conecte-se conosco

Infraestrutura & Logística

Rio Paraguai: Para viabilizar hidrovia, DNIT lança edital para dragagem e sinalização entre Cáceres e Corumbá

Publicado

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) iniciou o processo licitatório para contratação da empresa responsável pela realização da dragagem, desobstrução e sinalização no rio Paraguai. Os serviços – confirmados pelo site oficial da autarquia e pelo Ministério da Economia (Pregão Eletrônico Nº 00377/2020) – acontecerão entre as cidades de Cáceres/MT e Corumbá/MS e visam garantir que os usuários possam utilizar o rio Paraguai para navegação comercial, turística e de lazer.

A hidrovia do rio Paraguai é uma rota importante para o escoamento de grãos (soja, milho) e minérios (ferro e manganês), com destino à Argentina e Uruguai, de onde seguem para os mercados europeu e asiático.

Hidrovia do rio Paraguai é rota importante para o escoamento de grãos (soja, milho) e minérios (ferro e manganês), para os mercados europeu e asiático.

O DNIT atua para que a hidrovia do rio Paraguai tenha as condições necessárias para se obter a mais ampla liberdade de trânsito fluvial de transporte de pessoas, de bens, e a livre navegação ao longo do trecho. A empresa contratada realizará a manutenção das condições e dispositivos já existentes na hidrovia.

Leia mais:  DNIT entrega unidade da PRF e libera 12 km de pista duplicada da BR-163/364/MT

A execução da dragagem no rio Paraguai busca assegurar a fluidez e segurança da navegação. As atividades de pesca e recreação também são intensas nessa região, e tem influência direta e determinante em aspectos econômicos e sociais da região pantaneira.

Trabalhos

O rio Paraguai banha o Brasil, Bolívia, Paraguai e a Argentina. Nasce no município de Alto Paraguai, em Mato Grosso, e banha também o estado do Mato Grosso do Sul, sendo afluente do rio Paraná.

A hidrovia do rio Paraguai é conhecida pela grande quantidade de vegetação flutuante transportada pelas suas águas. Estes “balseiros” apresentam-se sob forma de tufos isolados ou aglomerados.

A vegetação flutuante causa obstrução da via navegável, além de interrupção do tráfego e necessidade de paradas sucessivas para limpeza do sistema propulsor.

A dragagem, desobstrução, manutenção e adequação da sinalização náutica pretende garantir o nível de serviço e segurança adequados às atuais demandas de transporte do rio Paraguai. Os trabalhos proporcionarão melhores condições de navegabilidade e segurança para a região.

Edital

O Pregão Eletrônico Nº 00377/2020 tem como objeto a contratação de empresa para execução de serviços de manutenção/recuperação de ativos na Hidrovia HN950 (Rio Paraguai), sob a coordenação da Superintendência Regional DNIT/MS.

Ponte Marechal Rondon (ao fundo), em Cáceres, é limite norte do trecho do rio que receberá os trabalhos.

Os serviços, especificamente de engenharia, consistem na manutenção/recuperação de ativos na hidrovia no trecho Corumbá/MS – Cáceres/MT (Tramos Sul e Norte) e subtrecho entre a Ponte Ferroviária Eurico Gaspar Dutra (Corumbá/MS) e a Ponte Rodoviária Marechal Rondon (Cáceres/MT).

Leia mais:  Audiências debaterão concessões de 512 km de estradas, incluindo Jangada-Itanorte e MT-480

O trecho, a partir de 1.388 quilômetros, receberá trabalhos específicos de dragagem de manutenção de canal navegável no rio Paraguai, desobstrução de vegetação, aguapés e galhadas, além de manutenção e adequação de sinalização.

Link do edital: http://www.comprasnet.gov.br/acesso.asp?url=/edital-393010-5-00377-2020

 

publicidade

Infraestrutura & Logística

Ministério da Infraestrutura autoriza licitação de obras do aeroporto de Tangará da Serra

Publicado

A Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) do Ministério da Infraestrutura autorizou o início do processo licitatório para obras de reforma e ampliação do aeroporto regional de Tangará da Serra/MT. Por meio do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC), serão destinados R$ 4 milhões. O valor total da obra é de R$ 10 milhões, sendo 60% a contrapartida do estado.

O projeto elaborado pelo governo estadual contempla o recapeamento de toda pista de pouso e decolagem, mantendo sua dimensão em 1.500 x 30 m, a construção de novo pátio de aeronaves com mais de 15 mil metros quadrados e nova taxiway, ambos já com estrutura de pavimento para jatos de maior porte. Estão previstas ainda obras de drenagem, além de sinalização horizontal, sinalização vertical, balizamento luminoso, iluminação do pátio, biruta iluminada, PAPI e farol rotativo.

O diretor de investimentos da SAC, Eduardo Bernardi, ressaltou a importância do investimento para a região: “Tangará da Serra é importante polo regional agroindustrial. Essa etapa de obras permitirá ao município ampliar os voos comerciais com aeronaves de maior porte, como o ATR 72, trazendo mais desenvolvimento à região”, disse.

Leia mais:  Concessão de rodovias: Governo do MT estima economia de R$ 3,3 bilhões em 30 anos

O prefeito municipal, Vander Masson, destacou que a obra é um anseio antigo de Tangará da Serra e que representa um grande avanço, pois reafirma o Município como um polo regional. “O Município recebeu essa autorização de licitação com grande alegria. Essas obras tornarão nosso aeroporto moderno e com capacidade elevada para receber voos. Um aeroporto é símbolo de fortalecimento econômico e atrairá para a nossa cidade mais investimentos. Agora vamos aguardar o início da licitação, que é feita pelo Estado”, disse.

A previsão é de que o edital do processo licitatório seja publicado pelo Governo do Estado de Mato Grosso em até 45 dias.

Com Assessoria Especial de Comunicação do Ministério da Infraestrutura

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana