conecte-se conosco


Cidades & Geral

Quarta, dia de Feira: Agricultura familiar oferece peixes de tanque para alimentação de qualidade

Publicado

Quarta-feira é dia de feira em Tangará da Serra. Desde as primeiras horas da manhã, os feirantes da Feira do Produtor do Centro já oferecem o que há de melhor no cinturão verde do município da Serra de Tapirapuã.

Além das frutas e hortaliças, a Feira do Produtor do Centro oferece um alimento que deve estar à mesa do cidadão ao menos uma vez por semana: o peixe.

O peixe é uma fonte de proteínas e gorduras boas (como o ômega 3), que aumentam a produção das células de defesa do organismo, fortalecendo o sistema imunológico. Além disso, é um alimento rico em vitamina C e vitamina E, que contém propriedades anti-inflamatórias.

Na Feira do Produtor do Centro, o destaque fica por conta do peixe de tanque. A piscicultura – atividade de criação de peixes em ambientes controlados – ajuda a melhorar a qualidade de peixes comercializados e criados apenas para o consumo humano, devido aos cuidados, alimentação controlada e nutritiva, controle de crescimento e de água nos viveiros de peixes.

Leia mais:  Covid-19: Boletim aponta bairros em risco ‘muito alto’ e com maiores incidências em 14 dias

Atividade em crescimento

A atividade vem crescendo em Tangará da Serra e na região. Apesar das limitações impostas pela crise hídrica e por políticas públicas de fomento que ainda precisam ser melhoradas – vem despertando o interesse do setor produtivo e, também, dos consumidores.

Para o presidente da Associação dos Feirantes, Valdeci Ferraz Aquino, o peixe de tanque é um alimento cuja tendência é estar cada vez mais presente no dia a dia do consumidor. “A piscicultura é uma vocação da agricultura familiar, gera emprego e renda e é uma rica fonte alimentar”, observa.

Na Feira do Centro, a qualidade da piscicultura local está no setor de carnes e derivados. Nos boxes de Nilda Berigo e da Peixaria Pantanal, de Simone Peres Oliveira, há cortes especiais de tambaqui – incluindo desossados, ventrechas e cortes para caldo – além do filé de tilápia. É possível, também, encontrar peixes de rio (pintado, piau, tucunaré, pirarucu, lambari).

Os preços são atrativos – a partir de R$ 8,00 o quilo – e a qualidade pode ser comprovada pelo próprio consumidor que procura estes alimentos. Vale a pena conferia e já ir pensando no almoço de meio de semana com um bom prato à base de peixe, ou uma boa peixada no domingo em família.

Leia mais:  Crédito de R$ 28 milhões será destinado a captação no Sepotuba, esgoto e resíduos sólidos

publicidade

Cidades & Geral

Brasnorte: Ação na Justiça requer devolução de área e indenização de R$ 10 milhões da JBS

Publicado

O não cumprimento de um acordo entre uma indústria frigorífica e o município de Brasnorte (600 km de Cuiabá) está resultando numa batalha judicial. O município de Brasnorte entrou com uma ação contra a JBS para revogação de doação com pedido de reversão do imóvel.

O motivo seria o não cumprimento de atividade econômica de um frigorífico instalado pela empresa, que estaria operando com apenas 10% da capacidade, frustrando as expectativas do município de fomento à economia quando da doação da área.

Segundo o prefeito de Brasnorte, Edelo Marcelo Ferrari, a verdadeira intenção do pedido é que o frigorífico cumpra sua finalidade.

A ação inclui, ainda, multa de R$ 500 mil reais e R$ 10 milhões em indenizações por danos morais.

Segundo o prefeito de Brasnorte, Edelo Marcelo Ferrari (DEM), a verdadeira intenção do pedido é que o frigorífico cumpra sua finalidade, que é de realizar os abates previstos, gerar emprego e trazer renda para o município. “Nós também temos muito dinheiro investido naquela área, tendo em vista que o município fez toda a terraplanagem além da doação do terreno. Então, mais do que justo seria funcionar e isso não está acontecendo”, explica Ferrari.

Leia mais:  Município buscará em São Paulo autorização e anuência para outorga de captação no Russo

Desapontamento

Para o presidente do Sindicato Rural de Brasnorte, Cleber José dos Santos Silva, a classe produtora está muito desapontada com a subutilização da planta instalada no município e concorda com a ação imposta pela prefeitura para o cumprimento do TAC. “Hoje nós temos uma pecuária maior e mais forte, fartura de pasto – com a integração de agricultura e pecuária, temos mais de 400 mil cabeças de gado e condições para instalar grandes frigoríficos e confinamentos porque temos uma abundância de grãos dentro do nosso município. Então nós cobramos que haja a responsabilidade do frigorífico de cumprir com este compromisso que ele tem com nosso município ou então deixar a oportunidade para que outras empresas possam explorar o potencial que temos aqui em Brasnorte”, esclareceu Cleber.

(Fonte: Agronews; foto: prefeitura de Brasnorte)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana