TANGARÁ DA SERRA

Infraestrutura & Logística

AGENDA CÁCERES: Expedição levantará situações das MTs 339 e 343, com visitas ao porto fluvial e às obras da ZPE

Publicado em

Um grupo apartidário de tangaraenses realizará uma pequena expedição – denominada “Agenda Cáceres” – para reconhecimento das interligações da região de Tangará da Serra ao município de Cáceres (região fronteiriça com a Bolívia), que já conta com um porto fluvial no rio Paraguai, assiste à construção de uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE) e se prepara para ser o ponto inicial da Hidrovia Paraguai-Paraná.

O objetivo da visita é levantar informações e produzir um detalhado relatório técnico sobre o andamento dos trabalhos no Porto de Cáceres (ETC – Estação de Transbordo de Cargas), das obras da ZPE e das situações em que se encontram as rodovias estaduais MT-339 e MT-343. O relatório também incluirá uma análise sobre os impactos socioeconômicos do sistema logístico na macrorregião oeste-sudoeste de Mato Grosso, além de detalhes da hinterlândia portuária.

Essencial no processo que envolve a ZPE, a MT-339 é obra prioritária para logística regional.

A Agenda Cáceres terá início nesta segunda-feira (03/08), com participação do engenheiro civil, economista, especialista em logística e professor da Unemat, Silvio Tupinambá; do cientista de dados e também professor José Valdeci Cardoso, e do jornalista Sergio Roberto Reichert, do portal Enfoque Business.

O ponto de partida é a MT-339, que será vistoriada em todo o seu trajeto de 122 quilômetros até a localidade de Panorama, no município de Rio Branco, entroncamento com a MT-170. Dali, o trajeto segue diretamente a Cáceres, onde o grupo será recepcionado pelo engenheiro civil, inspetor-chefe regional do CREA-MT e diretor técnico da AZPEC S/A (ZPE), Adilson Reis, um dos organizadores da agenda.

Já em Cáceres, o grupo terá audiência com o prefeito Francis Maris. Logo em seguida, haverá visitação ao Porto Fluvial e às obras da ZPE. No dia seguinte (terça, 04/08), a agenda terá prosseguimento com uma visita à Agência Fluvial de Cáceres, da Marinha do Brasil, onde haverá reunião com o comandante, Capitão Tenente Estanislau Geraldo de Carvalho, e o Tenente Luiz Carlos Cavalante Neto.

Após o cumprimento da agenda na cidade, o retorno se dará a Tangará da Serra pela MT-343, que também será vistoriada em todo o seu trajeto de 230 quilômetros, até o entroncamento com a MT-358, em Barra do Bugres.

O relatório a ser produzido será encaminhado às autoridades estaduais, às bancadas do estado no Congresso Nacional e às lideranças dos municípios envolvidos no contexto deste sistema logístico. Uma reportagem completa, com matérias em série, fotos e vídeos, será publicada pelo Enfoque Business após a conclusão da agenda.

Comentários Facebook
Advertisement

Infraestrutura & Logística

Com 12 km de asfalto liberado, pavimentação da 240 deverá chegar a Santo Afonso até dezembro

Published

on

O Prefeito Municipal Vander Masson visitou nesta semana, em companhia do Secretário Municipal de Infraestrutura, Magno César Ferreira, o canteiro de obras da Rodovia MT 240, estrada que liga Tangará da Serra até Santo Afonso. A pavimentação do trecho está sendo feita pela Guaxe Construtora, que prometeu entregar cerca de cinco quilômetros de asfalto por mês e, ao que tudo indica, está conseguindo atingir a meta estabelecida.

Neste momento, 12 quilômetros já estão pavimentados e aproximadamente seis estão em fase de compactação da base. A rodovia está sendo construída com a participação de quatro associados: Governo do Estado de Mato Grosso, as Prefeituras Municipais de Tangará da Serra e Santo Afonso e ainda a Associação dos Beneficiários da Rodovia MT 240, que reúne os produtores rurais que possuem propriedades nas margens.

Prefeito Vander Masson (esq), em vistoria com o secretário Magno, está satisfeito com o andamento das obras.

A Prefeitura de Tangará da Serra está participando com a limpeza das margens dos 24 quilômetros que estão dentro dos limites do município e, no próximo ano, quando a rodovia estiver totalmente pavimentada vai colaborar com a sinalização da rodovia e recomposição das margens, melhorando também algumas áreas de preservação permanente que existem na região.

Masson disse que ficou muito satisfeito com o que observou nesta visita, especialmente porque é bem provável que até o final do ano a pavimentação realmente seja concluída até Santo Afonso (37,61 quilômetros), atendendo finalmente o anseio dos produtores da região e dos usuários que esperaram por muitos pelo asfalto. Inicialmente a obra tinha previsão de custar R$ 18.547.733,46.

(Assessoria de Imprensa)

Comentários Facebook
Continue Reading

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana