conecte-se conosco

Saúde Pública

Em relatório, TCE-MT declara aptos os leitos de UTI no HM de Tangará da Serra, mas aponta inconformidades

Publicado

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) fiscalizou nas duas últimas semanas os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e pediátrico e de enfermaria disponíveis exclusivamente para tratamento de pacientes acometidos pelo novo coronavírus (Covid -19) em dez unidades de saúde existentes no Estado, sendo que em oito delas foram constatadas inconformidades.

Na fiscalização, realizada pela Secretaria de Controle Externo de Saúde e Meio Ambiente por iniciativa do presidente da Corte de Contas, Guilherme Antônio Maluf, a equipe técnica encontrou inadequações no número de leitos de UTI declarados e existentes, leitos inaptos para funcionamento, falta de equipamentos, ausência de justificativa para desabilitação, dentre outros.

Foram inspecionados o Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, o Hospital Estadual Santa Casa, o Hospital São Benedito de Cuiabá, o Hospital Metropolitano, o Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande, o Hospital Municipal de Tangará da Serra, a Santa Casa de Misericórdia e Maternidade de Rondonópolis e os Hospitais Regionais de Sorriso, Sinop e Rondonópolis, sendo que apenas nos dois últimos não foram encontradas inconformidades.

Leia mais:  COVID-19: Números mostram MT com 36% a mais de infectados; Campo Novo do Parecis registra primeiro caso

Tangará da Serra

No Hospital Municipal de Tangará da Serra, a equipe técnica constatou ausência de justificativa interna para a desabilitação de oito leitos de UTI adulto e falta de documentação que comprove a devolução do recurso no valor de R$ 1,192 milhão destinado a manutenção por 90 dias.

A unidade planejou 13 leitos de UTI adulto até 4 de junho, nenhum deles foi habilitado, embora todos estejam aptos para receber pacientes com Covid-19, segundo o relatório do TCE-MT. Na data da fiscalização, em 22 de junho, dois estavam ocupados (15%).

Para enfermaria, foram planejados e existiam 49 leitos exclusivos, sendo que sete estavam ocupados (14%).

Relatório

Conforme o relatório final apresentado pelo TCE-MT, no que diz respeitos às dez unidades fiscalizadas foram planejados 219 leitos de UTI adulto até 4 de junho, o Ministério da Saúde habilitou 146, sendo que estavam aptos para receber pacientes acometidos por Covid-19 216 leitos e 181 estavam ocupados na data da fiscalização (84%). Para enfermaria, foram planejados 680 leitos, dos quais 499 estavam aptos para receber pacientes com o novo coronavírus e 157 estavam ocupados na data da fiscalização (31%).

Leia mais:  Covid-19: Em uma semana, contaminação decai quase três pontos em Tangará da Serra

Somente no que diz respeito às unidades de Cuiabá e Várzea Grande, a equipe técnica constatou a existência de 159 leitos de UTI adulto aptos para receber paciente, dos quais 140 estavam ocupados (88%). Em relação à enfermaria, foram planejados 502, estavam aptos 330 leitos e 118 estavam com pacientes, uma taxa de ocupação de 36%.

Quanto aos leitos de UTI pediátrico, que só existem em Cuiabá, foram planejados 27, habilitados 25, mas apenas 13 leitos estavam aptos e cinco deles estavam ocupados (38%).

A vistoria buscou analisar se as condições físicas das unidades estavam em conformidade com as informações disponíveis no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), no qual constam os novos leitos de UTI adulto e pediátrico exclusivos para atendimento da Covid-19, habilitados pelo Ministério da Saúde por meio das Portarias nº 1.109/2020 e 1.239/2020, que também estabeleceu os recursos a serem disponibilizados ao Estado e municípios.

(Assessoria TCE-MT)

publicidade

Saúde Pública

Covid-19: Em uma semana, contaminação decai quase três pontos em Tangará da Serra

Publicado

Informação contida no boletim epidemiológico divulgado na manhã desta quinta-feira (10) pelo Comitê Interinstitucional de Prevenção e Monitoramento ao Coronavírus indica uma semana de queda gradual da taxa de crescimento da contaminação (TCC) da Covid-19 em Tangará da Serra.

De acordo com o boletim (veja, ao final do texto), a TCC desta quinta-feira é de 21,1%, contra uma taxa de 24% no último dia 03, quinta-feira da semana passada. (Gráfico demonstrativo abaixo)

Apesar de estar bem acima da meta de 18% para a TCC em Tangará da Serra, o percentual desta quinta-feira indica uma regressão lenta e gradual no índice de contaminação pelo coronavírus no município.

Neste período de uma semana, a TCC decaiu 2,9 pontos percentuais, o que representa uma queda de 12% neste indicador.

Letalidade

O índice de letalidade (número de óbitos em relação ao número de pacientes infectados) da Covid-19 em Tangará da Serra é de 2,04%.

Este índice, que se mantém estável nestes primeiros dez dias de junho, se situa numa faixa intermediária em Mato Grosso, cujo índice é de 2,65%.

Leia mais:  Município avalia hoje quadro da pandemia e decide sobre comércio e quarentena

Várzea Grande, na região metropolitana, detém o índice de letalidade mais alto (4,03%) entre os 10 municípios mais afetados pela pandemia no estado. O índice de letalidade mais baixo nestes dez municípios mais afetados é o de Lucas do Rio Verde, com 1,22%.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana