conecte-se conosco


Economia & Mercado

Tangará da Serra: PIB de 2018 foi de R$ 3,238 bilhões segundo IBGE; Per capita cresceu 4,3%

Publicado

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou nesta sexta-feira (18) o tradicional estudo anual do Produto Interno Bruto dos municípios. Os números apurados são da atividade econômica do ano de 2018, sendo oficiais para todos os municípios do Brasil.

Em Tangará da Serra, o PIB apurado em 2018 foi de R$ 3.238.473.090, representando um crescimento de 7,4% em relação ao PIB do ano anterior (2017), que foi de R$ 3,014 bilhões.

O PIB de 2018 de Tangará da Serra está setorizado no Comércio e Serviços (R$ 1,466 bi, sendo este o principal setor da economia local, com 45% de participação), Administração e Setor Público (R$ 608,6 milhões), Indústria (R$ 454,3 mi), Agropecuária (R$ 320,4 mi) e Impostos e Subsídios (R$ 388,3 mi).

PIB Per Capita

A variação do PIB entre 2017 e 2018 mostra um crescimento à razão de 4,3% no PIB per capita de Tangará da Serra. Enquanto em 2017 o PIB per capita dos tangaraenses era de R$ 30.506,85, em 2018 este número subiu para R$ 31.823,37.

Leia mais:  Comércio poderá funcionar normalmente no feriado de Corpus Christi em todo o estado de Mato Grosso

publicidade

Economia & Mercado

Segundo Fecomércio, décimo terceiro injetará R$ 2 bilhões na economia de Mato Grosso

Publicado

Um volume de recursos significativo – cerca de R$ 2 bilhões – circulará pela economia mato-grossense por conta do 13º salário. É o que prevê a Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso (Fecomércio-MT).

A entidade tem uma projeção positiva para este ano e destaca que o avanço da vacinação proporcionou a retomada da economia, quadro que permite uma estimativa de que mais de R$ 2 bilhões serão injetados na economia de Mato Grosso com o pagamento do décimo terceiro.

Estudo

Um estudo prévio da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá identificou que ao receber a primeira parcela do décimo terceiro as pessoas vão priorizar o pagamento das dívidas, outros vão preferir pagar conta e economizar o dinheiro extra.

Pagar dívidas – 32,2%; Fazer novas compras – 23,8%; Economizar 21,7%

“Quem tiver dívida, o ideal é renegociar e pagar esses valores. As pessoas pagando suas dívidas diminuirá a inadimplência e os juros do crédito também devem cair, uma vez que a inadimplência é um dos principais fatores que elevam a taxa de juros”, disse o economista Emanuel Dalbian.

Leia mais:  Gás de cozinha: Petrobras anuncia aumento de 5% a partir desta sexta

O levantamento da CDL mostra ainda que a última parcela do décimo terceiro, que costuma sair perto do Natal, será usada pela maioria dos entrevistados para comprar presentes. Mas, é preciso ficar atento com as tentações.

Segundo o economista, a dica é fazer cálculos e ficar de olho nos juros cobrados pelo cartão de crédito.

(Com informações de G1)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana