conecte-se conosco


Agronegócio & Produção

Mercado chinês deverá representar negócios de US$ 4,5 milhões/ano em queijos

Publicado

A cadeia produtiva de lácteos comemora a abertura do mercado chinês para os produtos brasileiros. A expectativa do setor é exportar US$ 4,5 milhões em queijos, mas os negócios deverão envolver leite condensado e leite em pó.

A abertura do mercado do gigante asiático foi sacramentada em julho deste ano, após visita da ministra Tereza Cristina ao país. Os negócios prospectados representam grande alento ao setor brasileiros de produtos lácteos.

Segundo a Viva Lácteos – Associação Brasileira de Laticínios – em 2018, a China importou 108 mil toneladas em queijos. A importação do produto pelos chineses, segundo a entidade, tem crescido a uma taxa média anual de 13% nos últimos cinco anos.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), as exportações brasileiras de queijos cresceram 65,2% nos últimos três anos. Antes da abertura do mercado chinês, o setor já vinha investindo no ingresso dos produtos na China, por meio da participação em feiras.

Impacto e política

A abertura do mercado chinês para produtos lácteos brasileiros e o acordo comercial com a União Europeia (que estabeleceu cotas para entrada de produtos lácteos do bloco europeu no Brasil com isenção de tarifas de importação) foram tema de debate na semana passada na Comissão de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados.

Parlamentar salienta que é preciso definir logo no país uma política agrícola direcionada ao pequeno produtor rural.

Segundo o deputado federal Celso Maldaner (MDB-SC), que compõe a comissão, os chineses habilitaram 24 estabelecimentos brasileiros para exportação de produtos como leite em pó e queijos. “Essa abertura pode gerar impacto positivo para a cadeia produtiva do leite, que atualmente passa por um momento de enormes dificuldades, e envolve, aproximadamente, 1,2 milhão de pequenos produtores”, avalia.

Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

Por outro lado, o parlamentar salienta que é preciso definir logo no país uma política agrícola direcionada ao pequeno produtor rural, ou o país poderá perder até 500 mil produtores familiares nos próximos cinco anos.

Maldaner destaca que o acordo com a União Europeia vai facilitar a entrada de produtos lácteos europeus no País e ” exigir da cadeia de produção brasileira um salto de qualidade e competitividade jamais visto, e poderá demandar um grande investimento em tecnologia e desenvolvimento de novas técnicas produtivas”, afirmou.

publicidade

Agronegócio & Produção

Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

Publicado

A Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), em parceira com o Sindicato Rural, realizará a partir desta sexta-feira (01.07), quatro Dias de Campo em Tangará da Serra.

Ao todo serão realizados 100 dias de campo em todo o estado. Os encontros iniciaram e junho e seguem até o dia 14 de julho, com o objetivo de divulgar os resultados já obtidos nas propriedades e reunir os produtores rurais atendidos. Por dia, até nove eventos serão realizados de forma simultânea pelo estado abrangendo as mais diversas cadeias produtivas atendidas pela ATeG em Mato Grosso. Dentre elas estão pecuária de leite, pecuária de corte, olericultura, piscicultura, fruticultura, floricultura, ovinocultura, apicultura etc.

Em Tangará da Serra, de acordo com o Supervisor da ATeG Senar, Thiago Salapata, os Dias de Campo iniciam nesta sexta-feira, dia 1º de julho, com “Bovinocultura de leite” e segue no sábado, 2, com ‘Floricultura’. Na segunda e terça-feira, dias 4 e 5, serão realizados os outros dois eventos, tratando sobre ‘Olericultura’ e ‘Fruticultura’.

Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

“Tangará da Serra contém essas quatro cadeias já sendo assistidas pela Assistência Técnica e será presenteada com esses Dias de Campo”, afirma,

ao destacar que em todos os dias, além de temas específicos relacionados a cadeia, falarão também sobre primeiros socorros na zona rural.

“Em todos os Dias de Campo temos uma estação específica, que são os primeiros socorros, que a gente viu a necessidade no campo, pois muitas vezes os cuidados iniciais que possam ser feitos, aumentam as chances de a pessoa chegar com vida até o socorro médico ou evita um agravamento maior por causa de algum acidente com animais peçonhentos, algum envenenamento na propriedade que possa ocorrer, por exemplo”.

As atividades serão realizadas em propriedades rurais atendidas pela Assistência Técnica e Gerencial. A participação é aberta ao público e destinado a todos os produtores rurais – mesmo que não sejam atendidos pela ATeG – profissionais da área, parceiros e estudantes. Os interessados devem procurar o Sindicato Rural.

  • Data: 01/07 (sexta-feira):
Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

DIA DE CAMPO “BOVINOCULTURA DE LEITE”

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Sítio São Gabriel/ Gleba São Paulo

 

  • Data: 02/07 (sábado)

DIA DE CAMPO FLORICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Chácara Imperial/ Comunidade São José

 

  • Data: 04/07 (segunda-feira)

DIA DE CAMPO OLERICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Chácara Santo Expedito/ Comunidade São José

 

  • Data: 05/07 (terça-feira)

DIA DE CAMPO FRUTICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Sítio Dois Irmãos/ Comunidade Córrego das Pedras

 

(Fonte: Sindicato Rural de Tangará da Serra e Diário da Serra)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana