conecte-se conosco

Cidades & Geral

Tangará da Serra: Samae define estratégia de enfrentamento à crise hídrica

Publicado

A descentralização da distribuição de água, poços artesianos, captação no rio Russo. São esses os três pilares da estratégia montada pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) para o enfrentamento da crise hídrica que se aproxima em Tangará da Serra.

Em diálogo com a redação do EB, o diretor da autarquia, Heliton Luiz de Oliveira, relatou que a estratégia foi amplamente avaliada pelo Samae e seu corpo técnico, em conjunto com o gabinete do Executivo Municipal, com participação direta do prefeito Vander Masson (PSDB). “Teremos uma estiagem muito forte e já estamos nos preparando para enfrentá-la”, afirmou o diretor.

Heliton: “Teremos uma estiagem muito forte e já estamos nos preparando para enfrentá-la”.

Heliton relatou que instalação e operacionalização de grandes reservatórios, perfuração e interligação de poços artesianos permitirão retirar a sobrecarga do sistema hoje centralizado na Cidade Alta, antiga sede administrativa do Samae.

A estratégia envolve a construção de três novos reservatórios de três milhões de litros cada (Cidade Alta, Vila Esmeralda e Tarumã) e cinco poços artesianos (Alto da Boa Vista, Residencial Valência, Tarumã, Gleba Triângulo e Distrito de Progresso).

Nazaré/São Luiz

Na Vila Nazaré, o poço artesiano lá existente abastecerá o reservatório do Jardim São Luiz. Este sistema será reforçado pelo poço artesiano da Sinfra (Jardim Paulista) e por uma adutora da Cidade Alta para abastecer o próprio São Luiz e a Nazaré, além do Jardim dos Ipês, Porto Seguro e Jardim Aeroporto. A operacionalização depende apenas da chegada dos tubos, que já estão licitados.

Leia mais:  Com 1.449 notificações, Tangará da Serra figura entre os municípios com alto risco de dengue

14 bairros

Um conjunto de outros três poços – Cuiabá Diesel, Morada do Sol e Valência – abastecerá dois reservatórios de três milhões de litros cada localizados no Residencial Valência (um deles ainda a ser construído), que também receberá o reforço de adução da Cidade Alta.

Três novos reservatórios de 3 milhões de litros cada serão construídos.

Com esse sistema, um total de 14 localidades urbanas serão atendidas: Barcelona, Valência, Madri, Morada do Sol, Buritis I e II, Bela Vista, Dona Júlia I e II, Jardim Itália, Vila Araputanga, Jardim Atlântida e Jardim Nossa Senhora Aparecida.

Porém, para a operacionalização de 100% dessa estrutura, o Samae ainda terá de construir o segundo reservatório no pátio do Valência, além de proceder nas interligações entre poços e reservatórios e implantar conjunto de bombas e rede de energia capaz de atender a demanda do sistema.

Tarumã e Alto da Boa Vista

A região da grande Tarumã receberá um novo reservatório de 3 milhões de litros em substituição ao reservatório antigo já existente nas proximidades da Igreja Sagrado Coração de Jesus. A região, já dotada de um poço, receberá um segundo artesiano a ser perfurado no local.

Poços artesianos são alternativa para reforçar abastecimento durante estiagem.

O sistema receberá o reforço da adução da Cidade Alta, agregando, assim, capacidade para abastecer todos os bairros da grande Tarumã, a partir da Avenida das Palmeiras.

Leia mais:  Clima: Região de Tangará da Serra poderá ter chuvas com maior volume entre sexta e sábado

Já no Alto da Boa Vista, o sistema é composto por dois poços artesianos já em operação e ainda terá a perfuração de um terceiro poço para interligação dos reservatórios daquela localidade urbana.

Cidade Alta e Grande Esmeralda

A Vila Esmeralda, por sua vez, receberá, também, um reservatório de três milhões de litros que será abastecido pela adutora que vem da ETA Queima Pé.

Por fim, o sistema da Cidade Alta receberá um novo reservatório de três milhões de litros para ampliar a capacidade de reservação.

Russo

O sistema de captação do rio Russo será implantado logo após o término da colheita de milho nas lavouras daquela região, ainda na primeira quinzena de julho. O sistema de captação será dotado de tubulação cedida pela Uisa, abastecendo a ETA Queima Pé com água bruta, diretamente nas represas. “Vamos deixar pronto para uso e ativar esse sistema assim que constatarmos a baixa na vazão do Queima Pé”, disse Heliton de Oliveira.

publicidade

Cidades & Geral

Anvisa alerta que testes de covid não detectam anticorpo, nem eficácia das vacinas

Publicado

A Anvisa divulgou esta semana um alerta reforçando que testes de covid -19 não comprovam a proteção da vacina. A Agência lembra que estes testes não devem ser usados para medir o nível de proteção contra o coronavírus após as pessoas se vacinarem.

O alerta da Anvisa informa que os testes de identificação da covid-19 registrados no país, vendidos até em farmácia, não tem a finalidade de indicar se a pessoa está protegida do vírus. Só confirma se a pessoa foi infectada ou não. Segundo a agência, esses testes não verificam o nível de proteção que cada pessoa tem contra a doença.

A Anvisa reforça que nenhum teste que detecta a presença de anticorpo (seja neutralizante, IGM, IGG ou outro) dão a garantia de imunidade e nem atestam qualquer nível de proteção contra a covid.

O professor da Universidade de Brasília, Wender Silva diz que, como estes testes não identificam a presença da proteína do coronavírus que a vacina combate, não conseguem medir a eficácia dos imunizantes. O professor Wender Silva reforça que, uma vez aprovadas, não é necessário se preocupar se as vacinas são eficazes e seguras.

Leia mais:  Com apoio da OAB-MT, entidades entrarão com ação coletiva para reverter decisão

A Anvisa ainda alerta que não existe, até o momento, estudos indicam a quantidade de anticorpos neutralizantes necessária para garantir a proteção contra a covid-19. Esses anticorpos são os que evitam a entrada e multiplicação do coronavírus. E que também é preciso desenvolver outras pesquisas científicas para avaliar qual o grau de proteção é necessário contra a doença.

Para a Agência, ainda é preciso adotar as medidas preventivas contra o coronavírus, com uso de máscaras, higienização das mãos e o distanciamento social, mesmo após a vacinação.

(Agência Brasil)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana