conecte-se conosco


Cidades & Geral

Tangaraenses se destacam no programa “Caça Asteroides”, do MCTI com IASC/NASA

Publicado

Os estudantes de ensino médio Caio Marcelo Cavallari Ruas e Giovana Gonçalves Bertin, e a professora Agna Correa Britis Baldissarelli, de Tangará da Serra, têm participação destacada no programa Caça Asteroides, desenvolvido em parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o International Astronomical Search Collaboration (IASC), da Agência Espacial Americana (NASA).

Professora Agna é coordenadora do programa em nível de Brasil.

A professora – que é coordenadora  e os dois estudantes participaram, no dia 09 de dezembro, da 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), promovida pelo MCTI, em Brasília, com apoio do IASC/NASA. O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, astronauta Marcos Pontes, esteve presente no evento, assim como o diretor do IASC e fundador do programa Caça Asteroides, Patrick Miller.

O programa, que está em sua segunda edição, tem o objetivo de promover a popularização da ciência e da astronomia por meio da procura de corpos celestes em imagens espaciais captadas por telescópios.

Caio Marcelo, de 17 anos, foi convidado na condição de treinador voluntário do IASC. Ele participou das observações que alcançaram 1.423 detecções de asteroides, através de imagens feitas em conexão com telescópio Pan-STARRS, instalado no Avaí, nos Estados Unidos. As imagens são enviadas ao IASC, que as compila e processa através de um software que, por sua vez, mapeia os corpos celestes. “Depois que concluir o ensino médio, vou cursar Engenharia Aeronáutica”, revela o estudante.

Caio Marcelo: Caçador de asteroides e desejo de cursar engenharia aeronáutica.

A coordenadora do Caça Asteroides, Agna Baldissarelli – que é professora de Artes e diretora da escola Pedro Alberto Tayano -, apontou como o programa tem ajudado crianças a realizar sonhos. “Através do projeto a gente vê crianças realizando sonhos. Elas podem se tornar astronautas, físicos. Além do mais, esse programa expandiu de forma nacional e internacional”, disse.

Leia mais:  Clubes de Serviço: Rotary de Tangará da Serra iniciam nesta quinta-feira as trocas de diretorias

O programa

O Caça Asteroides MCTI é um programa em parceria entre o MCTI e o IASC/NASA, com objetivo de popularizar a ciência entre cidadãos voluntários. Esses novos cientistas cidadãos serão capazes de fazer descobertas astronômicas originais e participar da astronomia prática. Este programa é de abrangência nacional e internacional. Conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência vinculada ao MCTI, Instituto Brasileiro de Informações em Ciência e Tecnologia (IBICT), unidade de pesquisa vinculada ao MCTI e a Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso (SEDUC).

 

 

publicidade

Cidades & Geral

Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Publicado

Domingo, como reza a tradição, é dia de Feira em Tangará da Serra. E dois produtos muito atrativos na Feira do Produtor do Centro são as castanhas de caju e do Pará. As duas são alimentos saudáveis e compõem receitas extraordinárias, como nos links ao final do texto.

A castanha-do-pará é rica em proteínas, fibras, selênio, magnésio, fósforo, zinco e vitaminas do complexo B e vitamina E. Também fornece antioxidantes ao organismo, promovendo a diminuição do colesterol total. Melhora o sistema imunológico e ajuda a prevenir alguns tipos de câncer, como de mama, próstata e cólon.

Contribui para a saúde do cérebro e mantém o cabelo e as unhas saudáveis. Reduz a pressão alta, ajuda a regular a tireoide e é excelente fonte de energia.

Já a castanha-de-caju vem do fruto do cajueiro e é rica em antioxidantes, gorduras boas e minerais. Ajuda a prevenir o desenvolvimento de doenças do coração e anemia, além de melhorar a saúde da pele, unhas e cabelo. Segundo especialistas, consumir cerca de 30 gramas de castanha de caju por dia é uma alternativa para complementar os nutrientes consumidos diariamente.

Leia mais:  Clubes de Serviço: Rotary de Tangará da Serra iniciam nesta quinta-feira as trocas de diretorias

Castanhas nos boxes

A castanha-do-pará oferecida na Feira do Centro é proveniente da região de Juína e de outras cidades e localidades da região norte do estado. Já a castanha de caju vem, principalmente, da região Nordeste do Brasil.

São comercializadas em vários boxes do setor de hortifruti, em especial nos boxes 16-C, de Elieder Santos; 21-A, de Francisco da Silva; 23-A, de Eliane Resende; e 42-A, de Elton Pereira.

Veja, a seguir, receitas com as duas castanhas:

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-do-para/

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-de-caju/

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana