conecte-se conosco

Agronegócio & Produção

Unificação: Município poderá ganhar núcleo de assistência e fomento à atividade rural

Publicado

A unificação da assistência técnica para as pequenas propriedades poderá ser uma novidade em Tangará da Serra ainda nesse ano. A informação é do secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Rogério Rio, que articula a criação de um núcleo ou comitê de assistência técnica e fomento à atividade rural no município.

Rio informa que ao menos cinco órgãos e instituições deverão compor o núcleo/comitê, sendo eles a própria Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a Empaer, o Senar-MT, a Unemat e o Sindicato Rural de Tangará da Serra. Também há conversações com o Indea e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais. “A ideia é mapear a atividade rural, a produção do município, e distribuir tarefas”, explica.

Rogério Rio: “Nosso objetivo é fazer a assistência chegar na ponta, lá na propriedade, junto ao produtor”.

Conforme o secretário, a assistência técnica nas pequenas propriedades e na agricultura familiar precisa ser mais efetiva e harmonizada. “Nosso objetivo é fazer a assistência chegar na ponta, lá na propriedade, junto ao produtor”, observa.

Rogério Rio cita como exemplo a produção leiteira, uma atividade que resulta em renda mensal importante ao pequeno produtor e que, por isso, ajuda a fixar o homem no campo. Assim, uma assistência técnica e uma logística de comercialização adequadas podem resultar num incremento significativo na produtividade e na rentabilidade. “Muito leite sai de Tangará da Serra e vai para Arenápolis, Barra do Bugres e Curvelândia, enquanto o laticínio daqui do município tem que comprar leite lá fora”.

Leia mais:  Momento Agrícola: Os canais de Suez e do Panamá, a BR-163 e entrevistas são os destaques

Os cursos de qualificação do Senar também são mencionados pelo secretário. De ótima qualidade, os cursos oferecidos pelo órgão podem atender os pequenos de uma forma mais abrangente, em espacial os produtores assentados no Antônio Conselheiro e outros assentamentos.

As conversações em torno da unificação deverão resultar na formalização do núcleo ou comitê neste segundo semestre. “A unificação é uma ideia que vem sendo fomentada a mais tempo e que agora começa a tomar forma”, concluiu Rogério Rio.

(Foto cabeçalho: Empaer)

publicidade

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Fiagro, Seguro Rural, novos preços mínimos e entrevistas são os destaques

Publicado

O Momento Agrícola abre o mês de junho com uma série de assuntos importantes para o Agro, como o Fiagro, o Seguro Rural, o crescimento do PIB, os novos preços mínimos de produtos agropecuários publicados pelo governo de Mato Grosso, entre outros.

De autoria do produtor rural, agrônomo e consultor Ricardo Arioli, o programa é veiculado aos sábados pela Rede de Rádios do Agro e repercutido em forma de notícias e com o link do Soundcloud pelo Enfoque Business (ao final do texto), também aos finais de semana.

Fiagro

O Congresso Nacional derrubou o veto parcial (VET 12/2021) do presidente Jair Bolsonaro ao PL 5.191/2020, projeto de lei que institui os Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais (Fiagro), que são um instrumento de captação de recursos para o agronegócio no mercado financeiro. A derrubada do veto aconteceu em sessão remota, na última terça-feira (01.06).

Bolsonaro havia vetado quatro pontos do projeto que previam benefícios fiscais para os investidores do Fiagro, como isenção de Imposto de Renda na fonte para as aplicações efetuadas e, também, para os rendimentos de cotas negociadas em bolsas de valores ou no mercado de balcão organizado.

Os vetos tinham sido propostos pelo Ministério da Economia, que afirmou que esses dispositivos implicavam renúncia de receita, sem previsão de corte equivalente de despesa, prazo de vigência dos benefícios e estimativa de impacto orçamentário.

Leia mais:  Momento Agrícola: ILPF, arroz de terras altas, cortes na Embrapa e mercado da carne suína são destaques

Sem os incentivos, o Fiagro ficaria muito ‘caro’. Ricardo Arioli faz considerações a respeito desta boa notícia para o setor produtivo.

Seguro Rural

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou no início dessa semana o valor inicial a ser liberado para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) em 2021. Do valor total de R$ 976 milhões, previsto na Lei Orçamentária Anual (LOA), serão liberados já no mês de junho R$ 693 milhões (71%). O restante do orçamento (R$ 283 milhões) deverá ser liberado no segundo semestre.

Serão disponibilizados aos produtores R$ 400 milhões para a contratação de apólices para as culturas de inverno, como o milho 2ª safra e trigo; R$ 200 milhões para as culturas de verão, como a soja, o milho 1ª safra, o arroz e o feijão; R$ 65 milhões para as frutas; R$ 6 milhões para a modalidade de pecuária; R$ 1 milhão para a modalidade de florestas e R$ 21 milhões para as demais culturas.

“Com esse apoio do Governo Federal, será possível fomentar a contratação de aproximadamente 115 mil apólices e proporcionar a cobertura de 7,5 milhões de hectares”, ressaltou o diretor do Departamento de Gestão de Riscos, do Mapa, Pedro Loyola.

O clima é o principal fator de risco para a produção rural. Ao contratar uma apólice de seguro rural, o produtor pode minimizar as perdas ao recuperar o capital investido na lavoura. O Momento Agrícola faz uma abordagem pontual a respeito desse tema.

Leia mais:  Momento Agrícola: Os canais de Suez e do Panamá, a BR-163 e entrevistas são os destaques

Outros

O Momento Agrícola traz outras abordagens relevantes nesta edição. Uma delas é o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), que cresceu 1,2% na comparação do primeiro trimestre de 2021 contra o quarto trimestre de 2020. Houve taxas positivas na Agropecuária (5,7%), Indústria (0,7%) e Serviços (0,4%).

O agronegócio é o grande responsável pelo crescimento do PIB brasileiro.

Arioli faz considerações sobre a participação do Agro nesse crescimento e inclui, nesse com texto, o crescimento de 26% das receitas do estado de Mato Grosso nos primeiros quatro meses desse ano, numa comparação com o ano passado.

O governo estadual, vale lembrar, já determinou os novos preços mínimos (com majorações) para produtos agropecuários, que servirão de base para o cálculo do ICMS nas vendas para fora do estado. Esta é outra abordagem do Momento Agrícola.

Outro assunto importante: O Projeto de Difusão Tecnológica do Instituto AgriHub (Famato) preparou para os meses de junho e julho (de 09/06 a 28/07) uma série de Lives intituladas de “Desembarcando Tecnologias”, com a participação de fabricantes de máquinas e equipamentos. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no seguinte link: http://www.agrihub.com.br/livedesembarque.

Nos blocos seguintes, o Momento Agrícola traz diálogos sobre ‘A Volatilidade do Mercado de Soja Convencional na Europa’, com Johnny Drescher; ‘Os Perigos das Relações de Troca na Compra de Insumos’, com Antônio da Luz; e ‘Um Manifesto para a Comunicação do Agro’, com José Luiz Tejon.

Para ouvir o Momento Agrícola na íntegra, clique abaixo:

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana