conecte-se conosco

Infraestrutura & Logística

Mato Grosso: DNIT entrega obra do Contorno de Juscimeira, na BR-163/364/MT

Publicado

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) concluiu a construção de contorno rodoviário na BR-163/364/MT, no município de Juscimeira, região Centro-sul de Mato Grosso. A Autarquia liberou o trânsito de veículos em um trecho de 7 quilômetros de extensão e retira, assim, o fluxo de veículos pesados de dentro do perímetro urbano da cidade.

O Governo Federal investiu R$ 23 milhões na construção do contorno, de pista dupla, e na execução de duas pontes – de 60 metros cada – localizadas sobre o rio Areias, ao longo do traçado do empreendimento.

A obra terá um grande impacto social e econômico no Estado, uma vez que a BR-163/364/MT é a principal rota utilizada para o escoamento da produção do agronegócio mato-grossense.

Por dia, trafegam pela região aproximadamente 15 mil veículos de carga, principalmente nesta época do ano, quando se escoa a safra, conforme dados da concessionária da rodovia. O setor produtivo estima que seja transportado pela BR-163/364/MT quase 10 milhões de toneladas ano de soja e milho.

A nova rota vai melhorar o fluxo de caminhões que escoam a produção de Mato Grosso até os portos de Santos (SP), de onde as cargas são embarcadas para o mercado internacional.

O contorno de Juscimeira faz parte do lote 1 da obra de duplicação da BR-163/364/MT. Neste trecho já foram concluídos 46 quilômetros de restauração e de pista dupla. Dividida em três lotes, os serviços ocorrem em 174 quilômetros da rodovia federal.

Leia mais:  Estradas: Ministro descarta federalização do trecho Jangada-Itanorte

Outras ações – E as obras no Estado do Mato Grosso não param. O DNIT trabalha na construção do Contorno de São Pedro da Cipa, com quatro quilômetros de extensão. A Autarquia executa serviços de terraplanagem e imprimação e deve concluir o empreendimento em dezembro deste ano.

A Autarquia também avança na construção das pontes de concreto sobre o rio São Lourenço, localizadas no trecho dos contornos rodoviários da BR-163/364/MT. As pontes sobre o rio Areias e sobre o córrego Tugore foram concluídas.

Distrito de Cuiabá – Neste semestre o DNIT retomou as obras e a duplicação da BR-163/364/MT, na região do Distrito Industrial de Cuiabá. Serão investidos mais de R$ 50 milhões no empreendimento que, assim que finalizado, vai melhorar o trânsito na entrada da capital. O trecho será duplicado, terá iluminação pública nova e contará com quatro viadutos, que irão desafogar o fluxo de veículos.

O tráfego dos bairros residenciais localizados no entorno do Distrito Industrial será separado do fluxo da rodovia federal, resultando em mais segurança no trânsito e redução no tempo de viagem dos usuários.

O trecho do Distrito Industrial faz parte do chamado lote 3 da BR-163/364/MT, de 42 quilômetros de extensão, e que se inicia no segmento em concreto da Serra de São Vicente até o viaduto existente no entroncamento com a Rodovia dos Imigrantes (BR-070/MT). A previsão é de que as obras sejam concluídas neste trecho no fim de 2020.

Leia mais:  Porto de Cáceres e Hidrovia Paraguai/Paraná exigirão término de obras nas MTs-339 e 343

Contorno rodoviário – No lote 2, o DNIT já concluiu a execução do contorno do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), na região da Serra de São Vicente, além da restauração e a duplicação de 60 quilômetros para o tráfego da BR-163/364/MT na região Sul do Estado.

Atualmente, a Autarquia trabalha para solucionar questões referentes à desapropriação ao longo do trecho onde será implantado o contorno de Jaciara, de aproximadamente 10 quilômetros.

O contorno irá desafogar o trânsito na travessia urbana de Jaciara, retirando os veículos de pesados do trecho urbano e passando para o contorno, melhorando assim o tempo de viagem.

Ainda na BR-163/364/MT já foi entregue o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no km 388, na saída de Cuiabá em direção a Rondonópolis. No local, uma edificação foi construída e também levantada uma nova estrutura de cobertura das pistas.

A conclusão da duplicação total da BR-163/364/MT será em 2021, com a realização do contorno de Jaciara.

(Fonte: Coordenação-Geral de Comunicação Social – DNIT)

publicidade

Infraestrutura & Logística

BR-163: Freitas promete duplicação até Sinop e contrato da Fico assinado em novembro

Publicado

A duplicação da BR-163, importante rodovia para escoamento de produtos agrícolas de Mato Grosso, vai ser completada até 2021 entre Rondonópolis e Cuiabá, e deverá ser realizada em algum momento também até Sinop, ao norte do Estado, disse o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Freitas, nesta sexta-feira.

“Sei que a 163 é uma necessidade, e aí quero dizer que até o ano que vem vamos terminar a duplicação de Rondonópolis até Cuiabá, fazendo os contornos que estão faltando”, disse o ministro, em evento com o presidente Jair Bolsonaro, em Sinop.

Tarcísio: “MT não será somente o maior produtor de alimentos do Brasil, mas também terá o maior entroncamento de ferrovias do país”.

O ministro também falou em dar uma “solução para a Rota do Oeste muito em breve”. Mas não entrou em detalhes, na referência à concessionária da rodovia, em seu discurso.

“Vamos ter uma nova realidade, um novo contrato, e essas obras acontecerão. Sabemos que tem que duplicar até Sinop, e ela vai ser duplicada. Não é só a 163, é a 242, 158, 174 e 364, e vamos ver isso acontecendo”, declarou ele, ressaltando que o governo se preocupa com a infraestrutura para tornar o Brasil também eficiente da “porteira para fora”.

Com a conclusão de pavimentação de um trecho da BR-163, no Pará, o custo do frete rodoviário caiu mais de 15% para escoar a segunda safra de milho deste ano, conforme dados do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), uma indicação dos benefícios que as melhores condições das estradas podem trazer para o produtor rural.

Ferrovias

Segundo o ministro, o Mato Grosso não será somente o maior produtor de alimentos do Brasil, mas também terá o maior entroncamento de ferrovias do país.

Ele afirmou que a Ferrogrão sairá de Lucas do Rio Verde, enquanto a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico) também passará pelo município, situado em uma das principais regiões agropecuária do país, no meio do Estado.

Segundo ele, o contrato para viabilizar a Fico vai ser assinado em novembro.

“A primeira perna (da Fico) já estará em obras no ano que vem, de Água Boa até Mara Rosa em Goiás, ligando o Vale do Araguaia à ferrovia Norte-Sul. Depois ela vai se estender até Lucas… ela vai se tornar uma realidade. Estou impressionado com o apetite dos investidores, que acreditam aqui, não só no Mato Grosso, na capacidade das pessoas que estão aqui…”, afirmou.

No caso da Ferrogrão, o projeto original indicava início da estrada de ferro em Sinop –e não em Lucas do Rio Verde–, ligando a região produtora até o porto fluvial de Miritituba, no Pará, de onde saem barcaças com grãos até os portos do Amazonas, para serem carregados em navios graneleiros que avançam pelo Oceano Atlântico.

O trajeto da Ferrogrão é paralelo à BR-163, em direção ao norte, e servirá para aliviar o fluxo de caminhões na importante rodovia.

(Por Roberto Samora/Reuters)

Leia mais:  Modal hidroviário será tema de evento do DNIT, na FIEMT, a partir de quinta-feira
Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana