conecte-se conosco

Cidades & Geral

PMSB: Ampliação da oferta de água, tratamento de esgoto e microdrenagem são prioridades de curto prazo

Publicado

Ampliações da oferta de água e do sistema de tratamento de esgoto, manutenção da rede de drenagem de águas pluviais estão entre as prioridades imediatas na área de saneamento básico em Tangará da Serra.

É o que aponta o relatório final do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), apresentado na última audiência pública sobre o tema, realizada na última quinta-feira (28), no anfiteatro do Centro Cultural.

O estudo foi promovido pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE) ao longo do ano passado, com equipe técnica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Fundação Uniselva.

Água

Segundo o coordenador dos estudos, professor Aldecy de Almeida Santos, da UFMT, a infraestrutura de abastecimento do município é de “ótima qualidade”, mas em razão do crescimento populacional e da estrutura urbana a ampliação do sistema de captação de água é a principal demanda do município (prioridade imediata), com a solução principal sendo a captação e adução de água do rio Sepotuba para abastecimento público.

Coordenador dos estudos, professor Aldecy de Almeida Santos, da UFMT.

Uma prioridade para curto prazo (até três anos) é a macromedição da saída de água dos reservatórios do município para fins de controle e combate às perdas, que chegam a 30% do total de água tratada, índice considerado alto e que corresponde a uma das deficiências do sistema de abastecimento.

Leia mais:  Anel Viário recebe paliativo com solo-cimento; Trabalho é realizado em parceria com associação

Segundo o diretor do SAMAE, Wesley Lopes Torres, o município iniciará ainda este ano as obras do sistema de captação de água junto ao Sepotuba. “Já estamos licitando parte do sistema, que é a tubulação. Os recursos já estão na conta e temos dotação aprovada pela Câmara”, disse.

Esgoto

Quanto ao tratamento de esgoto, o relatório do PMSB indica a necessidade de retomada de obras de ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e da rede coletora. Atualmente, o município conta com um índice de 32% de cobertura da área urbana.

Segundo Wesley Lopes Torres, o município também já licita obras com recursos federais na ordem de R$ 25 milhões para ampliação na rede coletora e estações elevatórias, o que proporcionará um salto do índice de cobertura para 92% da área urbana.

Drenagem

A manutenção preventiva e corretiva do sistema de microdrenagem urbana e a adequação de estradas vicinais e vias urbanas também estão entre as prioridades de curto prazo definidas no PMSB.

Segundo o professor Aldecy de Almeida Santos, as áreas urbana e rural de Tangará da Serra possuem cerca de 20 microbacias que favorecem a recepção das águas pluviais escoadas. No caso da área urbana, há boa estrutura de drenagem, mas com limitações importantes. “O sistema dispõe de galerias, mas elas contém muitos resíduos, o que indica necessidade de manutenção”, disse.

Leia mais:  Em Tangará da Serra, academias e igrejas poderão retomar atividades a partir do dia 16

Resíduos sólidos

A gestão dos resíduos sólidos é um dos quatro eixos do PMSB, ao lado do abastecimento de água, tratamento de esgoto e drenagem de águas pluviais.

O professor Aldecy avalia como “muito boa” a gestão de resíduos sólidos em Tangará da Serra. “O aterro sanitário é referência, restando apenas algumas licenças dos órgãos ambientais”, disse o pesquisador.

A destinação dos resíduos para aterro sanitário é uma das “forças” do sistema na cidade, ao lado da coleta seletiva e do índice de 98% de cobertura da coleta de lixo na área urbana. A existência de ecopontos e o serviço de limpeza urbana também são apontados como aspectos positivos.

publicidade

Cidades & Geral

Executivo autoriza reabertura do Camelódromo e bebidas alcoólicas poderão ser vendidas sem consumo no local

Publicado

O Executivo Municipal anunciou agora, no início da tarde, a autorização para reabertura do Camelódromo em Tangará da Serra, assim como a permissão para venda de bebidas alcoólicas, porém sem estarem geladas e não podendo serem consumidas no local. (Veja pronunciamento do prefeito Fábio Martins Junqueira no link ao final da matéria)

As flexibilizações constam no Decreto 307, com data desta terça-feira (14) e se somam às já anunciadas permissões de retomada das atividades em academias e cultos e missas presenciais em igrejas.

Veja decreto no link abaixo:

https://www.tangaradaserra.mt.gov.br/fotos_downloads/38703.pdf

O decreto flexibiliza setores comerciais mediante a adoção obrigatória de medidas de segurança, fundamentais no combate ao novo coronavírus, estabelecendo dessa forma, nesses estabelecimentos, planos de contingenciamento para o seu devido funcionamento, a fim de evitar contágio por COVID-19.

A proibição de consumo de bebidas alcoólicas em restaurantes, lanchonetes e bares, porém, perdura, mas a comercialização fica autorizada no âmbito municipal, em supermercados ou distribuidoras, desde que não seja consumida no local e nem vendida gelada.

Leia mais:  Golpistas clonam contas de WhatsApp para pedir dinheiro; Vereadora de Tangará da Serra é vítima

Atividades em ginásios, estádios e academias ao ar livre, assim como circulação de pessoas em parques – como o Borque Municipal – também seguem vedadas.

O Prefeito Fábio Junqueira anunciou a flexibilização de setores comerciais, permitindo a reabertura do camelô e de…

Posted by Prefeitura Municipal de Tangará da Serra on Tuesday, July 14, 2020

 

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana