conecte-se conosco


Cidades & Geral

Tangará da Serra: Empresário e ex-diretor do Samae estaria cotado para assumir autarquia em 2021

Publicado

Os trabalhos de transição promovidos pelas equipes do prefeito eleito de Tangará da Serra Vander Masson (PSDB) e do atual gestor, Fábio Martins Junqueira (MDB), já apontam para algumas tendências relacionadas ao secretariado da nova administração que assumirá o município em 1º de janeiro.

As dificuldades impostas pela crise hídrica e seus desdobramentos têm movimentado o setor de saneamento de Tangará da Serra com vistas ao enfrentamento do fenômeno climático, que promete ser ainda mais intenso no ano de 2021 em razão da escassez de chuvas.

Alceu Grapeggia (com a esposa, ex-vereadora Clarice Grapeggia) já teria recebido convite de Vander Masson.

Neste contexto, surge o nome de Alceu Luiz Grapeggia, empresário do setor de alimentação e que já atuou (anos de 1990 e início dos anos 2000) como diretor do antigo Departamento de Água e Esgoto (DAE), atual Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae).

Grapeggia tem acompanhado a transição na autarquia e, inclusive, participou da audiência de conciliação realizada pela Justiça local, sob coordenação do juiz Francisco Ney Gaíva, da 4ª Vara Cível de Tangará da Serra. O tema da audiência foi, obviamente, a situação de calamidade vivenciada pelo serviço de abastecimento de água e tratamento de esgoto no município.

Leia mais:  Pedágios: Setor de transporte é contra reajuste para compensar impactos da pandemia

Segundo informações extraoficiais que chegaram à redação do Enfoque Business, Alceu Grapeggia já teria sido convidado pelo prefeito eleito Vander Masson para assumir a direção da autarquia. Consultado pela reportagem, o empresário não confirmou o convite, limitando-se a afirmar que apenas colabora com o município ao participar da transição e que seu foco é a sua atividade empresarial.

Vander Masson, por sua vez, não respondeu mensagem enviada pelo jornalismo do portal.

Crise estendida

Independentemente de ser ou não cotado para assumir a direção do Samae, Alceu Grapeggia reconhece que o ano de 2021 será extremamente difícil para o setor de saneamento básico do município.

Em rápido diálogo com a redação, o empresário destacou que o município terá de adotar uma estratégia sem margem de erro para o enfrentamento da difícil fase já vivenciada pelo setor este ano e que, certamente, persistirá no ano vindouro. “A prioridade tem de ser garantir água à população, ao mesmo tempo em que se planeja no longo prazo”, disse à reportagem.

Leia mais:  Feira de Domingo: Versátil e altamente benéfico, milho-verde é o destaque do momento

Ele prevê a extensão da crise hídrica em ao menos parte do primeiro semestre de 2021 em razão do fenômeno climático ‘La Niña’ e, com a redução dos mananciais, no período de estiagem do próximo ano. Diante das dificuldades que certamente serão impostas pela condição climática, Grapeggia entende que as ações envolvendo poços artesianos serão indispensáveis para assegurar à cidade um abastecimento de água ao menos satisfatório.

Quanto ao sistema de captação e adução de água do Sepotuba para tratamento e distribuição na ETA Queima Pé,  Alceu Grapeggia vê boa possibilidade de entendimento para busca de solução, em especial quanto à agilização das licenças indispensáveis por parte da SEMA e os demais procedimentos técnicos e burocráticos para sua viabilização.

publicidade

Cidades & Geral

Barra do Bugres: Maternidade tem recursos de R$ 500 mil, com obras previstas para março

Publicado

As obras da maternidade pública de Barra do Bugres deverão iniciar no mês de março. Ao menos é esta a expectativa após o anúncio de uma verba do Estado, no valor de R$ 500 mil, que será assegurada através de emenda parlamentar.

A emenda parlamentar foi anunciada pelo deputado estadual Paulo Araújo (PP) durante reunião no auditório da Câmara Municipal com a prefeita de Barra do Bugres, Maria Azenilda Pereira (MDB), vereadores e secretários. Também participaram da reunião o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Aurélio da Silva, e o presidente da Associação Comercial e Industrial de Barra do Bugres (ACIBB), Iandro Almicci.

A pauta da reunião foi a construção da maternidade de Barra do Bugres. O município, que não conta com nenhum hospital público ou privado, se obriga a encaminhar gestantes para partos em maternidade no município vizinho de Arenápolis, o que significa, também, aumento de custos.

Segundo o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcos Aurélio da Silva, o projeto da obra já está em análise para que as obras tenham início o mais rápido possível, já que se trata de uma demanda urgente do município.

Leia mais:  Audiência pública abre período de 30 dias para consulta sobre os estudos ambientais de hidrelétricas no Formoso

Segundo informações do município, em se confirmando o depósito dos recursos prometidos pelo deputado, as obras terão início já em março próximo.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana