conecte-se conosco


Infraestrutura & Logística

Tendência de concessão de rodovias para pedágio inclui toda a macrorregião Cáceres-Tangará da Serra

Publicado

A necessidade de manutenção permanente de rodovias depois de pavimentadas e/ou recuperadas é o principal vetor da tendência de concessão das vias de jurisdição estadual em Mato Grosso. Ou seja, praticamente todas as estradas estaduais deverão ser concessionadas, com cobrança de pedágio, pelo governo do Estado.

Segundo informações do próprio governo, o estado de Mato Grosso possui 22 mil quilômetros de estradas não-pavimentadas e 2,4 mil pontes de madeira. Diante dessa realidade, é consenso nos corredores do palácio Paiaguás que a manutenção dos 7,2 mil quilômetros de estradas estaduais já pavimentadas seja realizada por parceiros privados.

Propostas

Ainda esta semana, a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT) recebeu propostas para formalização de parceria social junto à Associação Agrologística de Mato Grosso para a conservação, recuperação e manutenção de 419 quilômetros de rodovias estaduais.

Trecho Jangada-Itanorte já está em processo de concessão para pedágio.

Este modelo de parceria faz parte do Programa de Parcerias Sociais (PPP Sociais), implementado pelo governo estadual. O formato consiste na prestação dos serviços de conservação, recuperação, operação e investimentos em obras novas, através da implantação e gestão de praças de pedágios, em um trecho de 310,9 quilômetros das rodovias MT-010, MT-249 e MT-235, em Diamantino, Nova Mutum e Campo Novo do Parecis, respectivamente. Além disso, preveem a parceria em outros 108,4 quilômetros da MT-480, em Tangará da Serra.

Leia mais:  MT-339: Em pavimentação, rodovia se consolidará como novo corredor de integração do Sudoeste

Esta mesma tendência se aplica em toda a macrorregião oeste-sudoeste de Mato Grosso, com as rodovias MT-240 (entre Tangará da Serra e Santo Afonso), MT-339 (Tangará-Panorama) e a MT-343 (Cáceres-Barra do Bugres), estradas que recebem obras de pavimentação e deverão estar concluídas em médio prazo.

Além destas, o estado já prepara a concessão do trecho Jangada-Itanorte, formado pelas MTs 246, 343 e 358.

Custos e parcerias

O engenheiro civil, economista e especialista em logística Sílvio Tupinambá, avalia a concessão pela ótica fiscal. “Saímos de uma recessão econômica em 2015/2016 e entramos em outra recessão em 2020 por causa da pandemia. Então, a concessão é a alternativa mais viável para custear a manutenção das estradas”, disse, acrescentando, neste contexto, a questão logística. “Todas as estradas da nossa região integram a hinterland (área de influência) dos terminais portuários de Cáceres, daí a importância da manutenção delas sempre em bom estado”, completou.

Trecho pavimentado da MT-343: Rodovia integra ‘hinterland’ da região portuária de Cáceres.

Para o gerente operacional das obras da MT-339, Edilson Sampaio, as concessões viabilizam de forma amplamente satisfatória a manutenção das estradas após as pavimentações e, por isso, aposta que esta será a tendência para as rodovias estaduais. “O governo entende que não se pode pavimentar ou recuperar uma rodovia e deixar ela lá, sem ninguém para cuidar. Então, as concessões são feitas pelo estado, com a devida outorga, e é aí que entram as parcerias público-privadas (PPPs)”, esclareceu.

MT-339: Estrada deverá ser concessionada após pavimentação.

Sampaio atua pela Associação dos Produtores das MTs 339 e 480, entidade responsável pela execução dos trabalhos de pavimentação em convênio com o governo do Estado. Ele defende a modalidade das PPPs como a ideal para que o pedágio a ser cobrado seja de um valor acessível aos usuários e que permite a manutenção das estradas, com pavimento, acostamento e sinalização sempre em boa manutenção, laterais roçadas e, obviamente, com gestão das praças de pedágio. “É um modelo de pedágio mais simples, sem aquela estrutura toda, com ambulâncias e guinchos, por exemplo. Mas é uma modalidade em que teremos uma rodovia em bom estado e com uma tarifa de pedágio justa”, considerou.

Leia mais:  MT-339: Em pavimentação, rodovia se consolidará como novo corredor de integração do Sudoeste

Trechos com propostas

As propostas já recebidas pela Sinfra-MT preveem manutenção pedagiada de 310,9 quilômetros em três rodovias. Na MT-249, no trecho que vai do entroncamento da BR-163 em Nova Mutum até o entroncamento da MT-235, com extensão de 137,5 quilômetros.

Já na MT-235, no trecho do entroncamento da MT-249 até o entroncamento da MT-170 em Campo Novo do Parecis, totalizando 74,4 quilômetros. E, por último, na MT-010, no trecho do entroncamento da BR-364 até o entroncamento da MT-160 em São José do Rio Claro, totalizando 99 quilômetros.

Além disso, a parceria prevê a manutenção pedagiada na MT-480, em Tangará da Serra, no trecho que vai da duplicação da Avenida Nilo Torres, no município, até o entroncamento da MT-235, com extensão de 108,4 quilômetros.

publicidade

Infraestrutura & Logística

MT-339: Em pavimentação, rodovia se consolidará como novo corredor de integração do Sudoeste

Publicado

O Governador Mauro Mendes visitou na última sexta-feira (24/06), as obras de pavimentação da rodovia MT-339. O chefe do Executivo estadual esteve no local acompanhado do prefeito Municipal de Tangará da Serra, Vander Masson, e grande comitiva composta por deputados, senadores, vereadores, empresários e lideranças da sociedade civil organizada.

Mendes gostou do que viu, com a obra avançando a passos largos com previsão de entrega no prazo contratado, sendo que ainda este ano, até dezembro, a pavimentação estará concluída até a localidade de Nova Fernandópolis, em Barra do Bugres, correspondendo à metade do trecho contratado de 122 quilômetros até entroncamento com a MT-170, localidade de Panorama, em Rio Branco, já na região Oeste do estado. As obras estão sob responsabilidade da Guaxe Construtora e Terraplanagem.

Na MT-339, Mendes gostou do que viu, com a obra avançando a passos largos com previsão de entrega no prazo contratado, em 2023.

Os produtores da região beneficiada – representados pela Associação de Produtores das Rodovias MT-480 e 339 – contribuem com 5% do valor dos custos de pavimentação.

Leia mais:  MT-339: Em pavimentação, rodovia se consolidará como novo corredor de integração do Sudoeste

A pavimentação da rodovia avança e as máquinas já estão às margens de um dos mais importantes pontos turísticos do Estado de Mato Grosso, a “Casa de Rondon”, construída no início do século passado junto ao rio Sepotuba. A pavimentação já atende os produtores do Assentamento Antônio Conselheiro e promoveu uma valorização expressiva nas propriedades rurais, tanto da comunidade rural anteriormente citada, quanto das fazendas já existentes na região.

Segundo o superintendente da Associação de Produtores, Edilson Sampaio, o governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Padeiro, asseguraram que os aportes financeiros do estado seguirão de maneira pontual até a conclusão da obra, em dezembro de 2023. “O governo do estado nos dá esta segurança, de poder trabalhar com a garantia de que não faltará recursos para as obras que estão contratadas”, disse Sampaio.

Edilson, com Mendes e Padeiro: “O governo do estado nos dá esta segurança, de poder trabalhar com a garantia de que não faltará recursos”.

A MT-339 possuiu um traçado integrador, conectando os municípios de Rio Branco, Salto do Céu, Lambari do Oeste, Barra do Bugres, Nova Olímpia a Tangará da Serra. Estima-se que quando plenamente asfaltada, o tráfego aumente consideravelmente e todos os municípios venham usufruir do comércio e prestação de serviços que Tangará oferece. A pavimentação também proporcionará novas oportunidades de negócios à região, como a instalação de novas unidades de armazenagem de grãos, plantas industriais e empreendimentos comerciais.

Leia mais:  MT-339: Em pavimentação, rodovia se consolidará como novo corredor de integração do Sudoeste

MT-240

MT-240: Pavimentação será concluída até dezembro desse ano.

Outra rodovia integradora que finalmente está sendo pavimentada é a MT 240, que liga Tangará da Serra ao município de Santo Afonso. A pavimentação é um sonho antigo dos dois municípios e atenderá, também, os moradores de Nova Marilândia, Arenápolis e Nortelândia. Os prefeitos destes municípios visitaram a obra na tarde da última sexta-feira, para onde se dirigiu também a comitiva do Governador Mauro Mendes.

Cinco quilômetros já estão pavimentados e o diretor-presidente da Guaxe, Márcio Aguiar, garante que pode fazer cinco quilômetros por mês, cumprindo assim o que foi planejado, que é entregar a pavimentação até Santo Afonso ainda neste ano.

(Redação EB – Com informações de Assessoria de imprensa)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana