conecte-se conosco


Saúde Pública

Ministério da Saúde não divulga casos de cura do COVID-19; Tamanho da pandemia é incógnita

Publicado

O Ministério da Saúde está deixando de fora dos seus boletins diários sobre a pandemia coronavírus os casos de cura clínica da moléstia. Os números de curas são divulgados apenas pelas secretarias estaduais de Saúde, mas não incluem a contabilização geral pela pasta federal, ao menos quando das divulgações.

As informações divulgadas na imprensa em todo o país ocorrem através de matérias isoladas, ao passo que deveria conter um dado geral com a taxa de cura/recuperação (trata-se de dado positivo), assim como é divulgada a taxa de letalidade (dado negativo).

Esta semana, o Enfoque Business publicou sobre a ocorrência de 20% de cura clínica em relação ao total de casos confirmados em Mato Grosso. (link: http://enfoquebusiness.com.br/covid-19-indice-de-cura-e-perto-de-20-no-mt-lucas-do-rio-verde-informa-primeiro-obito-no-estado/)

Na matéria, veiculada pelo portal no dia 03/04, consta que em Mato Grosso, segundo a Secretaria de Estado de Saúde, 09 pacientes acometidos pela COVID-19 tiveram cura clínica. Destes, seis são de Cuiabá e três de Rondonópolis). “Acrescentando estes pacientes curados aos 41 casos infectados, as recuperações representam 18%. Já o óbito registrado representa uma taxa de letalidade de 2,43% ante o número de infestados”, consta no texto.

Leia mais:  MT recebe 181 mil doses de vacina hoje e amanhã; Tangará da Serra imuniza maiores de 22

Em outros estados também há registros na imprensa sobre pacientes que alcançaram a cura da COVID-19. Há registros, por exemplo, da cura de uma paciente de 97 anos, no estado de Pernambuco. No Rio Grande do Sul, o Correio do Povo divulgou neste domingo matéria onde consta a cura de 50 pacientes, o que representa uma taxa de recuperação de 20% sobre o número de infectados (240) na capital gaúcha.

Curva ascendente

Por outro lado, o diretor do Instituto Butantan e membro do Comitê de Contingência do Coronavírus, Dimas Covas, disse na última sexta-feira (03) que o tamanho da epidemia de covid-19 no país será percebido já nas próximas semanas.

“Nas duas ou três semanas vamos conhecer exatamente o tamanho dessa epidemia. Estamos no começo dela e vamos saber nessas próximas semanas se vamos encontrar um ‘Everest’ ou um monte mais suave”, disse ele.

Amostras paradas

Mandetta: “Vamos ter megamáquinas automatizadas e estes números vão crescer muito”.

A crescimento mais intenso dos números da pandemia se dará, principalmente pelas testagens que até então estão represadas nos laboratórios de todo o país. Segundo afirmou semana passada o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Ele disse (segundo matéria publicada pelo Enfoque Business na última quarta-feira (01/04) que a testagem que está represada passará a ser feita com máquinas em automático. “Vai chegar uma hora que vamos ter megamáquinas automatizadas e estes números vão crescer muito”, adiantou o ministro.

Leia mais:  COVID-19: MT tem cura em mais da metade; País avança 5% em casos e óbitos; Quadro inalterado em Tangará

Mandetta destacou, na ocasião, que o aumento de casos confirmados levará a um resultado matemático que será a queda na taxa de letalidade da pandemia. (Link da matéria: http://enfoquebusiness.com.br/mandetta-agilidade-na-testagem-fara-subir-numeros-de-casos-confirmados-de-covid-19/)

Entre quinta e sexta-feira passadas, São Paulo (epicentro da pandemia no país) conseguiu analisar mais 87 amostras de pessoas que morreram no estado com suspeita de coronavírus e cujo exame estava parado, aguardando resultado. Do total de analises, 26 deram diagnóstico positivo para o novo coronavírus. Ontem já haviam sido analisadas 93 do total de 201 amostras que estavam paradas. Com isso, até este momento, São Paulo conseguiu analisar 180 dessas amostras.

publicidade

Saúde Pública

Tangará da Serra divulga 1ª lista de crianças de 5 a 11 anos para vacinação

Publicado

A Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra divulgou na tarde desta quinta-feira, dia 20/01, a 1ª Lista de Convocação de crianças com idade entre 05 e 11 anos, com comorbidade ou deficiência permanente, para receberem a vacina contra a COVID-19.

A vacinação ocorrerá entre as 8h e as 10h30 da manhã desta sexta-feira, dia 21/01, na Escola Especial Raio de Sol (APAE).

A secretária municipal de Saúde, Gicelly Zanatta, explica que nesta primeira etapa serão vacinadas as crianças atendidas pela APAE e outras 40 crianças cujos nomes estão na lista ao final do texto.

Documentos necessários

Para vacinar as crianças, os pais devem ficar atentos aos documentos necessários:
– Cartão de vacinação da criança;
– Comprovante da comorbidade (pode ser laudo, receituário, pedido médico de vacina);
– Documento de identificação da criança (pode ser a certidão de nascimento ou RG) ;
– CPF ou cartão SUS;
– Documento do adulto comprovando que é responsável legal pela criança.

Xepa

Leia mais:  Covid-19: Tangará da Serra retorna para risco baixo; Cabaçal e Salto do Céu sob alto risco

A Secretaria de Saúde também passará a adotar uma “xepa” para atender o máximo possível de crianças com a vacinação. “Caso haja alguma criança, que não está nesta lista, que tenha alguma comorbidade ou deficiência permanente e que possa ir na APAE das 8h às 10h30, mesmo que não tenha cadastro, que faremos uma xepa para atender essas crianças”, disse.

(Assessoria de Comunicação)

Veja a lista:

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana