conecte-se conosco

Economia & Mercado

De 03 a 13 de setembro, Semana do Brasil aquecerá o comércio e incentivará sentimento patriótico

Publicado

O comércio de Tangará da Serra, de todo o estado e do país, terá movimentação especial de 03 a 13 de setembro, com promoções, variedade e qualidade. Será a Semana do Brasil, projeto do Governo Federal lançado em 2019 com o objetivo de alavancar a economia e, de quebra, fortalecer o sentimento patriótico na população.

A Semana do Brasil é organizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. Em Tangará da Serra, a adesão é através da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), entidade que congrega mais de 700 empresas do município e da região anexa.

Ano passado a Semana do Brasil foi um grande sucesso de vendas. Já este ano 2020 o significado é mais amplo, combinando o sentimento patriótico com o objetivo de unir todo o comércio e o varejo para uma ação que garanta o aquecimento das vendas e a movimentação da economia, confrontando a pandemia do novo coronavírus, que levou o país a uma recessão sem precedentes.

Para este ano, a Semana do Brasil ganha o apoio da Prefeitura Municipal de Tangará da Serra, que por sua vez avalia a possibilidade de conceder horário especial aos estabelecimentos para, de maneira facultativa, manterem suas portas abertas nos dias sábados – dias 05 e 12 – até às 18hs.

Leia mais:  Fundo de Desenvolvimento Econômico apoiará programas e projetos de empreendedores em MT

No período, os estabelecimentos participantes adotarão decoração verde amarela, em alusão ao 07 de setembro, dia da Independência. Os descontos e as promoções são de livre definição dos estabelecimentos participantes.

O presidente da CDL Tangará da Serra, Alessandro Rodrigues Chaves, avalia a ação como positiva neste momento diferenciado da economia. “Vamos buscar uma nova realidade, com a retomada responsável e com segurança do comércio, da economia e dos empregos. Temos uma expectativa de incrementar as vendas em pelo menos 10% no varejo”, disse Alessandro.

Informações adicionais:

A ‘Semana do Brasil’ vai de 3 a 13 de setembro, usando nos estabelecimentos as cores verde e amarelo e realizando promoções. Basta acessar o site http://semanadobrasil.com/semana-do-brasil-2020-semana-do-brasil-saiba-tudo-sobre-os-descontos-e-as-lojas-participantes-3/ e cadastrar a sua empresa.

Para incrementar a decoração da loja os empresários podem baixar as peças oficiais do evento no link https://www.participesemanabrasil.com.br/.

(Assessoria CDL)

publicidade

Economia & Mercado

Brasil deverá ter moeda digital emitida pelo Banco Central; Setor privado será consultado

Publicado

O Brasil poderá ter uma moeda digital emitida pelo Banco Central (BC), como uma extensão da moeda física. O BC anunciou, hoje (24), em Brasília, as diretrizes para a criação da moeda no país.

Em nota, a instituição disse que “tem promovido discussões internas e com seus pares internacionais visando ao eventual desenvolvimento” da moeda. Segundo o BC, a moeda deve “acompanhar o dinamismo da evolução tecnológica da economia brasileira”.

O coordenador dos trabalhos sobre a moeda digital do Banco Central, Fabio Araujo, explicou a moeda digital será diferente das criptomoedas. “Os criptoativos, como o Bitcoin, não detém as características de uma moeda mas sim de um ativo. A opinião do Banco Central sobre criptoativos continua a mesma: esses são ativos arriscados, não regulados pelo Banco Central, e devem ser tratados com cautela pelo público”, disse.

Ele acrescentou que a moeda será garantida pelo Banco Central e a instituição financeira vai apenas guardar o dinheiro para o cliente que optar pela nova modalidade.

Diretrizes

Entre as diretrizes estão a ênfase na possibilidade de desenvolvimento de modelos inovadores a partir de evoluções tecnológicas, como contratos inteligentes (smart contracts), internet das coisas (IoT) e dinheiro programável; a previsão de uso em pagamentos de varejo; e a capacidade para realizar operações online e eventualmente operações offline.

Leia mais:  Reestruturação: Banco do Brasil deverá fechar agências em Alto Paraguai, Denise e Nortelândia

A distribuição ao público será intermediada por custodiantes do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB), sem remuneração às instituições financeiras pelo BC.

Também deverá ser garantida a “segurança jurídica em suas operações” e a “aderência a todos os princípios e regras de privacidade e segurança determinados, em especial, pela Lei Complementar nº 105, de 2001 (sigilo bancário), e pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais”.

De acordo com o Banco Central, a tecnologia de criação da moeda deve “seguir as recomendações internacionais e normas legais sobre prevenção à lavagem de dinheiro, ao financiamento do terrorismo e ao financiamento da proliferação de armas de destruição em massa, inclusive em cumprimento a ordens judiciais para rastrear operações ilícitas”. A moeda também deve permitir pagamentos em outros países.

Cronograma

Na nota, o BC diz ainda que é preciso aprofundar a discussão com o setor privado antes de definir um cronograma de implementação da moeda. “O diálogo com a sociedade permitirá uma análise mais detalhada não apenas de casos de usos que possam se beneficiar da emissão de uma CBDC [sigla em inglês referente a Central Bank Digital Currencies, moedas digitais emitidas pelos bancos centrais], como também das tecnologias mais adequadas para sua implementação”.

Leia mais:  Semana do Brasil: Em verde e amarelo e horário especial, comércio busca reação com promoções e patriotismo

Segundo Araujo, a expectativa é que sejam reunidas as condições necessárias para que a implementação da moeda em “dois ou três anos”. “As condições são a tecnologia e segurança que atendam às diretrizes que foram determinadas hoje pelo Banco Central”, disse.

(Agência Brasil)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana