conecte-se conosco


Saúde Pública

Instituto Vital Brazil e UFRJ testam a partir de quarta-feira soro para tratar covid-19

Publicado

Pesquisadores do Instituto Vital Brazil e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) estão estudando um soro hiperimune que pode tratar a covid-19. Esse medicamento é do mesmo tipo daqueles usados contra a raiva e contra picada de animais peçonhentos.

O soro é feito a partir do plasma sanguíneo de cavalos. No caso dos soros antiveneno, o sangue equino produz agentes de defesa contra a toxina inoculada no corpo. A partir desse plasma com anticorpos, é criado o soro.

O mesmo processo é usado no soro contra a raiva, aplicado em pessoas que possivelmente tiveram contato com o vírus e que impede que o agente viral se manifeste no corpo do infectado.

No estudo contra o novo coronavírus, a UFRJ isolará e inativará o vírus, para que ele possa começar a ser inoculado em cavalos do Instituto Vital Brazil. O teste começa na próxima quarta-feira (27).

“Já vimos em muitas pesquisas realizadas pelo mundo em que o tratamento a partir do plasma de pessoas curadas da covid-19 teve efeito positivo no tratamento de infectados em estado grave. A ideia é fazer um experimento agora a partir do plasma de cavalos, para que possa ser produzido em grande escala”, afirma o presidente do instituto, Adilson Stolet.

Leia mais:  Agravamento da pandemia aumenta demanda por recursos e motiva suplementação de R$ 4,2 milhões

Caso os resultados sejam promissores, daqui a quatro meses o soro poderá ser testado em humanos. Em seis meses, seria possível produzir o solo em grande escala. A capacidade do instituto é de produzir até 100 mil tratamentos por ano.

Outra pesquisa do Vital estuda anticorpos e DNA de lhamas. Com os dois estudos, é possível apostar no processo que der resultados mais rápidos.

publicidade

Saúde Pública

Covid-19: Tangará e municípios vizinhos somam 2,5 mil casos ativos; Prefeito testa positivo

Publicado

O alto potencial de transmissão da variante ômicron do coronavírus tem representado altos números na pandemia da Covid-19 em Tangará da Serra e região anexa.

Levantamento realizado pelo Enfoque Business com base em dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) considera os números da pandemia em 13 municípios na região polarizada por Tangará da Serra, que soma 52.030 casos confirmados de Covid-19, com 895 óbitos, desde o primeiro registro da doença, em março de 2020.

Este número aponta que, na área avaliada (296.566 habitantes), 17,54% dos moradores já contraíram a doença.

Dos pacientes positivados desde o início da pandemia na região, 48.656 se recuperaram, o que significa um índice de cura de 93,52%. O índice de recuperação mais alto entre os municípios avaliados é de Tangará da Serra (96,07%), enquanto o menor índice é de Porto Estrela (73,34%).

(*) Veja tabela a seguir:

Neste universo, os casos confirmados de Covid-19 entre o dia 1º de janeiro e ontem (24/01) somaram 5.710. Destes, 2.549 estão ativos, com 164 pacientes internados. Tangará da Serra tem 100% dos leitos de UTIs ocupados e já extrapolou em 20% os de enfermaria.

Leia mais:  Covid-19: Região soma 809 casos e 521 recuperados; Campos de Júlio, Sapezal e Tangará têm maiores incidências

A média de crescimento de casos no período de referência é de 12,3%, com os quatro maiores percentuais verificados em Porto Estrela (35,49%), Nova Marilândia (32,22%), Denise (29,71%) e Barra do Bugres (24,84%).

Os menores percentuais de novos casos entre o dia 1º e o dia 24 deste mês estão em Nova Olímpia (0,81%), Alto Paraguai (1,72%), Sapezal (7,73%) e Tangará da Serra (8,65%).

Prefeito em tratamento

O prefeito de Tangará da Serra, Vander Masson (PSDB), testou positivo para Covid-19. Ele realizou o teste no domingo (24), quando teve os sintomas. Vander informou à redação que “está tudo sob controle”, seguindo à risca o tratamento.

No Estado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (24.01), 601.453 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 14.205 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Dos 601.453 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 25.649 estão em isolamento domiciliar e 560.639 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 179 internações em UTIs públicas e 192 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 82,8% para UTIs adulto e em 42% para enfermaria adulta.

Leia mais:  Agravamento da pandemia aumenta demanda por recursos e motiva suplementação de R$ 4,2 milhões

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (117.124), Várzea Grande (44.652), Rondonópolis (39.573), Sinop (28.292), Tangará da Serra (19.623), Sorriso (18.797), Lucas do Rio Verde (17.288), Primavera do Leste (16.600), Cáceres (13.552) e Alta Floresta (12.083).

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana