conecte-se conosco


Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: As ‘novas’ feiras, Carne Carbono Neutro e ESG não os destaques da semana

Publicado

As grandes feiras agropecuárias e tecnológicas se reinventando. A pecuária de corte no sistema ILPF e o selo “Carne Carbono Neutro” se apresentam como novas tendências. A JBS supera a Petrobrás como empresa de maior faturamento no Brasil. As oportunidades oferecidas pelo ESG, governança e plantio em faixas de domínio.

Estes são os destaques da edição desta semana do Momento Agrícola, programa radiofônico semanal produzido e apresentado pelo produtor rural, engenheiro agrônomo e consultor Ricardo Arioli Silva e veiculado semanalmente pela rede de rádios do Agro e pelo Enfoque Business. (Link do programa ao final da matéria)

Reinvenção das Feiras

Sobre as feiras, a pandemia acabou criando um novo e moderno formato que deverá se consolidar mesmo após a superação da crise provocada pelo novo coronavírus. Um exemplo é a tradicional Expointer, no Rio Grande do Sul.

Considerada uma das feiras agropecuárias mais tradicionais da América Latina, a Expointer precisou se adaptar ao novo ‘normal’ imposto pela pandemia. A saída encontrada pelo governo do Rio Grande do Sul e pelas entidades organizadoras foi levar o evento para o ambiente digital. (Veja tela da versão digital abaixo)

(https://www.expointerdigitalagro.com.br/)

A feira começou ontem (sábado, 29) com a venda de máquinas dentro do site oficial da Expointer. O presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers), Claudio Bier, conta que a plataforma online vai atender os produtores rurais sem que eles tenham que sair de casa.

Na plataforma digital, o visitante vai encontrar os expositores, navegar pelas diferentes marcas e conversar com os vendedores por meio de um chat ou em salas de reunião virtual.

Neste novo formato, o presidente do Simers espera que o setor supere os negócios realizados na Expointer de 2019, que totalizaram R$ 2,3 bilhões.

Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

CCN

Desenvolvida pela Embrapa, a Carne Carbono Neutro (CCN) é uma certificação do gado criado em sistemas de integração do tipo silvipastoril (pecuária-floresta) ou agrossilvipastoril (lavoura-pecuária-floresta, ILPF). Nesses sistemas, as árvores neutralizam ou absorvem o metano entérico, exalado pelos animais e um dos principais gases causadores do efeito estufa.

Agora, produtos Carne Carbono Neutro chegarão ao consumidor brasileiro, por meio da linha de cortes de carne Viva, em parceria com a Marfrig. A compensação é assegurada a partir da certificação e verificação por auditorias independentes. A Marfrig é o primeiro frigorífico do país a lançar uma linha de produtos desse tipo.

Ricardo Arioli faz uma abordagem precisa sobre o assunto ainda no primeiro bloco do Momento Agrícola.

Faturamento

Aproveitando o ‘gancho carne’, Arioli destaca o ineditismo da perda da liderança da Petrobrás como empresa de maior faturamento no Brasil. No segundo trimestre deste ano (abril, maio e junho), a JBS superou a Petrobrás em faturamento, alcançando R$ 67,6 bilhões, um percentual 32,9% maior que o mesmo período do ano passado.

Enquanto isso, a Petrobrás sofreu uma retração de 30% em seu faturamento, que no segundo trimestre deste ano foi de R$ 50,9 bilhões. O motivo da queda foi justamente a crise provocada pelo novo coronavírus (redução drástica do consumo de combustíveis) e o cenário de preços do barril de petróleo, onde se inclui, além da pandemia, a concorrência internacional, especialmente entre a Arábia Saudita e a Rússia.

A carne, como produto indispensável no setor de alimentação, é uma commodity das mais valiosas no mercado internacional. “A carne representa um setor do Agro de grande valor agregado”, considerou Ricardo Arioli.

ESG

Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

Outro assunto de relevância na edição do Momento Agrícola desta semana é o ‘ESG’, uma sigla que vem sendo incorporada à nova realidade do Agro. É um termo que está sendo cada vez mais utilizado por consultores financeiros, bancos e fundos de investimento para avaliar empresas de acordo com seus impactos e desempenho em três áreas: meio ambiente, sociedade e governança.

Melhores práticas ambientais, sociais e de governança (ESG – environmental, social and governance -, na sigla em inglês) vêm recebendo atenção mundial por estarem associadas a negócios sólidos, baixo custo de capital e melhor resiliência contra riscos associados a clima e sustentabilidade.

Neste contexto, há de se destacar a presença no Brasil da empresa americana BlackRock, que está à frente de um fundo de gestão com uma carteira de clientes de US$ 7 trilhões e presença em mais de 100 países.

Nesta edição do Momento Agrícola, Ricardo Arioli destaca o ESG que pode, na verdade, se configurar numa grande oportunidade para o Agro brasileiro, em todos os seus setores, e cita como exemplos as empresas produtoras de insumos e as traders que operam na modalidade ‘barter’ com soja, milho e algodão. “Podemos fazer deste limão uma limonada, topar o desafio e mostrar nossa sustentabilidade e a gestão das nossas propriedades. As informações que temos nos indicam que podemos ser os primeiros no ranking mundial de ESG”, observou o produtor e apresentador do Momento Agrícola.

Outras

O Momento Agrícola desta semana contém outros três blocos com mais notícias comentadas e abordagens específicas, como a ‘Sucessão Familiar em Risco, sem Transição’, com Carlos Ortiz, e ‘Plantar em Faixa de Domínio exige Licenças’, com Dr. Albenir Querubini.

Para ouvir o Momento Agrícola na íntegra, clique abaixo:

publicidade

Agronegócio & Produção

Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

Publicado

A Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), em parceira com o Sindicato Rural, realizará a partir desta sexta-feira (01.07), quatro Dias de Campo em Tangará da Serra.

Ao todo serão realizados 100 dias de campo em todo o estado. Os encontros iniciaram e junho e seguem até o dia 14 de julho, com o objetivo de divulgar os resultados já obtidos nas propriedades e reunir os produtores rurais atendidos. Por dia, até nove eventos serão realizados de forma simultânea pelo estado abrangendo as mais diversas cadeias produtivas atendidas pela ATeG em Mato Grosso. Dentre elas estão pecuária de leite, pecuária de corte, olericultura, piscicultura, fruticultura, floricultura, ovinocultura, apicultura etc.

Em Tangará da Serra, de acordo com o Supervisor da ATeG Senar, Thiago Salapata, os Dias de Campo iniciam nesta sexta-feira, dia 1º de julho, com “Bovinocultura de leite” e segue no sábado, 2, com ‘Floricultura’. Na segunda e terça-feira, dias 4 e 5, serão realizados os outros dois eventos, tratando sobre ‘Olericultura’ e ‘Fruticultura’.

Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

“Tangará da Serra contém essas quatro cadeias já sendo assistidas pela Assistência Técnica e será presenteada com esses Dias de Campo”, afirma,

ao destacar que em todos os dias, além de temas específicos relacionados a cadeia, falarão também sobre primeiros socorros na zona rural.

“Em todos os Dias de Campo temos uma estação específica, que são os primeiros socorros, que a gente viu a necessidade no campo, pois muitas vezes os cuidados iniciais que possam ser feitos, aumentam as chances de a pessoa chegar com vida até o socorro médico ou evita um agravamento maior por causa de algum acidente com animais peçonhentos, algum envenenamento na propriedade que possa ocorrer, por exemplo”.

As atividades serão realizadas em propriedades rurais atendidas pela Assistência Técnica e Gerencial. A participação é aberta ao público e destinado a todos os produtores rurais – mesmo que não sejam atendidos pela ATeG – profissionais da área, parceiros e estudantes. Os interessados devem procurar o Sindicato Rural.

  • Data: 01/07 (sexta-feira):
Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

DIA DE CAMPO “BOVINOCULTURA DE LEITE”

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Sítio São Gabriel/ Gleba São Paulo

 

  • Data: 02/07 (sábado)

DIA DE CAMPO FLORICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Chácara Imperial/ Comunidade São José

 

  • Data: 04/07 (segunda-feira)

DIA DE CAMPO OLERICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Chácara Santo Expedito/ Comunidade São José

 

  • Data: 05/07 (terça-feira)

DIA DE CAMPO FRUTICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Sítio Dois Irmãos/ Comunidade Córrego das Pedras

 

(Fonte: Sindicato Rural de Tangará da Serra e Diário da Serra)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana