TANGARÁ DA SERRA

Empresas & Produtos

Hidrômetros em composite coíbem furtos e representam economia, precisão e sustentabilidade

Publicado em

Os furtos de hidrômetros são um sério problema enfrentado pelo setor de saneamento básico em todo o país. Este problema resulta em prejuízos ao consumidor e transtornos às companhias distribuidoras de água.

O alvo dos ladrões é o metal da caixa externa do hidrômetros, que é revendida em ferros-velhos e até mesmo trocado por entorpecentes.

(Ao final desta matéria, vídeo sobre furtos de hidrômetros)

Uma solução econômica e sustentável para o problema foi encontrada pela HidroReader, startup de Tangará da Serra que atua com telemetria na leitura de consumo de água e que está expandindo suas atividades para a área industrial, na produção de hidrômetros.

Hidrômetros em composite produzido pela HidroReader: Menor custo, precisão e sustentabilidade.

Segundo o CEO da HidroReader, Thiago Zago, a caixa do hidrômetro produzido pela empresa é de composite, um termoplástico de alta resistência contra impactos e intempéries e que, de quebra, reduz o custo do medidor. “Ao contrário do metal, o composite não possui valor no mercado clandestino, o que neutraliza o interesse pelos furtos”, explica o empresário.

Leia mais:  Tecnologia e automação: Uisa é reconhecida como segunda empresa mais inovadora do Brasil

Precisão e Sustentabilidade

Outro detalhe é que o composite é produzido a partir de plástico reciclável. Isto implica na redução de custos e aumento da eficiência, sem produzir impactos no meio ambiente.

A precisão deste hidrômetros também é um diferencial no mercado. Além de garantir menor custo na sua produção e, por consequência, em seu preço final no mercado, a estrutura externa em composite assegura precisão na aferição. “O processo de injeção termoplástica na linha de produção proporciona exatamente o mesmo dimensional em cada unidade produzida, o que não se obtém em linhas de produção com processos de usinagem”, relata Thiago Zago.

(Acesse o site www.hidroreader.com.br e conheça os produtos da empresa)

Outra vantagem é que a injeção termoplástica é um processo limpo de produção, com uso de plástico reciclável. Além de utilizar matéria oriunda de reciclagem, a produção do HidroReader praticamente não gera resíduos, o que significa sustentabilidade.

(*) No vídeo abaixo, matéria produzida em julho do ano passado pelo SBT da região do ABC Paulista sobre furtos de hidrômetros.

Leia mais:  Tecnologia e automação: Uisa é reconhecida como segunda empresa mais inovadora do Brasil

Comentários Facebook
Advertisement

Empresas & Produtos

Tecnologia e automação: Uisa é reconhecida como segunda empresa mais inovadora do Brasil

Published

on

A uisa, uma das principais Biorrefinarias do país, recebeu mais um reconhecimento por seus investimentos em tecnologia e automação. A companhia ficou em 2º lugar no ranking das 100 empresas mais inovadoras do Brasil no uso da tecnologia da informação, em avaliação promovida pelo IT Fórum. A lista foi determinada com base na avaliação de júri multidisciplinar, formado por especialistas em tecnologia, professores e jornalistas. A uisa aparece à frente de empresas como Americanas S.A, Dasa, Eletrobrás Furnas, Bradesco e Microsoft.

A biorrefinaria encaminha cases para a premiação do IT Fórum há quatro anos. Em 2021, ficou na posição 48 na classificação geral. Na edição de 2022, foram mais de 270 inscrições de projetos liderados pelas principais empresas consumidoras (e também fabricantes) de tecnologia do Brasil.

De acordo com o Diretor de Tecnologia e Inovação da uisa, Rodrigo Ribeiro Gonçalves, a premiação obtida este ano é o reconhecimento do trabalho realizado pela uisa. “Essa premiação mostra que estamos no caminho certo em nossos investimentos em tecnologia e automação. A uisa está alinhada as melhores práticas do mercado. Viramos referência para todo o mercado de tecnologia”, conta o Diretor.

Leia mais:  Tecnologia e automação: Uisa é reconhecida como segunda empresa mais inovadora do Brasil

Recentemente, a uisa incorporou, de forma pioneira, a tecnologia “Blockchain” aos seus processos de produção e controle de seus bioprodutos, começando inicialmente pelo Açúcar Demerara Itamarati, uma das marcas do portfólio de alimentos da Companhia.

O projeto de aplicação do Blockchain em processo de produção de alimentos ainda é inédito no Brasil. Seu desenvolvimento foi realizado por uma equipe multifuncional formada por técnicos da Diretoria de Tecnologia, Automação e Inovação da uisa, e mais dois sócios tecnológicos, a Google Cloud e a IT Lean, consultoria especializada em tecnologia.

“A uisa hoje está em pé de igualdade com todas as grandes empresas do país em termos de inovação e tecnologia. Estamos mudando o agro”, conclui Rodrigo Gonçalves.

Sobre a uisa

A uisa, é uma das maiores Biorrefinarias do Brasil, um modelo de negócios que permite a transformação de matérias-primas renováveis e seus resíduos em biocombustíveis, biometano, energia limpa, alimentos, fertilizantes orgânicos e ingredientes para nutrição humana e animal. Localizada em Mato Grosso, região com uma das maiores biodiversidades do mundo, a uisa tem como diretriz a maximização da sustentabilidade e a redução das emissões de carbono, a partir do processamento de biomassas.

Leia mais:  Tecnologia e automação: Uisa é reconhecida como segunda empresa mais inovadora do Brasil

(Comunicação Institucional da uisa)

Comentários Facebook
Continue Reading

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana