conecte-se conosco


Agronegócio & Produção

Momento Agrícola aborda MP do Agro, etanol na China, gás e ureia da Bolívia e outras notícias

Publicado

O Momento Agrícola deste final de semana, o engenheiro agrônomo, consultor e comunicador Ricardo Arioli Silva traz um programa recheado de notícias sobre o Agro.

A Medida Provisória (MP) 897, que cria o Fundo de Aval Fraterno (FAF), foi publicada na quarta-feira (2) no Diário Oficial da União. A medida, que precisa ser aprovada pelo Congresso, foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em solenidade no Palácio do Planalto na última terça-feira (1°) com a participação da ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

(*) Ao final do texto, link para ouvir na íntegra o Momento Agrícola deste final de semana.

Ricardo Arioli produz e apresenta o Momento Agrícola

A MP 897 visa aprimorar o crédito rural, ampliando o acesso ao financiamento, expandindo os recursos e reduzindo taxas de juros. A medida abre um leque de opções ao produtor rural, com possibilidade de busca de créditos na iniciativa privada a juros mais competitivos, em contraposição aos créditos oficias, hoje mais escassos e caros.

Além do FAF, a MP também trata do patrimônio de afetação de propriedades rurais, da Cédula Imobiliária Rural (CIR), de títulos de crédito do agronegócio e de subvenção econômica para empresas cerealistas em operações de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da equalização de taxas de juros para instituições financeiras privadas.

MP foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em solenidade no Palácio do Planalto na última terça-feira (1°) com a participação da ministra Tereza Cristina (MAPA).

Etanol na China

Leia mais:  Momento Agrícola: Questões de carbono nos EUA e na UE, tributos e diálogos são destaques

O governo chinês anunciou que a partir do ano que vem a gasolina usada naquele país terá a mistura de 10% de etanol, como medida de redução da poluição. O anúncio representa uma ótima oportunidade de novos negócios para o setor sucroalcooleiro do Brasil.

Os primeiros contratos de exportação de etanol para a China foram assinados semana passada pelo governo de São Paulo, que enviará o produto a refinarias chinesas.

Anúncio do governo chinês representa uma ótima oportunidade de novos negócios para o setor sucroalcooleiro do Brasil.

Segundo Ricardo Arioli, o Brasil terá de ampliar muito a sua produção de etanol para fazer frente à demanda chinesa. “Nossa produção de etanol é de 33 bilhões de litros, o que atende apenas a demanda interna. Então, para exportarmos muito etanol precisaremos de mais investimentos em produção. Será que as usinas de etanol de milho poderão ser uma resposta?”, considera o apresentador, no primeiro bloco do Momento Agrícola.

Negócios com a Bolívia

Outra abordagem de Ricardo Arioli está relacionada aos negócios de Mato Grosso com a Bolívia, como o contrato de fornecimento de gás natural assinado entre o governador Mauro Mendes e o governo boliviano. Uma das nuances entre o contrato atual e os anteriores é a inclusão de bolivianos como sócios da MT Gás, o que poderá garantir uma constância no fornecimento do produto pelo país vizinho. Os contratos anteriores não previam esta cláusula, o que motivava o governo boliviano a ‘fechar a torneira’ do gás natural sob qualquer pretexto.

Porto de Cáceres será importante entreposto para negócios com países vizinhos.

O governo de Mato Grosso também definiu detalhes sobre a aquisição de ureia agrícola da Bolívia, cujas primeiras cargas já chegam via rodoviária, passando pelo posto alfandegário instalado em Cáceres. Por sinal, em breve o porto de Cáceres será entreposto fundamental neste sistema. Produzida com gás natural, a ureia agrícola boliviana tem custo consideravelmente inferior em comparação ao produto que vem do mercado nacional.

Leia mais:  Momento Agrícola: Questões de carbono nos EUA e na UE, tributos e diálogos são destaques

Outras

A Associação de Produtores de Feijão, Trigo e Irrigantes de Mato Grosso (APROFIR) promove reunião na próxima terça-feira (08), em Cuiabá. O objetivo é discutir estratégias para o fortalecimento da cadeia de feijão, trigo e irrigantes no estado. A reunião contará com presenças do Ministério Público, Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA), produtores e entidades afins.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-MT) organiza neste mês de outubro uma agenda com oito dias de campo. Um dos segmentos beneficiados com a agenda será o setor leiteiro. Arioli lembra que, hoje, Mato Grosso possui a nona maior produção leiteira do país (2,2% do total), com produção embasada nas pequenas propriedades familiares.

Finalizando o programa, Arioli veicula entrevistas e considerações sobre a Reunião Conjunta das Comissões de Pecuária e Grãos da CNA, em Cuiabá, realizada semana passada.

(*) Ouça a íntegra do Momento Agrícola deste final de semana clicando abaixo.

publicidade

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Questões de carbono nos EUA e na UE, tributos e diálogos são destaques

Publicado

A decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos que limita o poder da Agência de Proteção Ambiental daquele país, a divergência na União Europeia sobre carros a combustão, entrevistas e outros assuntos relevantes para o Agro são os destaques da primeira edição do Momento Agrícola deste mês de julho.

De autoria do produtor rural, agrônomo e consultor Ricardo Arioli, o programa é veiculado aos sábados pela rede de rádios do Agro e repercutido em forma de notícias e com podcast Soundcloud pelo Enfoque Business, também aos finais de semana.

Menos poder

A   primeira edição do Momento Agrícola neste segundo semestre do ano traz à baila uma decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos que limita o poder da Agência de Proteção Ambiental americana (EPA, na sigla em inglês) de regular as emissões de carbono das usinas de energia termelétricas do país.

Por seis votos a três, a corte definiu, em sua sessão na última quinta-feira (30), que nenhuma agência federal americana deve ter escopo de ação que não seja o explicitamente concedido por lei aprovada no Congresso. A decisão foi relacionada ao caso Virgínia Ocidental contra EPA.

Leia mais:  Momento Agrícola: Questões de carbono nos EUA e na UE, tributos e diálogos são destaques

Para o ministro-chefe da Corte, John Roberts, “limitar as emissões de dióxido de carbono em um nível que forçará uma transição energética é uma solução sensata, mas uma decisão de tal magnitude cabe ao Congresso”, escreveu, na decisão, que é considerada uma grande derrota para o presidente Joe Biden, que tentava retomar a agenda climática que havia sido suspensa durante o governo de Donald Trump.

UE e a Combustão

Ricardo Arioli comenta, também, sobre uma divergência na Comunidade Europeia envolvendo a redução de gases de efeito estufa.

A Alemanha discordou da aprovação, pela União Europeia, do projeto de proibir a venda de motores a combustão a partir de 2035 nos países do bloco.

O ministro das Finanças da Alemanha, Christian Lindner, afirmou durante em recente conferência (21 de junho) “que continuaria a haver nichos para motores a combustão” e que a proibição “estava errada”, daí a discordância do governo alemão.

Numa análise bastante sensata, os alemães entendem que acelerar a transição para carros elétricos pode criar problemas e obstáculos como montar uma rede de recarga rápida e ultrarrápida o mais pulverizada possível, levando à ampliação da demanda por metais para as baterias de íons de lítio e à oscilação (para cima) do preço das próprias baterias.

Leia mais:  Momento Agrícola: Questões de carbono nos EUA e na UE, tributos e diálogos são destaques

Outras

O Momento Agrícola traz considerações sobre questões estratégicas no Brasil, como a necessidade de importação de óleo diesel pelo País em razão de sua insuficiência nos processos de refino de petróleo. Há, neste particular, a possibilidade de importação direta de diesel por grandes produtores, o que resultaria em menor carga tributária, já que a operação aconteceria em drawback.

Ainda sobre combustíveis, Ricardo Arioli comenta sobre o ICMS dos combustíveis, que tem rendido muita polêmica entre os governadores dos estados.

Nos blocos seguintes, Arioli traz diálogos sobre “O Plano Safra 22-23”, com Antônio da Luz, da Farsul; “O Baixo Carbono da nossa Agropecuária”, com Roberto Giolo, da Embrapa; e “Nosso Agro e a Política”, com Anderson Galvão.

Para ouvir na íntegra o Momento Agrícola deste sábado, clique no podcast abaixo:

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana