conecte-se conosco


Cidades & Geral

Samae inicia hoje obras de transposição do rio Russo para reforçar oferta de água bruta na ETA

Publicado

O Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) inicia nesta quarta-feira (21) as obras de instalação do sistema de adução de água do rio Russo. O objetivo é reforçar a oferta de água bruta na Estação de Captação, Tratamento e Distribuição de Água (ETA) do rio Queima Pé, para o abastecimento da área urbana de Tangará da Serra.

Segundo o diretor do Samae, Heliton de Oliveira, o sistema de adução consiste numa bomba e tubos, disponibilizados pela própria autarquia. Ao todo, serão 2,8 mil metros de tubulação até o córrego Uberabinha e, daí, para a represa Sitna (foto acima), na ETA Queima Pé. A instalação, segundo o diretor, é rápida e estará em funcionamento em 15 dias.

Baixa vazão

A estiagem severa já se faz sentir na vazão do rio Queima Pé, que se mostra sensível à insuficiência de precipitações dos últimos períodos chuvosos, quando a região recebeu cerca de 30% a menos de volume de chuva em relação aos anos em que a tradicional média da região – 1.800 milímetros – foi cumprida.

Leia mais:  Crédito de R$ 200 mil para serviços cartorários viabilizará escrituração de área do aeroporto

De maio para cá, é possível perceber os impactos da seca no rio Queima Pé, como na imagem acima, com registros realizados pelo Enfoque Business nos dias 28 de maio, 24 de junho e 16 de julho. Da esquerda para a direita nota-se a diferença de vazão nas três datas.

Além da transposição do Russo, o município consta com poços artesianos e um sistema de reservatórios para garantir a regularidade do abastecimento na cidade (veja link com matéria a seguir).

Tangará da Serra: Samae define estratégia de enfrentamento à crise hídrica

 

publicidade

Cidades & Geral

Feira do Centro oferece duas atrações típicas do Brasil e valiosas para a saúde e a culinária

Publicado

Domingo, como reza a tradição, é dia de Feira em Tangará da Serra. E dois produtos muito atrativos na Feira do Produtor do Centro são as castanhas de caju e do Pará. As duas são alimentos saudáveis e compõem receitas extraordinárias, como nos links ao final do texto.

A castanha-do-pará é rica em proteínas, fibras, selênio, magnésio, fósforo, zinco e vitaminas do complexo B e vitamina E. Também fornece antioxidantes ao organismo, promovendo a diminuição do colesterol total. Melhora o sistema imunológico e ajuda a prevenir alguns tipos de câncer, como de mama, próstata e cólon.

Contribui para a saúde do cérebro e mantém o cabelo e as unhas saudáveis. Reduz a pressão alta, ajuda a regular a tireoide e é excelente fonte de energia.

Já a castanha-de-caju vem do fruto do cajueiro e é rica em antioxidantes, gorduras boas e minerais. Ajuda a prevenir o desenvolvimento de doenças do coração e anemia, além de melhorar a saúde da pele, unhas e cabelo. Segundo especialistas, consumir cerca de 30 gramas de castanha de caju por dia é uma alternativa para complementar os nutrientes consumidos diariamente.

Leia mais:  Crédito de R$ 200 mil para serviços cartorários viabilizará escrituração de área do aeroporto

Castanhas nos boxes

A castanha-do-pará oferecida na Feira do Centro é proveniente da região de Juína e de outras cidades e localidades da região norte do estado. Já a castanha de caju vem, principalmente, da região Nordeste do Brasil.

São comercializadas em vários boxes do setor de hortifruti, em especial nos boxes 16-C, de Elieder Santos; 21-A, de Francisco da Silva; 23-A, de Eliane Resende; e 42-A, de Elton Pereira.

Veja, a seguir, receitas com as duas castanhas:

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-do-para/

https://www.receiteria.com.br/receitas-com-castanha-de-caju/

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana