conecte-se conosco


Cidades & Geral

Vereador cita atividade essencial e pede inclusão de jornalistas no grupo prioritário da vacinação

Publicado

O alto número de jornalistas infectados pelo novo coronavírus e que vieram a óbito em razão da Covid-19 no país motivaram propositura de inclusão da categoria no grupo prioritário de vacinação contra a doença.

O alto número de jornalistas infectados pelo novo coronavírus e que vieram a óbito em razão da Covid-19 no país motivaram propositura de inclusão da categoria no grupo prioritário de vacinação contra a doença.

Na última segunda-feira (29), o vereador Marcus Brito Junior (PV) protocolou, na Câmara Municipal de Cuiabá, projeto de lei que visa incluir a imprensa no grupo prioritário na capital do estado. A medida visa garantir a imunização dos profissionais que atuando na linha de frente levando informação para a população.

Propositura é de autoria do vereador Marcus Brito Junior (PV), de Cuiabá.

O parlamentar ressalta que, neste momento, o programa vacinal precisa atingir e proteger profissionais que atuam em atividades essenciais e, portanto, não estão sujeitos a outras medidas de proteção como o isolamento social.

Entre estes profissionais, que não puderam paralisar suas atividades desde o início da pandemia no município, há mais de um ano, estão aqueles que atuam na imprensa.

Leia mais:  Tangará da Serra: Após quatro meses, cidade retoma atividades em ambientes públicos; Maiores de 60 anos com acesso a igrejas

O direito à informação é cláusula pétrea da Constituição Federal de 1988 e é assegurado pelo trabalho daqueles que se dedicam em disseminar a informação e, assim, também contribuir para o combate à pandemia.

“A imprensa exerce um papel fundamental neste período de pandemia, mantendo a população informada e ciente de todos os acontecimentos, inclusive, vem sendo utilizada pelo poder público como um canal direto om a população, repassando dados e informações como medidas de combate, vacinação, número de infectados, entre outras coisas”, coloca o vereador.

Desta forma, a fim de resguardar os direitos fundamentais dos mato-grossenses, em especial os cuiabanos, que precisam do acesso às informações, até mesmo para acessarem seus direitos mais básicos, como o da própria vida, saúde e informação, a priorização dos profissionais da imprensa no plano municipal de imunização faz-se necessária para garantir à população o acesso às informações de interesse público e coletivo.

Presença em vários locais para cobertura jornalística expõem os profissionais e, também, a terceiros.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas em Cuiabá, Itamar Perenha, ratifica a iniciativa do vereador. De acordo com ele, já se contabiliza em todo o Brasil 1.032 jornalistas falecidos pela Covid.

Leia mais:  Municípios podem recorrer de decisão de desembargador que obriga cumprimento do Decreto 836

“Eu acho uma boa iniciativa. Perdemos muitos amigos em Cuiabá. Temos diversos casos em internação e outros que faleceram, infelizmente. Quem faz externa está submetido a muitos riscos. Enquanto isso contabilizamos já em todo o brasil 1.032 jornalistas falecidos pela Covid. O maior do mundo”, disse.

Conforme já ressaltado pelo próprio Siundjor-MT, os riscos de contaminação durante o trabalho jornalístico não se restringem aos profissionais da imprensa, mas à própria sociedade. A intensa movimentação dos profissionais da imprensa e a grande variedade de locais onde eles atuam durante seu trabalho os tornam vetor em potencial para disseminação do coronavírus.

publicidade

Cidades & Geral

Brasnorte: Ação na Justiça requer devolução de área e indenização de R$ 10 milhões da JBS

Publicado

O não cumprimento de um acordo entre uma indústria frigorífica e o município de Brasnorte (600 km de Cuiabá) está resultando numa batalha judicial. O município de Brasnorte entrou com uma ação contra a JBS para revogação de doação com pedido de reversão do imóvel.

O motivo seria o não cumprimento de atividade econômica de um frigorífico instalado pela empresa, que estaria operando com apenas 10% da capacidade, frustrando as expectativas do município de fomento à economia quando da doação da área.

Segundo o prefeito de Brasnorte, Edelo Marcelo Ferrari, a verdadeira intenção do pedido é que o frigorífico cumpra sua finalidade.

A ação inclui, ainda, multa de R$ 500 mil reais e R$ 10 milhões em indenizações por danos morais.

Segundo o prefeito de Brasnorte, Edelo Marcelo Ferrari (DEM), a verdadeira intenção do pedido é que o frigorífico cumpra sua finalidade, que é de realizar os abates previstos, gerar emprego e trazer renda para o município. “Nós também temos muito dinheiro investido naquela área, tendo em vista que o município fez toda a terraplanagem além da doação do terreno. Então, mais do que justo seria funcionar e isso não está acontecendo”, explica Ferrari.

Leia mais:  Criminosos usam boletos falsos para aplicar golpes em empresas de Tangará e região

Desapontamento

Para o presidente do Sindicato Rural de Brasnorte, Cleber José dos Santos Silva, a classe produtora está muito desapontada com a subutilização da planta instalada no município e concorda com a ação imposta pela prefeitura para o cumprimento do TAC. “Hoje nós temos uma pecuária maior e mais forte, fartura de pasto – com a integração de agricultura e pecuária, temos mais de 400 mil cabeças de gado e condições para instalar grandes frigoríficos e confinamentos porque temos uma abundância de grãos dentro do nosso município. Então nós cobramos que haja a responsabilidade do frigorífico de cumprir com este compromisso que ele tem com nosso município ou então deixar a oportunidade para que outras empresas possam explorar o potencial que temos aqui em Brasnorte”, esclareceu Cleber.

(Fonte: Agronews; foto: prefeitura de Brasnorte)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana