conecte-se conosco


Setor Público & Agentes

Saúde Pública: CHM de Tangará da Serra pode ser alternativa para estrutura regional

Publicado

O Centro Hospitalar Municipal (CHM) de Tangará da Serra poderá fazer parte do projeto de regionalização da saúde pública estadual. A hipótese foi levantada durante visita, no final de outubro, do deputado estadual Paulo Araújo (PP) à estrutura da unidade hospitalar do município. O parlamentar esteve acompanhado do prefeito Fabio Martins Junqueira, vereadores, secretários e do assessor jurídico do parlamentar, ex-vereador por Tangará da Serra Amauri Paulo Cervo.

Durante a visita, conduzida por Junqueira, Araújo conheceu todas as dependências do CHM e se disse surpreso com a qualidade da estrutura física. Em recente conversa com a reportagem do Enfoque Business, Araújo disse que já dispunha de informações de que se tratava de uma boa estrutura. “Mas nesta visita que fizemos vi que as instalações são ainda melhores”, disse, citando que o CHM dispõe de centros cirúrgicos equipados e dentro dos padrões exigidos como referência, UTI’s, enfermarias, leitos e todas as dependências necessárias para um hospital regional para atendimento de média e alta complexidades.

Porém, o problema está na falta de resolutividade. “Tem a estrutura, mas não há resolutividade”, disse Paulo Araújo, admitindo a falta de apoio do governo anterior, que atrasou repasses e abandonou qualquer possibilidade de regionalização. “Mas o atual governo está disposto a isso”, garantiu, em seguida.

Araújo: Aroveitamento do CHM para uma estrutura de hospital regional passa por decisões políticas no estado – que precisa confirmar a regionalização – e do município, cuja administração precisará avalizar o processo.

Uma das vantagens da conversão da estrutura do CHM em hospital regional seria, conforme o deputado, a agilidade. “Temos esta alternativa, da viabilização do caminho para que o Hospital Municipal, que tem já a estrutura pronta e equipada dos centros cirúrgicos, UTI’s e leitos, possa ter, com a entrada do Estado, uma realidade de que até janeiro do ano que vem seja implantado o Hospital Regional aqui em Tangará da Serra”, disse o deputado progressista. “Se formos depender de construção passaremos mais cinco anos – ou mais – sem um hospital de referência regional”, completou.

Segundo o parlamentar, o aproveitamento do CHM para uma estrutura de hospital regional passa por decisões políticas no estado – que precisa confirmar a regionalização – e do município, cuja administração precisará avalizar o processo. “Havendo estas decisões, basta apenas definir o modelo”, disse Araújo, à reportagem do Enfoque Business. Os modelos incluem, entre outras opções, formatos com gestão via Consórcio Intermunicipal de Saúde e parceria entre estado e município.

Promessa não cumprida

Em 2015, o governador Pedro Taques (PSDB), chegou a anunciar a construção de um hospital regional em Tangará da Serra. A notícia, confirmada pelos então deputados estaduais Saturnino Masson (PSDB) e Wagner Ramos (PSD), gerou grande expectativa na região.

Naquela oportunidade, Taques anunciou que seriam investidos cerca de R$ 110 milhões na construção, incluindo equipamentos. O anúncio de Pedro Taques, porém, ficou na promessa.

Atualmente Mato Grosso conta com seis hospitais regionais: Hospital Regional de Barra do Bugres, Hospital Regional de Alta Floresta Doutor Albert Sabin, Hospital Regional de Cáceres Doutor Antônio Fontes, Hospital Regional de Colíder, Hospital Regional de Rondonópolis Irmã Elza Giovanella e Hospital Regional de Sorriso e Sinop.

publicidade

Setor Público & Agentes

Marcia Kiss assume pasta de Assistência Social em Tangará; Ana Lúcia alega surpresa

Publicado

O prefeito de Tangará da Serra, Vander Masson, apresentou e empossou na manhã desta segunda-feira, dia 08, a nova secretária municipal de Assistência Social.

A professora Marcia Regina Kiss Siqueira de Castro Cardoso foi empossada em ato ocorrido no Gabinete de Políticas Públicas para Mulheres (GPM), da Prefeitura Municipal.

Ela assume no lugar de Ana Lúcia Adorno de Souza, que ocupou o cargo entre janeiro e outubro de 2021. “Quero agradecer a Ana Lúcia pelo trabalho, empenho e esforço que dedicou à Secretaria ao longo desses 10 meses, deu o seu melhor e somos muito gratos a ela por isso”, disse o Prefeito Vander.

Márcia Kiss assumiu a pasta na manhã desta segunda-feira.

Marcia Kiss, como é mais conhecida no meio social, é casada com Arnaldo, mãe de 2 filhos: Matheus e Ana Clara. Nasceu em São Paulo/SP no dia 25/10/1972 e foi criada no Paraná.

Formada em Ciências Exatas e Pedagogia. É residente em Tangará da Serra desde março de 1995. Durante esses 26 anos em Tangará da Serra, trabalhou em várias escolas, dentre elas o Centro Municipal de Ensino Silvio Paternez, a Escola Acalanto, a Escola Objetiva, o Colégio Ideal, o Centro Infantil Caracol Kids e a Avance Colégio e Cursos, nas quais atuou como professora, no setor financeiro, como coordenadora pedagógica e como diretora.

Já foi Conselheira Tutelar e Coordenadora do CRAS (Centro de Referência em Assistência Social), na Vila Esmeralda.

Em 2016 e em 2020, Marcia Kiss foi candidata a vereadora em Tangará da Serra.

Ao ser empossada, Marcia assegurou que irá conduzir a Secretaria com dedicação. “Agradeço a oportunidade dada a mim pelo prefeito Vander Masson. Buscarei conduzir a Secretaria com sabedoria, com união e empenho de todos os servidores para conduzir a pasta”, disse, destacando que as ações serão com planejamento e atuando ao lado das demais secretarias.

Surpresa

Ana Lúcia Adorno atuou pela pasta desde janeiro, no início da atual gestão.

Comunicada de sua exoneração na última sexta-feira (05), Ana Lúcia Adorno de Souza, disse estar surpresa com a decisão do Executivo. Em entrevista veiculada pela rádio Serra FM nesta manhã de segunda-feira, Ana Lúcia relatou que, ao ser informada que deixaria a pasta de Assistência Social, ouviu o gabinete do Executivo que sua atuação não estava afinada com a gestão e que seu desempenho não foi o esperado pelo prefeito Vander Masson.

Ela disse, porém, que fez o possível para atender as expectativas da administração municipal e que, apesar das limitações estruturais e orçamentárias que enfrentou, buscou desempenhar suas funções da melhor maneira possível. Ana Lúcia agradeceu a oportunidade de compor a gestão municipal e disse torcer pelo êxito dos projetos em andamento na pasta.

(Redação EB, com Assessoria)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana