conecte-se conosco


Cidades & Geral

Serra de Deciolândia: Após avaliação, obras de correção e reparos iniciam nesta segunda

Publicado

Os trabalhos de correção e manutenção do trecho da Serra de Deciolândia afetado por deslizamento de um talude iniciam nesta segunda-feira (05/04). A informação foi repassada pelo secretário executivo da Associação de Produtores da MT-480, Edmílson Sampaio, ao Enfoque Business, na manhã de hoje.

Segundo Sampaio, a situação do talude está sendo reavaliado, bem como todo o trajeto do trecho em declive da MT-480 na serra. O tráfego, segundo Sampaio, está normalizado e não há riscos de novos deslizamentos. Ele destacou, no áudio enviado à emissora, que houve uma chuva intensa na última sexta-feira, de 70 milímetros. “Estamos monitorando a situação e a partir desta segunda-feira vamos começar o trabalho para estabilizar novamente o local”, disse.

Edilson Sampaio informou que já está no local com uma equipe de técnicos e engenheiros e, também, com uma empreiteira para realização dos trabalhos.

Deslizamento

As chuvas da tarde de ontem (sexta, 02) provocaram o rompimento de um talude no trecho da MT-480, na Serra de Deciolândia. O deslizamento foi mostrado pelos vereadores Eduardo Sanches (PSL) e Ademir Anibale (MDB) e, também, pelo engenheiro civil e representante do projeto Agenda Cáceres, Sílvio Tupinambá.

Leia mais:  MT-339: Mendes sinaliza com retomada de obras em 2020 no formato PPP Social

O rompimento ocasionou interdição parcial da pista da MT-480. “Se houver uma chuva brava, pode ocorrer rastejamento, o que será mais grave”, alertou Tupinambá, especialista no assunto.

publicidade

Cidades & Geral

Centro de Eventos: Ajustes no projeto e divergência forçaram paralização; Obras prosseguem

Publicado

A paralisação verificada esta semana nas obras do Centro de Eventos, em Tangará da Serra, foram motivadas por ajustes no projeto e divergência funcional. Uma equipe de técnicos, com um engenheiro, esteve ontem na cidade para regularizar as duas situações e dar prosseguimento às obras.

Segundo o secretário municipal de Turismo, Wellington Rondon, a equipe informou que a cobertura será toda pré-moldada, com fabricação das estruturas em Cuiabá. “Houve ajustes no projeto e começaram a fabricação”, disse o secretário, conforme as informações que recebeu.

Equipe da empreiteira responsável pelas obras avalia adequações no projeto do Centro de Eventos (Foto: SEDEC/SEADTUR).

Outro problema que forçou a paralisação temporária das obras – segundo informações repassadas pelo secretário de Indústria e Comércio do município, Silvio Sommavilla – diz respeito a divergências funcionais com um colaborador, que acabou sendo substituído pela empreiteira.

Obra

O Centro de Eventos de Tangará da Serra está sendo construído pelo Governo do Estado de Mato Grosso, através da SEDEC/SEADTUR, com recursos do Programa de Desenvolvimento Sustentável de Turismo (PRODESTUR), via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Leia mais:  Mato Grosso: Caged e PIB mostram diferenças regionais e a importância da representatividade

Novela

Com projeto concebido e aprovado em 2012 e obras iniciadas em 2016, o Centro de Eventos de Tangará da Serra teve suas obras paralisadas por diversas vezes, seja por ineficiência e atrasos nos repasses do governo à empresa responsável, seja por problemas técnicos das empreiteiras.

Desta vez, a paralisação foi motivada por necessidade de ajustes no projeto, mas terão continuidade.

Estrutura

O Centro de Eventos representará uma nova fase para Tangará e região no turismo de negócios. Os grandes eventos voltados a qualquer setor (agropecuária, indústria, tecnologia, serviços, educação, meio ambiente, etc.) proporcionarão fluxos importantes de visitação aos pontos turísticos existentes no município.

Com uma área física projetada de 3,8 mil metros quadrados e capacidade para comportar até oito eventos simultâneos, o Centro de Eventos terá estrutura interna com ilhas de WC, cozinha, varanda de serviços, depósitos, dependência administrativa, área para carga e descarga e espaço para câmara fria. Haverá, também, uma área externa de 9 mil metros quadrados para eventos como o Carnaval e outros de grande porte. O estacionamento contará com cerca de 450 vagas.

Leia mais:  Covid-19: Ensino híbrido é suspenso em Tangará da Serra e nos municípios com risco muito alto

A gestão do espaço e a captação de eventos deverá ser de responsabilidade um ‘convention bureau’, espécie de autarquia formada por representantes do trade turístico e do poder público.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana