conecte-se conosco


Cidades & Geral

Cesta Básica: Acompanhamento e informação serão estratégias do Procon para coibir eventuais abusos nos preços

Publicado

Informação e acompanhamento junto a comerciantes e consumidores compõem a estratégia da Coordenadoria de Defesa do Consumidor (Procon), poder público municipal e entidades empresariais ligadas ao varejo e à indústria para evitar quaisquer abusos na comercialização de produtos da cesta básica em Tangará da Serra.

Foi este o teor de reunião na manhã desta quinta-feira, no auditório da prefeitura de Tangará da Serra, para discutir a disparada dos preços de produtos como arroz, feijão e óleo de soja.

A reunião foi coordenada pela chefe do Procon de Tangará da Serra, Ana Flávia Vieira Barbosa, com participação de representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Associação Empresarial de Tangará da Serra (ACITS), da secretária municipal de Administração, Maria das Graças Souto, do secretário de Indústria, Comércio e Serviços do município, Wellington Bezerra, e empresários ligados ao setor de indústria e comércio de alimentos.

Durante a reunião, houve consenso de que a disparada de preços não tem como vilões o varejo e o atacado e, sim, uma conjuntura de mercado. Segundo os participantes, uma das medidas para minimizar os efeitos da alta dos preços está ligada à tributação dos produtos.

Leia mais:  Feira do Centro oferece um riquíssimo alimento conhecido pelo homem há 6 mil anos

Ontem (quarta, 09), o governo federal decidiu zerar o imposto sobre importação do arroz em casca até 31 de dezembro. A redução do ICMS sobre os produtos da cesta básica poderia ser outra medida para compensar a alta. “Mas não tenho visto nenhuma sinalização por parte do governo”, disse o secretário Wellington Bezerra.

Conjuntura

Esta semana, o presidente Jair Bolsonaro e a ministra da Agricultura e Pecuária, Tereza Cristina, negaram qualquer possiblidade de intervenção do governo nos preços e que é convicção no Planalto de que a majoração é um efeito particular de um momento distinto do mercado.

Os fatores se devem aos aumentos da demanda internacional de alimentos – em grande parte pela pandemia do novo coronavírus – e do consumo interno em decorrência do auxílio emergencial. O presidente e a ministra acreditam que os preços voltarão ao normal nos próximos meses.

Nesta quinta-feira (10), o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, disse que a alta de preços de alimentos, como o arroz, é “transitória e localizada” e não traz risco para o controle da inflação. “A inflação é uma alta generalizada e recorrente. O aumento que estamos vendo agora não é generalizado, mas localizado em alguns produtos da cesta básica. Vai durar alguns meses e depois retorna à normalidade”, disse Sachsida, em entrevista à imprensa.

Leia mais:  Aeroporto Regional: “Previ isso ano passado”, disse Mendes, sobre falta empreiteiras no MT

publicidade

Cidades & Geral

Feira do Centro oferece um riquíssimo alimento conhecido pelo homem há 6 mil anos

Publicado

Entre tantos produtos de destaque da Feira do Produtor do Centro, o leite natural é um deles. Este produto de origem animal e seus derivados, integram um grupo de alimentos essenciais na alimentação. É rico em cálcio e proteínas e, também, é importante fonte de fósforo, potássio, sódio e vitaminas.

O leite faz parte da alimentação das pessoas já na infância, compondo a dieta humana há 6.000 anos, desde o período Neolítico (idade da pedra polida), quando o homem se sedentarizou.

Segundo especialistas em nutrição, o consumo de leite é importante em todas as idades, pois contém cálcio, com alta biodisponibilidade. Faz bem aos ossos e ao coração, previne a depressão e auxilia no crescimento, ajuda na formação da massa muscular e contribui para perda de peso nos casos em que a balança aponta excesso.

Valdeci, com a esposa Cleide: Tradição na produção e comercialização de leite natural e derivados.

Seu consumo adequado ao longo da vida permite manter a densidade óssea, protegendo contra doenças como a osteoporose. De quebra, contribui para a qualidade do sono, controla a diabetes, hidrata o organismo, melhora a pressão arterial e regula a flora intestinal.

Leia mais:  Aeroporto Regional: “Previ isso ano passado”, disse Mendes, sobre falta empreiteiras no MT

Não é verdade que o leite de vaca contém hormônios injetados no animal. O leite natural é, isso sim, um alimento completo, absolutamente saudável e muito bem aceito pelas crianças.

É ingrediente fundamental da gastronomia, compondo diversas receitas. Veja no link: https://www.receitasnestle.com.br/blog-post/receitas-com-leite.

Onde

Na Feira do Centro, o leite natural e seus derivados são destaque Box-81, de Valdeci Ferraz Aquino e família. Com propriedade no Acampamento (Linha 12), Valdeci, preside a Associação dos Feirantes e é o gestor do mercado público. Em seu box, ele comercializa, além do leite natural, derivados como queijos, doce pastoso, doce em cubos, nata e a tradicional ‘cachorrada’, um delicioso doce semelhante à ambrosia, porém sem ovos.

O leite natural e os queijos também podem ser encontrados nos boxes 5-A (Pedro José de Freitas), 6-A (Neide Cristina), 9-A (Flávio e Sandra Freitas), 10-A (Sônia Freitas) e 51-A (Fábio Hipólito), todos com propriedades no Córrego das Pedras. Nos boxes 20-A e 51-A, Osvaldir Bandiera e Edson Cabral de Souza também oferecem leite e queijos vindos do Acampamento e da Gleba Bandeirantes.

Leia mais:  Estrada entre Arenápolis e Nortelândia será duplicada; Licitação já lançada pelo Governo

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana