conecte-se conosco

Cidades & Geral

Projeto ‘Mais Habitação’ poderá resultar em 1.000 moradias para Tangará da Serra

Publicado

Um programa habitacional com 1.000 residências construídas pelo governo do Estado para beneficiar famílias através de financiamento com taxas reduzidas junto à Caixa Econômica Federal, com entrada facilitada.

Este é o projeto ‘Mais Habitação’, apresentado na manhã dessa sexta-feira (18) pela MT Participações e Projetos S.A (MT PAR), sociedade de economia mista criada pelo governo estadual para conduzir projetos voltados ao desenvolvimento socioeconômico.

Projeto ‘Mais Habitação’ foi apresentado na manhã dessa sexta-feira (18) pela MT Participações e Projetos S.A (MT PAR).

Intermediada pelo vereador Romer Japonês (PV), a apresentação do projeto em Tangará da Serra aconteceu na Câmara Municipal, através do presidente da MT PAR, Wener Santos. Além dos vereadores atuais e eleitos, também participaram o prefeito eleito Vander Masson, o vice-prefeito eleito Marcos Scolari, e o deputado estadual Doutor João (MDB). O ex-deputado Wagner Ramos, que atualmente exerce cargo de diretor da MT PAR, também marcou presença.

Parceria

Segundo o presidente da MT PAR, Wener Santos, o projeto ‘Mais Habitação’ consiste numa parceria entre o governo estadual e os municípios.

Wener: “Qualquer cidadão tem o direito de fazer parte do programa, é um financiamento, é uma parceria”.

Contudo, para que seja executado em Tangará da Serra, é preciso que o município destine a área para a construção das casas. “A partir da confirmação da área, o projeto é iniciado. O objetivo é construir casas maiores, melhores e com a infraestrutura completa para a população, com preços mais acessíveis”, explicou, lembrando que o padrão de cada unidade residencial é de 51 metros quadrados, em alvenaria, com laje.

Leia mais:  Agressores responderão por tortura e devem pegar até 8 anos; PJC cogita 3º agressor

Fomento

Wener disse, ainda, que cada 100 unidades residenciais do ‘Mais Habitação’ representam investimentos na ordem de R$ 12 milhões, com geração de 280 empregos diretos e indiretos. “O programa movimenta a economia. Qualquer cidadão tem o direito de fazer parte do programa, é um financiamento, é uma parceria, mas ele precisa se enquadrar aos requisitos exigidos pelo programa”, explicou, acrescentando que cada imóvel é avaliado pela Caixa em até R$ 135 mil para financiamento. “O aporte dado pelo Governo do Estado e a parceria com os municípios possibilita a venda dos imóveis com preços mais acessíveis”, completou.

Meta

Ainda segundo Wener, a meta do governo com o ‘Mais Habitação’ é chegar às 20 mil residências, reduzindo o déficit habitacional do estado, que hoje é de 100 mil moradias. Somente em Tangará da Serra, segundo informação do vereador Romer Japonês, há uma espera de aproximadamente 1.000 pessoas cadastradas na Secretaria Municipal de Assistência Social à espera de casas via programa habitacional.

Leia mais:  Tangará da Serra: Represas sustentam abastecimento de água; Sistema Sepotuba será licitado dia 01/10

publicidade

Cidades & Geral

Anvisa alerta que testes de covid não detectam anticorpo, nem eficácia das vacinas

Publicado

A Anvisa divulgou esta semana um alerta reforçando que testes de covid -19 não comprovam a proteção da vacina. A Agência lembra que estes testes não devem ser usados para medir o nível de proteção contra o coronavírus após as pessoas se vacinarem.

O alerta da Anvisa informa que os testes de identificação da covid-19 registrados no país, vendidos até em farmácia, não tem a finalidade de indicar se a pessoa está protegida do vírus. Só confirma se a pessoa foi infectada ou não. Segundo a agência, esses testes não verificam o nível de proteção que cada pessoa tem contra a doença.

A Anvisa reforça que nenhum teste que detecta a presença de anticorpo (seja neutralizante, IGM, IGG ou outro) dão a garantia de imunidade e nem atestam qualquer nível de proteção contra a covid.

O professor da Universidade de Brasília, Wender Silva diz que, como estes testes não identificam a presença da proteína do coronavírus que a vacina combate, não conseguem medir a eficácia dos imunizantes. O professor Wender Silva reforça que, uma vez aprovadas, não é necessário se preocupar se as vacinas são eficazes e seguras.

Leia mais:  Anel Viário recebe paliativo com solo-cimento; Trabalho é realizado em parceria com associação

A Anvisa ainda alerta que não existe, até o momento, estudos indicam a quantidade de anticorpos neutralizantes necessária para garantir a proteção contra a covid-19. Esses anticorpos são os que evitam a entrada e multiplicação do coronavírus. E que também é preciso desenvolver outras pesquisas científicas para avaliar qual o grau de proteção é necessário contra a doença.

Para a Agência, ainda é preciso adotar as medidas preventivas contra o coronavírus, com uso de máscaras, higienização das mãos e o distanciamento social, mesmo após a vacinação.

(Agência Brasil)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana