conecte-se conosco


Cidades & Geral

Sem previsão de chuvas, meteorologia prevê calor e secura nas próximas duas semanas em Mato Grosso

Publicado

Nada de chuva, baixa umidade relativa do ar, poeira, amplitude térmica acentuada, alto risco de ocorrência de queimadas. Estas são as principais características climáticas que todas as cidades de Mato Grosso estão enfrentando neste período.

É o resultado de uma grande massa de ar seco que predomina em grande parte do país, especialmente no Centro Oeste, um fenômeno que reincide todos os anos, de junho a agosto.

Nesta fase do ano, as condições de calor e secura favorecem a ocorrência de queimadas, como aconteceu no último final de semana, quando uma grande queimada ocorrida no Pantanal e fez a fumaça cobrir a capital, Cuiabá, e chegar até a Serra de Tapirapuã.

Na região de Tangará da Serra, o dia amanheceu com uma temperatura mais amena, mas os termômetros experimentarão uma escalada ao longo do dia. De hoje (quarta, 29) até domingo, as temperaturas máximas deverão chegar a 35 graus. Mas a partir da próxima semana, até meados da segunda semana de agosto, a região poderá registrar calor de até 40°C.

Leia mais:  Campo Novo do Parecis: Candidata e empresário foram alvos da PF em esquema de R$ 4,8 milhões

A amplitude térmica (diferença de temperaturas entre o dia e a noite) será acentuada no período, podendo ser de até 21 graus centígrados. Esta é uma característica de clima desértico: altas temperaturas durante o dia e queda considerável nas madrugadas.

Não há previsão de chuvas para as próximas duas semanas. A umidade relativa do ar chega a níveis muito baixos, em torno dos 14% nas horas mais quentes do dia.

publicidade

Cidades & Geral

Dia de Feira: Rica em água e complexo B, melancia é boa pedida para qualquer hora

Publicado

Quarta-feira, como de costume, é dia de feira em Tangará da Serra. A Feira do Produtor do Centro começa a atender a partir das 06h00, oferecendo o melhor da agricultura familiar.

No setor de hortifrutis, a Feira oferece grande variedade e fartura, com qualidade reconhecida e preços populares.

Nesta época do ano, a melancia é um dos destaques na Feira do Centro. Fruta rasteira em razão do seu peso e tamanho, a melancia é originária da África e é da mesma família do pepino, da abóbora e do melão.

Além do alto teor de água, a melancia contém açúcar, vitaminas do complexo B e sais minerais.

A polpa vermelha, doce, com alto de teor de água, é uma divertida e aprazível alternativa alimentar, ao natural ou na forma de suco, para qualquer hora do dia. Vai bem no café da manhã, no almoço, no lanche da tarde, ou à noite. “Difícil encontrar alguém que não goste de melancia”, observa o presidente da Associação dos Feirantes, Valdeci Ferraz Aquino.

Leia mais:  Campo Novo do Parecis: Candidata e empresário foram alvos da PF em esquema de R$ 4,8 milhões

Além do alto teor de água, a melancia contém açúcar, vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

Quem vende?

É fácil encontrar a melancia na Feira do Centro. No interior do maior mercado público de Mato Grosso, com uma rápida olhada é possível detectar a presença do grande fruto.

No box 59-C, do Roberto, a fruta ofertada é produzida na região do Joaquim do Boche. Já no box 53-C, Luiz Carlos oferece frutos que vem do Rio grande do Sul. Nos boxes 19 e 20-C, Leonilda oferece melancia vinda de São Paulo, Goiás e Tocantins, enquanto Dª Zeti, que é da região do Vale do Sol, comercializa o alimento no box 30-A.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana