conecte-se conosco

Cidades & Geral

Meteorologia mantém previsão de chuvas na região; Frente fria deverá registrar mínimas de 12°C

Publicado

Os sites especializados em meteorologia mantém a previsão de chuvas para a região de Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis e boa parte da metade sul de Mato Grosso para este sábado.

As previsões constam nos sites especializados Clima Tempo (que trabalha com dados do Instituto Nacional de Meteorologia – Inmet) e o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe).

Previsão do Clima Tempo: Chuva e queda de temperatura para sábado.

Para Tangará da Serra, as chuvas já poderão ocorrer esta noite em volume moderado (em torno de 10 milímetros). No sábado, as chuvas poderão se intensificar, principalmente na madrugada e pela manhã.

Com as chuvas, as temperaturas caem no final de semana, podendo registrar mínimas de 12°C no sábado. As máximas não deverão superar a marca dos 23 graus celsius amanhã e domingo, mas os termômetros adotarão curva ascendente ao longo da semana que vem.

Chapadão e Sul

As chuvas também estão previstas para Campo Novo do Parecis, porém com frio menos intenso (mínimas de 14 graus) e para Cuiabá e Rondonópolis.

Leia mais:  Tangará da Serra: Essenciais e delivery seguem funcionando mesmo com o toque de recolher

Na Baixada Cuiabana, as chuvas de sábado poderão somar volumes de pelo menos 20 milímetros, o mesmo acontecendo com Rondonópolis.

publicidade

Cidades & Geral

PMSB: Ampliação da oferta de água, tratamento de esgoto e microdrenagem são prioridades de curto prazo

Publicado

Ampliações da oferta de água e do sistema de tratamento de esgoto, manutenção da rede de drenagem de águas pluviais estão entre as prioridades imediatas na área de saneamento básico em Tangará da Serra.

É o que aponta o relatório final do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), apresentado na última audiência pública sobre o tema, realizada na última quinta-feira (28), no anfiteatro do Centro Cultural.

O estudo foi promovido pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE) ao longo do ano passado, com equipe técnica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Fundação Uniselva.

Água

Segundo o coordenador dos estudos, professor Aldecy de Almeida Santos, da UFMT, a infraestrutura de abastecimento do município é de “ótima qualidade”, mas em razão do crescimento populacional e da estrutura urbana a ampliação do sistema de captação de água é a principal demanda do município (prioridade imediata), com a solução principal sendo a captação e adução de água do rio Sepotuba para abastecimento público.

Coordenador dos estudos, professor Aldecy de Almeida Santos, da UFMT.

Uma prioridade para curto prazo (até três anos) é a macromedição da saída de água dos reservatórios do município para fins de controle e combate às perdas, que chegam a 30% do total de água tratada, índice considerado alto e que corresponde a uma das deficiências do sistema de abastecimento.

Leia mais:  Chuva chegou a 112mm em Tangará da Serra; Meteorologia prevê mais precipitações na próxima semana

Segundo o diretor do SAMAE, Wesley Lopes Torres, o município iniciará ainda este ano as obras do sistema de captação de água junto ao Sepotuba. “Já estamos licitando parte do sistema, que é a tubulação. Os recursos já estão na conta e temos dotação aprovada pela Câmara”, disse.

Esgoto

Quanto ao tratamento de esgoto, o relatório do PMSB indica a necessidade de retomada de obras de ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e da rede coletora. Atualmente, o município conta com um índice de 32% de cobertura da área urbana.

Segundo Wesley Lopes Torres, o município também já licita obras com recursos federais na ordem de R$ 25 milhões para ampliação na rede coletora e estações elevatórias, o que proporcionará um salto do índice de cobertura para 92% da área urbana.

Drenagem

A manutenção preventiva e corretiva do sistema de microdrenagem urbana e a adequação de estradas vicinais e vias urbanas também estão entre as prioridades de curto prazo definidas no PMSB.

Segundo o professor Aldecy de Almeida Santos, as áreas urbana e rural de Tangará da Serra possuem cerca de 20 microbacias que favorecem a recepção das águas pluviais escoadas. No caso da área urbana, há boa estrutura de drenagem, mas com limitações importantes. “O sistema dispõe de galerias, mas elas contém muitos resíduos, o que indica necessidade de manutenção”, disse.

Leia mais:  Tangará da Serra: Comércio reabre sem aglomerações; Muitos dispensam máscara

Resíduos sólidos

A gestão dos resíduos sólidos é um dos quatro eixos do PMSB, ao lado do abastecimento de água, tratamento de esgoto e drenagem de águas pluviais.

O professor Aldecy avalia como “muito boa” a gestão de resíduos sólidos em Tangará da Serra. “O aterro sanitário é referência, restando apenas algumas licenças dos órgãos ambientais”, disse o pesquisador.

A destinação dos resíduos para aterro sanitário é uma das “forças” do sistema na cidade, ao lado da coleta seletiva e do índice de 98% de cobertura da coleta de lixo na área urbana. A existência de ecopontos e o serviço de limpeza urbana também são apontados como aspectos positivos.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana