conecte-se conosco


Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Auxílio aos pequenos, influência do dólar, carne, algodão e etanol de milho são os destaques

Publicado

O Momento Agrícola desta semana traz um conteúdo recheado de informações relevantes para o ambiente do Agro. O programa produzido e apresentado pelo engenheiro agrônomo, produtor rural e consultor Ricardo Arioli é veiculado pela rede de rádios do Agro e repercutido aos finais de semana pelo Enfoque Business.

O Senado Federal aprovou na última quarta-feira (05.08) o projeto de Lei 735/2020, que estabelece medidas para ajudar agricultores familiares durante o estado de calamidade pública relacionado ao coronavírus. Estão previstas medidas como benefício especial, recursos para fomento da atividade e prorrogação de condições para o pagamento de dívidas. A matéria já está no Planalto para sansão presidencial.

Agrônomo e produtor rural Ricardo Arioli produz e apresenta o Momento Agrícola.

Arioli também comentou a tragédia em Beirute, com a explosão de 7 mil toneladas de nitrato de amônia que estavam estocados de forma irregular no porto da cidade árabe. O apresentador do Momento Agrícola citou acidentes envolvendo nitrato de amônia no Brasil (porto de São Francisco – SC, em 2013) e em outros países, como na China, em 2015. Ou seja, a explosão no Líbano – que destruiu metade da capital, Beirute, e deixou mais de 100 mortos e 4 mil feridos – deve ser encarado como uma trágica lição.

Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

Dólar

A influência do dólar nas finanças do Agro difere entre os países. Enquanto no Brasil a desvalorização do real frente à moeda americana gera efeitos financeiros positivos para os produtores brasileiros, no Paraguai o câmbio penaliza. “Acontece que a venda dos produtos no Paraguai é feita em dólares. Com o dólar mais alto, os preços internos ficaram mais caros e acabaram derrubando os preços das commodities”, explica Ricardo Arioli.

Mesmo assim, a área de soja no Paraguai deverá aumentar cerca de 2,8% nesta próxima safra (2020/2021), podendo chegar a 3,5 milhões de hectares plantados, igual à área plantada em Goiás, o quarto estado brasileiro em área de soja.

Carnes

Outro destaque do Momento Agrícola desta semana está relacionado à carne de laboratório. O produto, que tinha previsão de chagada ao mercado em 2021, poderá demorar mais tempo para chegar aos consumidores. O problema é o alto custo de produção de um único quilo de carne produzida a partir de células-tronco de músculos de vacas. Arioli discorre com muita propriedade sobre esse tema no programa (ouça no link abaixo).

Ainda sobre a carne, Ricardo Arioli destaca a recuperação dos preços da arroba da carne bovina e a melhora nos preços das carnes de aves e suínos. Para se ter uma ideia, os preços da arroba do boi gordo estão subindo a ponto de voltar ao patamar dos R$ 200. “As cotações estão firmes e também está em alta o mercado de animais para reposição, o que de certa forma neutraliza os ganhos da arroba por conta da relações de trocas”, observa o apresentador, que cita análise setorial que aponta para alta também dos preços da carne no atacado e também para os produtores.

Leia mais:  Momento Agrícola: Avaliações e o legado do Famato Embrapa Show são os destaques

Outros

O 13º Congresso Brasileiro do Algodão, programado para acontecer na Bahia de 17 a 19 de agosto de 2021 e que já conta com 70% dos espaços reservados, é outro destaque do Momento Agrícola desta semana.

O crescimento de 56% da produção do etanol de milho para a safra 2020/2021, a composição dos preços deste combustível e suas vantagens ambientais em relação à gasolina também perfazem um bom assunto abordado por Ricardo Arioli no Momento Agrícola.

E mais: As inovações da Embrapa Soja, o patrimônio rural em afetação como garantia e o ‘Pinga Fogo’ com Eduardo Lima Porto também estão entre os destaques desta edição do programa.

Para ouvir o Momento Agrícola na íntegra, clique abaixo.

publicidade

Agronegócio & Produção

Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

Publicado

A Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), em parceira com o Sindicato Rural, realizará a partir desta sexta-feira (01.07), quatro Dias de Campo em Tangará da Serra.

Ao todo serão realizados 100 dias de campo em todo o estado. Os encontros iniciaram e junho e seguem até o dia 14 de julho, com o objetivo de divulgar os resultados já obtidos nas propriedades e reunir os produtores rurais atendidos. Por dia, até nove eventos serão realizados de forma simultânea pelo estado abrangendo as mais diversas cadeias produtivas atendidas pela ATeG em Mato Grosso. Dentre elas estão pecuária de leite, pecuária de corte, olericultura, piscicultura, fruticultura, floricultura, ovinocultura, apicultura etc.

Em Tangará da Serra, de acordo com o Supervisor da ATeG Senar, Thiago Salapata, os Dias de Campo iniciam nesta sexta-feira, dia 1º de julho, com “Bovinocultura de leite” e segue no sábado, 2, com ‘Floricultura’. Na segunda e terça-feira, dias 4 e 5, serão realizados os outros dois eventos, tratando sobre ‘Olericultura’ e ‘Fruticultura’.

Leia mais:  Em Tangará: Senar-MT promove Dias de Campo sobre leite, frutas, hortaliças e flores

“Tangará da Serra contém essas quatro cadeias já sendo assistidas pela Assistência Técnica e será presenteada com esses Dias de Campo”, afirma,

ao destacar que em todos os dias, além de temas específicos relacionados a cadeia, falarão também sobre primeiros socorros na zona rural.

“Em todos os Dias de Campo temos uma estação específica, que são os primeiros socorros, que a gente viu a necessidade no campo, pois muitas vezes os cuidados iniciais que possam ser feitos, aumentam as chances de a pessoa chegar com vida até o socorro médico ou evita um agravamento maior por causa de algum acidente com animais peçonhentos, algum envenenamento na propriedade que possa ocorrer, por exemplo”.

As atividades serão realizadas em propriedades rurais atendidas pela Assistência Técnica e Gerencial. A participação é aberta ao público e destinado a todos os produtores rurais – mesmo que não sejam atendidos pela ATeG – profissionais da área, parceiros e estudantes. Os interessados devem procurar o Sindicato Rural.

  • Data: 01/07 (sexta-feira):
Leia mais:  Momento Agrícola: Avaliações e o legado do Famato Embrapa Show são os destaques

DIA DE CAMPO “BOVINOCULTURA DE LEITE”

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Sítio São Gabriel/ Gleba São Paulo

 

  • Data: 02/07 (sábado)

DIA DE CAMPO FLORICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Chácara Imperial/ Comunidade São José

 

  • Data: 04/07 (segunda-feira)

DIA DE CAMPO OLERICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Chácara Santo Expedito/ Comunidade São José

 

  • Data: 05/07 (terça-feira)

DIA DE CAMPO FRUTICULTURA

Horário: das 7h30 às 11h30

Local: Sítio Dois Irmãos/ Comunidade Córrego das Pedras

 

(Fonte: Sindicato Rural de Tangará da Serra e Diário da Serra)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana