conecte-se conosco

Política & Políticos

Verde Amarelo: Tangaraenses participarão de ato pró-Bolsonaro no próximo dia 15, em Brasília

Publicado

Cerca de 70 tangaraenses estarão em Brasília no próximo sábado para participar de manifestação nacional em apoio ao presidente da República, Jair Bolsonaro. O “Movimento Brasil Verde Amarelo é de iniciativa popular e inclui protestos contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e, também, contra as medidas de restrição à economia adotadas por governadores e prefeitos.

O grupo de tangaraenses irá a Brasília já no dia 13 (quinta-feira), embarcando às 17h00 em dois ônibus, com ponto de partida no estacionamento do posto de gasolina localizado na Lions Internacional, proximidades do entroncamento com o Anel Viário, imediações da entrada do Parque de Exposições.

As vagas estão quase totalmente preenchidas. Interessados em participar podem entrar em contato pelos telefones (65) 98453-0321 e 99987-4445. As despesas com transporte de ônibus, hospedagem e alimentação serão custeadas com recursos angariados por contribuições espontâneas de voluntários do movimento. O retorno acontece logo após os eventos programados pela organização, com chegada a Tangará da Serra no domingo (16).

Leia mais:  Em proposta de delação, Riva revela outra face de Blairo e cita tangaraense em escândalo

Movimento

O Movimento Brasil Verde Amarelo é organizado através de iniciativa popular patriótica apoiada pelo setor produtivo através da Associação Brasileira dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja Brasil), a Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra (Andaterra) e a Associação dos Cafeicultores do Brasil (Sincal). A mobilização é feita por meio de sindicatos vinculados às federações da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA).

Outra pauta do movimento é a CPI da Covid, considerada pelos organizadores como inoportuna e politicamente tendenciosa, com intenções ocultas para, entre outras tentativas, atribuir ao presidente Jair Bolsonaro a responsabilidade pelas mortes e internações ocasionadas no Brasil pela pandemia.

A CPI seria, segundo o movimento, uma manobra para minar o atual governo e abrir espaço para o retorno da esquerda ao poder, através do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que passou um período preso por crimes de corrupção, mas foi solto por decisão do STF.

Também figuram na pauta a defesa do Brasil, da Constituição Federal, da família e da liberdade. A manifestação também reivindica segurança jurídica e governabilidade de quem foi democraticamente eleito pelo voto. As manifestações em Brasília acontecerão na Praça dos Três Poderes, no sábado.

Leia mais:  Ex-ministro e atual deputado teria intermediado propina para favorecer grupo empresarial

publicidade

Política & Políticos

Redução de biodiesel à mistura do diesel é errada e prejudica setor, afirma senador

Publicado

O senador Carlos Fávaro (PSD-MT) classificou como errada a postura do Governo Federal em reduzir de 13% para 10% o percentual de mistura do biodiesel ao diesel convencional. Coordenador-geral da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FPBio), ele destacou que a diminuição da mistura não traz nenhuma economia para o consumidor final e prejudica uma cadeia que gera muitos empregos, além da questão ambiental.

Por conta disso, Fávaro tem trabalhado para convencer o Governo Federal da necessidade do retorno aos 13% e do aumento, gradativo, para 14% até o ano que vem. “Não há nenhuma chance destes 3% representarem um aumento no preço ao consumidor final. E, por outro lado, isso significa uma retração em um mercado que cria energia limpa, renovável e que pode significar a redução de empregos e de recursos para pesquisas que podem aprimorar ainda mais a matriz energética”, afirmou o parlamentar.

Para o senador, o mundo discute e atua no sentido de buscar fontes de energia renováveis e limpas e, com esta postura, o Brasil segue em sentido contrário. “O mundo todo vem fazendo essa migração energética para fontes limpas, renováveis, e nós não podemos admitir que o Brasil ande na contramão desse processo. Por isso, a ampliação do biodiesel na mistura é muito importante e nossa pauta prioritária”.

Leia mais:  Em proposta de delação, Riva revela outra face de Blairo e cita tangaraense em escândalo

Neste sentido, outra das bandeiras da FPBio é o banimento total do diesel S500, que conta com muitas substâncias tóxicas, nocivas ao meio ambiente. “O nosso objetivo na Frente é trabalhar por energias limpas, renováveis e deixar no passado combustíveis altamente poluentes. Por isso, tolerância zero a este diesel”.

Fávaro foi escolhido coordenador-geral da FPBio no mês passado, quando o deputado Pedro Lupion (DEM-PR) se tornou presidente do colegiado. A Frente conta com mais de 200 parlamentares e tem como função principal a busca por um ambiente dentro do Congresso Nacional favorável para a criação de políticas públicas voltadas ao setor.

(Assessoria)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana