Rondonópolis a Cuiabá e a Lucas do Rio Verde, com um investimento previsto de R$ 12 bilhões.

A projeção foi feita com base na metodologia do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) e leva em conta os sete anos de execução previstos do início até o fim da obra. “Serão 235 mil empregos nos sete anos. Isso é fundamental para o Estado de Mato Grosso. O investimento de R$ 12 bilhões é praticamente o que estamos [o Estado] investindo em 4 anos. É o investimento que o setor privado vai fazer nessa ferrovia”, afirmou o secretário.

Obras e investimentos

Gallo se refere ao investimento que tem sido feito pelo Governo do Estado por meio do programa Mais MT, que prevê investir até o fim do mandato do governador Mauro Mendes (DEM) o montante de R$ 9,2 bilhões.

Leia mais:  MT-343: Primeira etapa da pavimentação está concluída; Rodovia liga Cáceres, Porto Estrela e Barra do Bugres

O secretário apontou que a obra é grandiosa e deverão ser construídos pátios ferroviários a cada 25 km, 68 pontes e viadutos, dois quilômetros de tuneis e 232 milhões de metros cúbicos de terraplanagem. “Há geração de emprego em todos os terminais. Cada cidade em que se implanta um terminal, você gera empregos, empregos qualificados, inclusive de manutenção de ferrovia, de locomotivas”.

O secretário também se refere ao gargalo logístico do país. “Então, é fundamental para Mato Grosso a expansão ferroviária. Como foi dito, o Brasil está atrasado 200 anos [no modal ferroviário]. Nós temos pressa e é por isso que o governo lançou esse edital”, completou.

A ferrovia

As empresas interessadas terão 45 dias para apresentar propostas e a vencedora terá prazo de 45 anos para operar.

O objetivo do modal é integrar o Estado com o sistema federal de ferrovias e com os demais estados; integrar os modais logísticos de Mato Grosso; reduzir o custo para transporte da produção, com mais competitividade; ampliar a circulação de produtos e ampliar alternativas para o transporte da produção.

Leia mais:  Governo abre certame para obras que incluem as MTs-240 e 246, em três municípios da região

A obra será iniciada em até seis meses após a emissão da licença ambiental de instalação.

A previsão é que o terminal de Cuiabá seja concluído até o 2º semestre de 2025 e o de Lucas do Rio Verde até o 2º semestre de 2028.

(Assessoria Sefaz-MT)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana