conecte-se conosco

Saúde Pública

Covid-19: Em Tangará, Comitê descarta ampliar flexibilização mesmo com redução de risco para moderado

Publicado

Com 162 casos ativos e uma taxa de 69% de ocupação das UTI’s exclusivas para Covid-19, Tangará da Serra teve seu risco de contaminação reduzido de ‘Alto’ para ‘Moderado’ pela Secretaria de Estado de Saúde. Contudo, não deverá ser ampliada a flexibilização para os setores que ainda sofrem restrições em suas atividades por conta da pandemia no novo coronavírus.

A informação é do Comitê Interinstitucional de Prevenção e Monitoramento do Coronavírus no município, que tem à frente o prefeito Fábio Martins Junqueira. Segundo ele, os registros de novos casos seguem ocorrendo, com a maioria dos internados pertencendo a grupos de risco, o que pode representar a ocorrência de novos óbitos. “Ainda não é hora de desmobilizar a não aglomeração de pessoas”, disse, em contato com a redação.

A manutenção de parte das restrições segue, portanto, para escolas, eventos, bares, restaurantes e lanchonetes.

Boletim

Segundo boletim epidemiológico divulgado ontem (quarta, 29) pelo município, os casos de infecção pelo novo coronavírus em Tangará da Serra somam 2.024 desde o início da pandemia, em 01 de abril.

Leia mais:  Coronavírus: Boletim mostra quadro inalterado de ontem para hoje em Tangara da Serra

Entre estes casos registrados, 1.837 pacientes evoluíram para cura clínica, perfazendo um índice de cura de 90,8%. Os casos ativos somam 162, entre pacientes em isolamento domiciliar (147), sete internados em enfermarias (05 leitos públicos e 02 leitos privados) e oito internados em UTIs (06 leitos públicos e 02 leitos privados). Os óbitos somam 25.

Há, ainda, 11 casos em investigação, com cinco pacientes internados em enfermaria (03 públicas e 02 particulares) e seis internados em UTIs (03 públicas e 03 particulares). Tangará da Serra também tem internados sete pacientes de outros municípios, todos em hospital particular (02 em enfermaria e 05 em UTI).

Estado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (29.07), 48.854 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 1.752 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado e 52 mortes nas últimas 24 horas.

Foram registradas 1.809 novas confirmações de coronavírus no Estado. Dos 48.854 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 18.161 estão em monitoramento e 28.941 estão recuperados.

Leia mais:  COVID-19: MS anuncia mudança de protocolo, com isolamento domiciliar e prioridade para grupos distintos

Entre os casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 277 internações em UTIs públicas e 325 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 79,94% para UTIs adulto e em 36,76% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão Cuiabá (10.841), Várzea Grande (3.926), Sinop (3.562), Rondonópolis (3.144), Lucas do Rio Verde (2.708), Tangará da Serra (2.024), Sorriso (1.858), Sinop (1.833), Primavera do Leste (1.716), Nova Mutum (1.395) e Pontes e Lacerda (914).

publicidade

Saúde Pública

Covid-19: Óbitos triplicam em Tangará da Serra em julho; Casos ativos somam 188, com 85% das UTIs ocupadas

Publicado

Boletim epidemiológico divulgado ontem (sexta, 31) pelo Comitê Interinstitucional de Prevenção e Monitoramento do Coronavírus indicou um total de 25 óbitos decorrentes da Covid-19 em Tangará da Serra. O número representa o triplo (212,5%) sobre o total de mortes ocasionadas pela doença mês passado (total de 08) no município.

(Veja gráfico demonstrativo acima e quadro com todos os números ao final da matéria)

A variação de óbitos em Tangará da Serra é levemente superior à variação no estado, que das 629 mortes registradas em 30 de junho saltou para 1.842 em 31 de julho. A variação no estado, portanto, foi de 192,8%, também praticamente o triplo dos registros de fatalidades do mês anterior.

Já no país, os óbitos registrados desde o início da pandemia somaram ontem um total de 92.568, ante as 60.713 mortes registradas pela Covid-19 em 30 de junho. A variação no país, portanto, foi de 52,4%.

Os percentuais de mortes em Mato Grosso e Tangará da Serra, que se apresentam muito acima da média nacional, se deve ao processo de interiorização da pandemia, intensificado no país a partir do mês passado.

Leia mais:  Covid-19: Tangará da Serra tem melhor índice de cura e menor letalidade entre os principais municípios do MT

Boletim

Ainda segundo o boletim de ontem do Comitê Interinstitucional de Prevenção e Monitoramento do Coronavírus, Tangará da Serra fechou o mês de julho com 2.162 casos de infecção pelo novo coronavírus desde o dia 01 de abril, quando foi registrado o primeiro caso da doença no município.

Deste total de casos, os pacientes que evoluíram para a cura somam 1.949, perfazendo um bom índice – 90% – de recuperação.

Os casos ativos somam 188 pacientes. Destes, 169 recuperam-se em isolamento domiciliar, enquanto 19 estão internados, sendo seis em enfermaria (05 públicas e 01 particular) e 13 em UTI (11 em leitos públicos e 02 em leitos privados).

Assim, o índice de ocupação de UTIs públicas no município é de 84,6%.  Os óbitos somam 25.

Há, ainda, quatro pacientes sob suspeita de Covid-19 internados em enfermaria (03 públicas e 01 privada) e seis pacientes de outros municípios internados em hospital particular, sendo cinco em UTI e um em enfermaria.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana