conecte-se conosco


Política & Políticos

Questão da CPR na nova lei de recuperação judicial coloca Geller como defensor das tradings

Publicado

“Neri parece se importar mais com tradings do que com quem o elegeu”. A afirmação é do advogado e especialista em recuperação judicial, Euclides Ribeiro que critica o deputado federal Neri Geller (PP, foto acima) por defender a derrubada do veto do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), a trecho da nova Lei da Recuperação Judicial (14.112/2020), que trata da não inclusão da Cédula do Produto Rural (CPR) nos processos judiciais.

Euclides, que foi candidato ao Senado Federal na eleição suplementar em novembro do ano passado pelo Avante, afirma que a derrubada do veto vai contra o trabalho dos produtores rurais, e busca garantir a uma espécie de “blindagem do crédito” e dos respectivos bens vinculados à CPR.

Segundo o ex-candidato, a derrubada do veto esvaziará completamente a recuperação judicial dos produtores rurais, já que quase que 100% das operações estão vinculadas à CPR. A derrubada do veto prevê que os bens vinculados à CPR, que foram objeto da concessão do financiamento, possam ser utilizados como garantia para a quitação do crédito concedido, não se sujeitando a Recuperação Judicial.

Euclides sustenta que a derrubada do veto esvaziará completamente a recuperação judicial dos produtores rurais

“Todos os setores de economia que passam por dificuldades fazem RJ. Mas Neri, que representa os interesses das tradings, quer impedir que o agronegócio do nosso Estado possa se recuperar, quer acabar com os médios e pequenos produtores. E este jogo foi bem verificado pelo presidente Bolsonaro que manteve a CPR na recuperação judicial “, explicou o dirigente do Avante.

Leia mais:  Blairo declara apoio a Mendes e diz que o MT sempre esteve bem: “Problemas foram de gestão”

Euclides explica ainda que caso a CPR seja retirada dos processos de recuperação judicial, as tradings poderiam aumentar ainda mais seu oligopólio. “O argumento terrorista de que trading não vai financiar é falso. Ouvimos isso durante 16 anos de vigência da Lei. Quem não financiaria um estado promissor, recordista de produção e referência em alta tecnologia para o mundo?”.

Ao defender a exclusão da CPR, Neri alerta que a recuperação judicial é uma ferramenta importante e deve ser utilizada por aqueles produtores sérios, que sofreram de fato com intempéries, crise de câmbio, mercado internacional, e precisam desse alongamento para honrar seus compromissos.

“Minha posição é pela exclusão na CPR na recuperação judicial, pois ela traz muita insegurança jurídica. A CPR nada mais é do que a venda de um produto num mercado futuro. A minoria, que já teve acesso ao crédito, vende a sua produção, depois entra com pedido de recuperação judicial e inclui a dívida lá. Isso não está certo. Os grandes e os pequenos agentes financeiros (tais como revenda de insumos, por exemplo), não estão mais emprestando dinheiro por conta desse risco. E isso está dificultando o acesso do produtor ao crédito”.

Leia mais:  Edilson Sampaio é o pré-candidato do Republicanos para vaga na ALMT pelo sudoeste do MT

(Redação EB, com Olhar Direto)

publicidade

Política & Políticos

Edilson Sampaio é o pré-candidato do Republicanos para vaga na ALMT pelo sudoeste do MT

Publicado

O contabilista Edilson Sampaio é o nome escolhido pelo partido Republicanos como pré-candidato pela região sudoeste do estado na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa de Mato Grosso nas eleições de 02 outubro deste ano. Edilson teve sua pré-candidatura referendada durante reunião da executiva da sigla no último dia 12, na capital do estado.

Considerando a proximidade das convenções partidárias – que devem ser realizadas entre 20 de julho e 05 de agosto -, o partido promove nova reunião com correligionários nesta quinta-feira (19), em Tangará da Serra, para discutir o planejamento da pré-candidatura de Edilson. “O partido me apresentou este desafio para representar a nossa região, e vou discutir com meus amigos e companheiros de partido a possibilidade de colocar meu nome nas convenções”, disse.

Edilson teve sua pré-candidatura referendada durante reunião da executiva da sigla no último dia 12, na capital.

Natural de Rondonópolis, Edilson Mota Sampaio tem 50 anos, é contabilista e mora na região desde 1993. Foi vereador por três mandados sucessivos (entre os anos de 2009 e 2020) e presidiu, em parte deste período, a Câmara Municipal de Diamantino.

Leia mais:  Blairo declara apoio a Mendes e diz que o MT sempre esteve bem: “Problemas foram de gestão”

Atualmente, exerce função de superintendência em obras de infraestrutura e logística por associações de produtores que mantém convênio com o Estado para manutenção e pavimentação das rodovias MT-480 (Tangará-Deciolândia), MT-240 (Tangará-Santo Afonso), MT-339 (Tangará-Panorama), MT-358 (Chapadão do Rio Verde) e MT-426/170 (Calcário/ Formoso). Conta com amplo respaldo da classe produtora e tem trânsito entre lideranças comunitárias, sendo grande conhecedor das demandas da região polarizada por Tangará da Serra.

Na reunião de Cuiabá, semana passada, o presidente estadual do Republicanos, Adilton Sachetti (na foto do topo, com Edilson), destacou a importância da representatividade da região sudoeste e do polo Tangará da Serra na esfera parlamentar estadual. “É uma região importante para o estado, pela população que tem e pelo peso da sua economia. Edilson tem conhecimento técnico, é popular e sabedor das necessidades da região”, disse Sachetti, apostando na conquista de até três cadeiras pela legenda na ALMT, no pleito de outubro.

A reunião desta quinta-feira acontecerá na rua 26 (Celso Rosa de Lima), n° 390, Centro, a partir das 19h00.

Leia mais:  Tangará da Serra: Projeto para terceirização da saúde começa a tramitar na Câmara Municipal

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana