conecte-se conosco

Setor Público & Agentes

Aterro sanitário de Tangará da Serra recebe ampliação em 30%

Publicado

O Aterro Sanitário de Tangará da Serra está recebendo obras de ampliação da sua capacidade para mais oito anos de vida útil. Os trabalhos iniciaram em outubro e deverão ser concluídos em até 30 dias, segundo informou o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE).

A ampliação da capacidade será de 180 mil metros cúbicos, o que corresponde a 30% do maciço atual do aterro, que é de 600 mil m³. “Sabemos da demanda de Tangará da Serra quanto à destinação final dos resíduos sólidos e é por isso que estamos investindo nesta ampliação”, disse o diretor do SAMAE, Wesley Lopes Torres. O valor investido pela autarquia nas obras é de R$ 800 mil.

Aterro Sanitário: ampliação da capacidade para mais oito anos de vida útil.

Cooperativa

Torres destaca que a carga recepcionada pelo aterro ficará ainda mais seletiva com a eliminação dos resíduos arbóreos, que passarão a ser aproveitados em cavacos para geração de energia e compostagem.

O trabalho será feito pela Cooperativa de Produção de Material Reciclável de Tangará da Serra – COOPERTAN -, que recebeu este mês um triturador de galhos, uma empilhadeira, uma paleteira e também um picador de papel, através de convênio firmado com a Superintendência de Desenvolvimento do Centro Oeste (SUDECO), intermediado pela Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA) e o Núcleo de Políticas Públicas para Economia Solidária (NUPES).

Leia mais:  Governador diz que crescimento de MT é freado pela burocracia e logística deficiente

“Teremos reflexo imediato no aterro sanitário, com prolongamento da sua vida útil e, também, com geração de emprego e renda aos membros da COOPERTAN no aproveitamento dos resíduos arbóreos e do papel que será fragmentado da forma que a indústria recicladora precisa”, observou Wesley, que acompanhava, no atero, a visita de acadêmicos do 10º semestre de Engenharia Civil da UNEMAT.

Wesley entre acadêmicos da UNEMAT: Investimento de R$ 800 mil na ampliação do aterro.

Aterro

O Aterro Sanitário está localizado na Estrada da Comunidade São José, numa área de 24 hectares organizada em setores com células (maciço) em taludes gramados com drenagem de gases, drenagem e lagoas de tratamento de chorume, sede administrativa com barracão e balanças para pesagem dos resíduos recepcionados.

(*) No vídeo abaixo, atividade no Aterro Sanitário

O local recebe 79 toneladas diárias de lixo úmido (orgânico), rejeitos (resíduos sólidos não reutilizáveis como papel higiênico e fraldas descartáveis, restos de podas e jardinagens) e entulhos (restos de construções). Todo este material passa por aterramento diário e todo um conjunto de técnicas com objetivo de mitigar a contaminação do solo, os recursos hídricos e o ar. Para operação, monitoramento geotécnico e ambiental do aterro sanitário, o SAMAE mantém contrato com a Serrana Engenharia, empresa especializada em gestão de resíduos sólidos.

Leia mais:  Vereadores querem esclarecimentos sobre PL que prevê aquisição de área para aeroporto

Seco e hospitalar

Já o lixo ‘seco’ (materiais recicláveis) não vai para o aterro sanitário, já que o município dispõe de coleta seletiva em parceria com a COOPERTAN para destinação destes resíduos dentro do contexto da logística reversa. Quanto ao lixo hospitalar, o município mantém parceria com empresas de Cuiabá, para onde remete os resíduos para eliminação por processos de autoclave e outros autorizados por lei.

(*) Abaixo, mais imagens do Aterro Sanitário:

publicidade

Setor Público & Agentes

Município cria Núcleo de Regularização Fundiária; 102 lotes da Triângulo já estão titularizados

Publicado

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA), firmou acordo de cooperação técnica com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA),para dar celeridade nos processos de regularização fundiária rural em Tangará da Serra.

Agora, com a criação do Núcleo de Regularização Fundiária, por meio de decreto do prefeito municipal, Vander Masson, o próximo passo será a efetivação do georeferenciamento de todas as propriedades (lotes/parcelas) do assentamento ou da gleba a serem titulados. Esses são alguns dos requisitos para que se inicie os processos de titularização.

Decreto de criação do núcleo: Assinatura do prefeito Vander Masson, com secretário Rogério Rio e liderança da Gleba Triângulo.

Com isso, a sala da cidadania do INCRA, que já exerce atividades junto a SEAPA, terá sua área de atuação e abrangência ampliada, oferecendo celeridade aos processos de titularização.

A Gleba Triângulo, que possui 139 lotes a serem titularizadas, recentemente foram emitidos 102 títulos, que em breve serão entregues aos produtores rurais, restando ainda 37 parceleiros a serem titulados.

Leia mais:  Tangará da Serra: Vander Masson anuncia mais três secretários; Secultur ainda pendente

“O nosso município possui uma grande área a ser titularizada, que inclui o Assentamento Antônio Conselheiro, onde teremos aproximadamente 1.000 parcelas a serem titularizadas. Isso é muito importante, pois, além de oferecer segurança jurídica aos produtores rurais, permitirá o acesso ao crédito bancário e contribuirá para o desenvolvimento do nosso Município”, destaca o secretário de Agricultura, Rogério Rio.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana