conecte-se conosco

Feiras & Eventos

Empresas apoiam ação ambiental no dia da árvore

Publicado

Cerca de 100 ciclistas participaram no último sábado (21) do EcoBike 2019, ação ambiental comemorativa ao Dia da Árvore, em Tangará da Serra. A ação teve como destaque o passeio ciclístico desde o Bosque Municipal, no centro, até o Parque da Família, no Jardim Barcelona, onde houve plantio de mudas de espécies nativas e sorteio de brindes, incluindo duas bicicletas.

Bosque Municipal foi o ponto de partida da atividade.

Sob o tema “Pedalando por uma Tangará mais verde”, o evento foi organizado pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Sepotuba (CBH Sepotuba), Prefeitura Municipal e Unemat, com apoio do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMEA) e Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECITECI). A iniciativa privada teve participação fundamental, patrocinando o evento através da Brennand Investimentos, Frigorífico Seara, Terzi Empresas e Viveiro Mina Azul.

Passeio ciclístico percorreu área central da cidade, com destino final no Parque da Família.

Partindo do Bosque Municipal, o passeio ciclístico seguiu pela rua Júlio Martinez Benevides, Parque das Nações Unidas e Jardim Tangará II, até o destino final, no Parque da Família, que está em fase de construção pelo município, no Jardim Barcelona. Lá foram plantadas 120 mudas de árvores nativas fornecidas pelo Viveiro Mina Azul e Terzi Empresas. As espécies, plantadas numa área de 1,4 mil metros quadrados, foram amendoim do mato, monjoleiro, falso pau-brasil, jamelão, cedro rosa, merindiba, jatobá, jenipapo, aroeira, ingá do mato, angico branco, angico preto, tamboril do mato e ipês das variedades Amarelo, Branco, Rosa, Roxo e Verde.

Área de 1,4 mil m², no Parque da Família, recebeu plantio de 120 mudas de 18 espécies nativas.

Vários brindes – camisetas e duas bicicletas – foram sorteados entre os participantes da pedalada. As duas bicicletas foram cedidas pela Brennand Investimentos, empresa responsável pelo Complexo Hidrelétrico Juba I e II. Os felizardos foram Martina Romeiro Alves e Claudinei da Silva Souza.

Leia mais:  Feira da Indústria: Construção Civil e Alimentos são o destaque da mostra

Veja galeria de fotos:

EcoBike 2019 – “Pedalando por uma Tangará mais verde”

Exemplo

Em Tangará da Serra, as árvores são brindadas com redutos importantes em áreas de preservação permanentes (APP’s) e reservas particulares do patrimônio natural (RPPN’s). Um exemplo de preservação de matas nativas está na área das usinas hidrelétricas Juba I e II, UHE’s de responsabilidade da Brennand Investimentos. A empresa mantém no local uma área de 10 mil hectares de densa floresta nativa, num verdadeiro santuário ecológico.

Soltura de animais silvestres em mata nativa do complexo Juba: Santuário ecológico de 10 ml hectares.

O local abriga fauna variada que inclui desde símios, pássaros, répteis e pequenos mamíferos, a animais de maior porte como antas e onças. Em abril do ano passado, a mata nativa mantida pelo Completo de Juba recebeu pássaros e animais silvestres apreendidos em operações do Ibama.

Felizardos: Claudinei da Silva Souza e Martina Romeiro Alves ganharam as bicicletas sorteadas no evento.

 

publicidade

Cidades & Geral

Setor de eventos reivindicará retorno às atividades em reunião nesta 2ª com Executivo

Publicado

Há 10 meses com atividades suspensas em razão da pandemia do novo coronavírus, a classe de produtores de eventos, proprietários de casas de shows, cantores, músicos, seguranças e outros profissionais que atuam no setor deflagraram uma mobilização, com abaixo assinado (imagem acima), para retornarem ao trabalho.

Cerca de 400 pessoas já assinaram o pedido petição e declararam apoio ao movimento, principalmente nas redes sociais. (Ao final do texto, link para participar do abaixo assinado)

Os eventos não são autorizados desde abril do ano passado (à exceção do mês de dezembro, quando houve flexibilização) e os empresários e profissionais que atuam nesse segmento sentem fortemente a crise, já que estão há quase um ano sem trabalho e, por consequência, sem rendimento.

Para tentar reverter o quadro, representantes da categoria terão uma reunião ao final da tarde (18hs) da próxima segunda-feira (15) com o prefeito Vander Masson e as autoridades sanitárias do município.

O objetivo é sensibilizar o poder público e pleitear o retorno às atividades, obedecendo as normas da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar o contágio. “Somente nosso setor não voltou a trabalhar e precisamos retomar nosso trabalho. O setor sofre com esta paralisação e os prejuízos já são grandes. Há demissões, uma situação muito difícil”, disse o representante da categoria, Maurício Escobar, em áudio enviado a uma emissora de rádio da cidade.

Leia mais:  Município promove em novembro o 1º Seminário da Construção Civil

Segmento

Segundo a organização do movimento, o setor reúne mais de 1.000 profissionais, entre trabalhadores diretos e indiretos. Além dos proprietários dos estabelecimentos, o setor congrega músicos, garçons, seguranças, atendentes de copa e bilheteria, profissionais de sonorização e iluminação, decoração, limpeza, jardinagem e serviços em geral, contadores, além de engenheiros para projetos.

A atividade gera impostos e outros tributos nas esferas municipal e estadual e, também, gera renda no setor de comércio e serviços e até mesmo na mídia, com anúncios e propaganda. “A pessoa que vai na balada gasta com roupas, calçados, barbearia, salão de beleza, combustíveis, transporte… Quando tem shows nacionais, atrai pessoas de outras cidades, e aí tem renda para hotéis, restaurantes, enfim…”, observa Dj Djalma, que também está à frente da mobilização.

Comparações

Movimento numa noite de sexta-feira em Tangará da Serra: Com locais de eventos fechados, avenida passou a ser opção.

No áudio veiculado ontem (sexta, 12) na imprensa, Maurício Escobar faz uma comparação com outros segmentos, como a Feira do Produtor e os supermercados. “Não podemos realizar nossos eventos, mas a Feira do Produtor está sempre cheia, com aglomerações. Nada contra a feira, que é uma tradição na cidade, mas é algo a ser pensado. E nos supermercados? Aos sábados estão sempre lotados…”, disse, questionando se há fiscalização quanto ao cumprimento da norma que estabelece apenas metade da capacidade de lotação nestes estabelecimentos.

Leia mais:  Feira do Empreendedor 2019 reúne oportunidades para todos os públicos

Sobre as aglomerações, Escobar destacou no mesmo áudio que as pessoas acabam procurando outros locais – como a Avenida Brasil – porque os estabelecimentos de eventos não podem funcionar.

O Executivo não se manifestou sobre a reunião, que está confirmada pela assessoria e acontecerá no auditório da prefeitura, às 18hs de segunda-feira.

Link para participar do abaixo-assinado: http://chng.it/76RvjtDGqq

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana