conecte-se conosco


Defesa & Segurança Pública

Segurança no Campo: Com apoio de Aprosoja e Sindicato Rural, Polícia Militar lança operação

Publicado

Com o objetivo de combater ações de grupos de criminosos e oferecer suporte ao setor produtivo neste início da safra 2020/2021, a Polícia Militar, em parceria com a Aprosoja e o Sindicato Rural de Tangará da Serra, lançou a Operação Segurança no Campo na manhã desta terça-feira (13.10).

O lançamento aconteceu no Parque de Exposições e contou com as presenças do comando local da Polícia Militar (Tenente Coronel PM Cleverson Leite de Almeida, do Comando Regional 7, e Ten Cel PM Vanílson da Silva Moraes, do 19º Batalhão PM), de representantes da diretoria do Sindicato Rural de Tangará da Serra e do Núcleo Aprosoja em Tangará da Serra.

A Operação Segurança no Campo consiste no reforço da presença da Polícia Militar na zona rural, com operações estratégicas para o monitoramento das estradas do interior e das propriedades rurais, que já neste início de safra movimentam grande número de funcionários, volume expressivos de mercadorias, como defensivos, máquinas, equipamentos, veículos e cargas diversas. Esta movimentação chama atenção de criminosos.

“Precisamos nos fortalecer e nada melhor do que nós estarmos aqui para mostrar aos produtores rurais e a sociedade que somos os maiores interessados que isso dê certo. Temos um longo caminho a percorrer mas sabemos que se fizermos a nossa parte os problemas podem ser amenizados”, declarou a diretora do Sindicato Rural, Eloiza Zuconelli.

Troca de informações entre a PM e produtores e orientações integram as ações da operação.

As ações contarão com sistemas de monitoramento de imagens e comunicação direta entre os produtores e a Polícia Militar. “Nosso objetivo é dar segurança ao setor, reprimir ações criminosas e marcar forte presença no interior do município”, disse o Tenente Coronel PM Leite, titular do Comando Regional 7 da PM, que inclui outros sete municípios da região: Barra do Bugres, Brasnorte, Campo Novo do Parecis, Denise, Nova Olímpia, Porto Estrela e Sapezal, que também serão servidos com a operação. “Essa integração entre o Sindicato Rural, a Aprosoja e as forças de segurança é para que as nossas ações possam ser desenvolvidas com maior tranquilidade, sendo elas preventivas, e para que nos passem todas as informações e anormalidades, para que junto com a nossa agência regional de inteligência possamos melhorar o nosso planejamento e empregar o efetivo de forma condizente e de forma inteligente, ativando a nossa ostensividade e prevenção até o dia 31 de dezembro”, completou o comandante.

Ten. Cel PM Leite: Objetivo é marcar forte presença no campo e oferecer segurança ao setor.

Para a delegada coordenadora do Núcleo da Aprosoja em Tangará da Serra, Patrícia Pasa, as ações da Polícia Militar com a Operação Segurança no Campo são saudadas pela classe produtora, que ao longo dos anos tem sofrido com ação de criminosos armados.

Nestes crimes, os bandidos submetem produtores e funcionários a atos de violência e prejuízos com o roubo produtos agrícolas, veículos, equipamentos e outros itens, incluindo armas utilizadas nas propriedades. “Vamos contribuir com a agilidade da informação para a Polícia Militar, criando uma planilha com os pontos de coordenadas das propriedades rurais. Essas informações ficarão sob sigilo e responsabilidade dos representantes do Núcleo da Aprosoja. Se acontecer alguma ocorrência, vamos repassar os dados para que a Polícia consiga ter agilidade na operação. A Polícia Militar sempre nos deu uma boa resposta e a presença dos policiais nos dá uma maior sensação de segurança”, disse.

Patrícia Pasa, da Aprosoja: “Vamos contribuir com a agilidade da informação para a Polícia Militar”.

A Operação Segurança no Campo já iniciou na prática e, a partir de hoje, contará com ações preventivas e estratégias, como barreiras móveis e outras medidas em pontos específicos, orientações aos produtores e seus funcionários nas propriedades, além de vigilância, monitoramento com drones e troca de informações.

(Contribuiu: Gabriela Gonçalves – Assessoria SRTS)

publicidade

Defesa & Segurança Pública

Estrada da Serrinha: PM prende trio que abatia gado no pasto para furtar carne (Vídeo e fotos)

Publicado

A Polícia Militar flagrou na madrugada da última sexta-feira (28), três homens tentando abater gado numa pastagem localizada na região da “Serrinha”, na divisa de Tangará da Serra e Nova Olímpia. Os homens detidos podem integrar uma quadrilha que vem atuando na região abatendo gado nos pastos, sempre à noite/madrugada, para comercialização ilegal da carne.

Animais do pasto abordado pelos bandidos. Vaca com cria ao pé seria abatida.

Esse tipo de crime, vale lembrar, tem sido frequente na região e tem causado seguidos prejuízos a produtores rurais, além de representar crueldade aos animais, abatidos a tiros e ‘carneados’ ainda vivos no pasto. Os bandidos furtam as partes mais nobres do animal abatido (partes traseiras e dianteiras), deixando os restos no local.

Ação

Segundo boletim de ocorrência, uma guarnição do Patrulhamento Rural da 12ª CIPM de Barra do Bugres – composta pelo Subtenente PM Ferreira, pelo 3º Sargento Josué e pelo soldado PM Garcia – realizava rondas na área rural de Nova Olímpia, na Estrada da Serrinha, quando avistou um veículo suspeito. A guarnição permaneceu em barreira fixa discreta e os policiais flagraram a ação criminosa.

Veículo tripulado pelos criminosos foi apreendido pela PM.

O veículo dos infratores parou a cerca de 150 metros da viatura policial, sem perceber a presença dos PMs. Os ocupantes desceram do veículo e começaram a ‘lanternar’ no pasto na direção do gado, efetuando um disparo e acertando um dos animais. A movimentação provocou a dispersão dos outros animais do rebanho. Nesse momento, os criminosos foram abordados pelos policiais, recebendo voz de prisão.

Os homens detidos foram revistados, assim como o veículo, sendo com eles encontradas uma espingarda calibre 22 adaptada, com uma munição deflagrada, e uma pistola calibre 22. Também foram encontradas cinco facas, além de lonas e sacos que seriam usados para o acondicionamento da carne dos animais abatidos. (Imagem no cabeçalho da matéria)

Indiciamento e investigação

Os criminosos foram conduzidos à delegacia de Nova Olimpia. “Tivemos alguns furtos de gado  neste ano nesta modalidade, de serem abatidos na beira da estrada”, disse o Subtenente Ferreira, em vídeo enviado pela assessoria da PM.

Com a prisão, a Polícia Judiciária Civil abrirá investigação para apurar os vários crimes de abate clandestino e furto de carnes que vem ocorrendo há meses na região. Os três criminosos – que deverão ser indiciados por furto e porte ilegal de arma de fogo – podem integrar uma quadrilha que vem agindo nesta modalidade de delito.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana