conecte-se conosco


Cidades & Geral

Em reunião com vice-governador, Consórcio define prioridades; Aterro regional é principal encaminhamento

Publicado

A implantação de um aterro sanitário regional foi o principal encaminhamento na reunião promovida na manhã de ontem (sábado, 30), no auditório da ACITS, em Tangará da Serra, pelo vice-governador Otaviano Pivetta (PDT) e representantes de 14 municípios da região de abrangência do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Alto do Rio Paraguai.

A reunião foi convocada pelo próprio vice-governador, quem conduziu o encontro, juntamente com o presidente do Consórcio, Jossimar Fernandes, popular Zema, prefeito de Nortelândia.

Vice-governador Otaviano Pivetta convocou a reunião de ontem, em Tangará da Serra.

Além de Tangará da Serra – representada pelo prefeito Vander Masson (PSDB) -, participaram representantes de Campo Novo do Parecis, Diamantino, Nova Maringá, São José do Rio Claro, Alto Paraguai, Arenápolis, Barra do Bugres, Denise, Nova Olímpia, Nortelândia, Nova Marilândia, Santo Afonso e Porto Estrela.

Reunião contou com presenças de Pivetta e representantes de 13 municípios da região de abrangência do Consórcio.

Também marcaram presença, os deputados estaduais Dr. João (MDB) e Paulo Araújo (PP), o presidente da MT Par, Wener Santos, além de vereadores, secretários municipais e representantes das sociedades civis organizadas dos municípios envolvidos.

Leia mais:  Crédito de R$ 200 mil para serviços cartorários viabilizará escrituração de área do aeroporto

Passivo

Tido como fundamental para corrigir um passivo ambiental antigo e preocupante da região, o aterro sanitário a ser implantado atenderia principalmente aos municípios da baixada da Serra de Tapirapuã.

Enquanto Tangará da Serra conta com um bem estruturado aterro sanitário, os municípios do entorno, em especial os localizados a partir de Diamantino e abaixo da serra, contam com sistemas de coleta e destinação que precisam de grandes ajustes e melhorias.

Aterro regional para atender municípios da ‘baixada da serra’ é alternativa para mitigar antigo passivo ambiental.

Para tanto, Otaviano Pivetta propôs a apresentação, por parte do Consórcio Intermunicipal, de uma proposta de implantação de aterro sanitário para atender a estes municípios. “Temos pressa. Hoje ficou marcado que até o final da semana que vem teremos uma proposta (…), e aí vamos decidir se será feito em parceria com a iniciativa privada ou mesmo pelo consórcio”, disse o vice-governador, em entrevista à Imprensa, lembrando do Novo Marco Regulatório do Saneamento Básico, que prevê a eliminação de lixões a céu aberto, estabelece prazos para soluções nesta área, com encaminhamentos pelos municípios até julho deste ano e efetivação dos processos até 2024.

Leia mais:  Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Outras demandas

Além do aterro sanitário regional, outras demandas foram apontadas como prioritárias nas atividades do Consórcio Intermunicipal, que congrega 15 municípios, incluindo Nova Olímpia e Sapezal, além dos já citados.

A pavimentação urbana nas rodovias estaduais que integram a região e nas zonas urbanas dos municípios pertencentes ao consórcio será impulsionada pelo órgão, que receberá patrulhas mecanizadas custeadas pelo governo do Estado, atuando em parceria com os municípios.

Manutenção e adequação de estradas vicinais, pontes e bueiros também estão entre os trabalhos prioritários, considerando que o estado já possui programa para instalação destas estruturas nos municípios do interior.

Licenciamentos ambientais para atividades de baixo impacto e inspeção sanitária para abate de animais, produção e comercialização de produtos derivados também constam nas atividades que serão conduzidas pelo consórcio para atendimento dos municípios da região que ainda não possuem estes serviços.

publicidade

Cidades & Geral

Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Publicado

Domingo, como reza a tradição, é dia de Feira em Tangará da Serra. E dois produtos muito atrativos na Feira do Produtor do Centro são as castanhas de caju e do Pará. As duas são alimentos saudáveis e compõem receitas extraordinárias, como nos links ao final do texto.

A castanha-do-pará é rica em proteínas, fibras, selênio, magnésio, fósforo, zinco e vitaminas do complexo B e vitamina E. Também fornece antioxidantes ao organismo, promovendo a diminuição do colesterol total. Melhora o sistema imunológico e ajuda a prevenir alguns tipos de câncer, como de mama, próstata e cólon.

Contribui para a saúde do cérebro e mantém o cabelo e as unhas saudáveis. Reduz a pressão alta, ajuda a regular a tireoide e é excelente fonte de energia.

Já a castanha-de-caju vem do fruto do cajueiro e é rica em antioxidantes, gorduras boas e minerais. Ajuda a prevenir o desenvolvimento de doenças do coração e anemia, além de melhorar a saúde da pele, unhas e cabelo. Segundo especialistas, consumir cerca de 30 gramas de castanha de caju por dia é uma alternativa para complementar os nutrientes consumidos diariamente.

Leia mais:  Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Castanhas nos boxes

A castanha-do-pará oferecida na Feira do Centro é proveniente da região de Juína e de outras cidades e localidades da região norte do estado. Já a castanha de caju vem, principalmente, da região Nordeste do Brasil.

São comercializadas em vários boxes do setor de hortifruti, em especial nos boxes 16-C, de Elieder Santos; 21-A, de Francisco da Silva; 23-A, de Eliane Resende; e 42-A, de Elton Pereira.

Veja, a seguir, receitas com as duas castanhas:

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-do-para/

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-de-caju/

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana