conecte-se conosco


Economia & Mercado

SISE/MT credencia estabelecimentos para comercialização em outros estados

Publicado

As empresas do ramo agropecuário que estiverem registradas no Serviço de Inspeção Sanitária Estadual de Mato Grosso (SISE/MT) tem a oportunidade de ampliar a comercialização de seus produtos. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) reconheceu a equivalência do SISE/MT, na categoria abatedouro-frigorífico e fábrica de laticínios, ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA).

“Isso significa que os estabelecimentos registrados no SISE podem comercializar seus produtos em todo o território nacional. Até então, o comércio ficava restrito ao território estadual, conforme estabelecido na Lei Federal 7.889/89”, explica Fernanda Rocco, coordenadora do CISPOA no Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (INDEA MT).

O INDEA MT já possuía o reconhecimento de equivalência para a categoria de fábrica e entreposto de cárneos desde 2017. “De forma gradativa, a equipe do INDEA MT vem trabalhando para incluir novas categorias atendendo à demanda dos empresários”, diz Luiz Fernando Flamínio, presidente do Instituto.

De acordo com a coordenadora Fernanda Rocco, a ampliação proporcionará um maior incremento no desenvolvimento da cadeia agropecuária de Mato Grosso. “Haverá mais vagas de empregos por causa do aumento da produção nas indústrias, fortalecendo os pequenos e médios empresários. O consumidor também ganhará com o aumento da diversidade de produtos e com garantia de qualidade e inocuidade”, afirma.

Leia mais:  Etanol: Governo afirma que aumento nos postos não tem relação com a LC 631/19

(Assessoria SEDEC-MT)

publicidade

Economia & Mercado

Segundo Fecomércio, décimo terceiro injetará R$ 2 bilhões na economia de Mato Grosso

Publicado

Um volume de recursos significativo – cerca de R$ 2 bilhões – circulará pela economia mato-grossense por conta do 13º salário. É o que prevê a Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso (Fecomércio-MT).

A entidade tem uma projeção positiva para este ano e destaca que o avanço da vacinação proporcionou a retomada da economia, quadro que permite uma estimativa de que mais de R$ 2 bilhões serão injetados na economia de Mato Grosso com o pagamento do décimo terceiro.

Estudo

Um estudo prévio da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá identificou que ao receber a primeira parcela do décimo terceiro as pessoas vão priorizar o pagamento das dívidas, outros vão preferir pagar conta e economizar o dinheiro extra.

Pagar dívidas – 32,2%; Fazer novas compras – 23,8%; Economizar 21,7%

“Quem tiver dívida, o ideal é renegociar e pagar esses valores. As pessoas pagando suas dívidas diminuirá a inadimplência e os juros do crédito também devem cair, uma vez que a inadimplência é um dos principais fatores que elevam a taxa de juros”, disse o economista Emanuel Dalbian.

Leia mais:  Risco de crise energética justifica investimentos em hidrelétricas; Região tem seis projetos

O levantamento da CDL mostra ainda que a última parcela do décimo terceiro, que costuma sair perto do Natal, será usada pela maioria dos entrevistados para comprar presentes. Mas, é preciso ficar atento com as tentações.

Segundo o economista, a dica é fazer cálculos e ficar de olho nos juros cobrados pelo cartão de crédito.

(Com informações de G1)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana