conecte-se conosco

Infraestrutura & Logística

Obras de duplicação da BR-163/364/MT avançam e chegam a 85% de execução

Publicado

A​s obras de duplicação da BR-163/364/MT avançaram este ano em Mato Grosso e chegaram a 85% de execução dos serviços previstos entre Cuiabá e Rondonópolis. Dividida em três lotes, as obras ocorrem em um trecho de 174 quilômetros e compreendem duplicação e restauração. Grande parte da via duplicada está sendo executada em pavimento de concreto, tecnologia que tem como vantagens uma maior durabilidade e economia nos serviços de manutenção.

O empreendimento ainda conta com obras no Distrito Industrial de Cuiabá, onde estão sendo erguidos quatro viadutos e ampliadas as ruas laterais. Esta é a principal entrada no perímetro urbano de Cuiabá. Com 42,2 quilômetros de extensão, o trecho iniciado no entroncamento com a rodovia dos Imigrantes (BR-070) tem uma média diária superior a 8 mil veículos pesados, que interferem diretamente na mobilidade urbana de Cuiabá. A previsão é de que as obras sejam concluídas neste trecho em 2020.

Neste ano, foi liberada para os usuários uma das pistas que está sendo duplicada no Distrito Industrial de Cuiabá. Nova liberação será feita nos próximos dias, a fim de que os motoristas possam trafegar em via duplicada até Jaciara e de Juscimeira até Rondonópolis já nas férias de fim de ano.

Leia mais:  Porto de Cáceres e Hidrovia Paraguai/Paraná exigirão término de obras nas MTs-339 e 343

Ainda na BR-163/364/MT, agora em dezembro será entregue o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no km 388, na saída de Cuiabá em direção a Rondonópolis. No local, uma nova edificação foi construída e também levantada uma nova estrutura de cobertura das pistas. A conclusão da duplicação da BR-163/364 está prevista para meados de 2021, com a realização do contorno de Jaciara.

Já em outras rodovias federais que cortam Mato Grosso, o trabalho do DNIT também avançou em 2019. Somente neste ano, seis das oito pontes da BR-242/MT localizadas no trecho de Nova Ubiratã até Santiago do Norte foram liberadas para tráfego de veículos. Também foi entregue 1,2 quilômetro de pavimentação da BR-242, na travessia urbana de São Felix do Araguaia, além da travessia urbana de Primavera do Leste e da iluminação de Água Boa.

Mato Grosso possui a 6ª maior malha viária do país.

Manutenção – Mato Grosso possui a 6ª maior malha rodoviária do Brasil, com mais de 4,5 mil quilômetros de rodovias. Em função do intenso tráfego de veículos pesados e da importância geográfica do Estado no plano nacional de logística, os trabalhos de manutenção e restauração são constantes. Por isso, o DNIT conta com contratos de manutenção e restauração em todas as rodovias federais de Mato Grosso.

Leia mais:  Justiça acata recurso do governo e derruba liminar que impedia obras no Porto de Cáceres

Em 2019, foram restaurados 384,46 quilômetros de rodovias. Nas estradas não pavimentadas, foram realizados patrolamentos, encascalhamentos e recuperação/restauração de pontes nas BR-174/MT, trecho da BR-158/MT e BR-242/MT.

Outra rodovia não pavimentada, a BR-174/MT, que foi federalizada em 2014, recebeu, neste ano, três contratos de manutenção ao longo dos 363 quilômetros. A atuação do DNIT nesta via está focada na recuperação dos pontos críticos da rodovia e na recuperação das estruturas das pontes de madeira que se encontravam mais danificadas, visando garantir a trafegabilidade.

Entre os avanços na restauração, destacam-se os trabalhos realizados na BR-070/MT (Entre Barra do Garças e a Escola de São Vicente), na BR-364/MT (Entre Sapezal e Comodoro) e na BR-163/MT (De Sinop até a divisa com o Pará). As rodovias são constantemente avaliadas e monitoradas pelas equipes do DNIT por meio do Índice de Condição de Manutenção (ICM), que aponta as prioridades de investimento do órgão federal.

(Fonte: Assessoria DNIT)

publicidade

Infraestrutura & Logística

Com obras em andamento, ZPE já atrai atenção de empresas de outros estados

Publicado

Depois de vistoriar as obras da MT-343, Marcelo de Oliveira e comitiva acompanharam o andamento das obras da ZPE, uma estrutura projetada há mais de 30 anos e que agora começa a tomar forma, com reestruturação e readequação do projeto inicial.

Vistoria na ZPE: Atenção despertada em empresas de outros estados. (Foto Assessoria)

A expectativa é de que a conclusão das obras possibilite a ampliação da competitividade para as exportações de Mato Grosso, já que vai permitir a instalação de empresas voltadas à produção de bens a serem comercializados no exterior, que terão acesso a tratamento tributário, cambial e administrativo específico.

De acordo com o titular da Sinfra-MT, a ZPE tem despertado interesse de várias empresas de outros estados. “Empresas do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas estiveram aqui olhando e viram que a ZPE é uma realidade. Estamos com várias frentes de serviço e a empresa está mobilizada com todas as atividades, produzindo para a entrega ainda este ano”, disse Marcelo de Oliveira.

Presente na vistoria, o deputado Dr. Gimenez destacou a importância das obras da ZPE para o fortalecimento regional e da economia de todo o Mato Grosso. “Felizmente, a ZPE é uma realidade. Tenho certeza de que a região terá um impulso econômico muito grande. Serão 22 municípios beneficiados”, disse o parlamentar.

Leia mais:  Agenda Cáceres: MT-339 aguarda retomada das obras através de PPP; MT-343 com pavimentação em andamento

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana