conecte-se conosco


Cidades & Geral

Por mudança de sistema, serviços oferecidos pela Jucemat ficarão indisponíveis até a próxima quarta-feira

Publicado

A Junta Comercial de Mato Grosso (Jucemat) informa que até 30 de setembro (quarta-feira) estarão indisponíveis todos os serviços oferecidos pela Junta, entre eles a abertura de empresas, alteração cadastral, licenciamento e emissão de certidão.

Durante ao período haverá a migração do banco de dados da Jucemat, com o objetivo de possibilitar uma maior capacidade de armazenamento de informações, e suporte aos serviços digitais ofertados. A migração já ocorre desde as 18h da última sexta-feira (25) e seguirá até às 8h do dia 30, no horário de Mato Grosso.

Também não estará funcionando o principal canal de atendimento da autarquia, que é o chat on-line pelo site da Jucemat. A ferramenta é utilizada para atendimento direto ao cidadão, contadores e empresários. No período também não haverá análise de processos abertos, nem a possibilidade de protocolização de novos pedidos.

Com a indisponibilidade do banco de dados, a Secretaria de Estrado de Fazenda (Sefaz) informa que o seu sistema integrado à Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), também estará inoperante no período. Com isso não será possível realizar aberturas de novas inscrições estaduais e inclusão ou alteração de dados no cadastro de contribuintes.

Leia mais:  Horário de verão: Mudança do perfil de consumo motiva descarte da medida pelo governo

Aqueles que desejarem abrir uma empresa no estado e, por consequência, uma inscrição estadual deverão fazer a solicitação após o dia 30 de setembro. O mesmo se aplica aos que precisarem promover ajustes em seus cadastros.

A integração do banco de dados da Sefaz à Redesim teve início em 2015 com o objetivo de possibilitar uma única porta de entrada para o cadastro e alteração do contribuinte, pessoa jurídica, evitando divergências cadastrais.

publicidade

Cidades & Geral

Dia de Feira: Rica em água e complexo B, melancia é boa pedida para qualquer hora

Publicado

Quarta-feira, como de costume, é dia de feira em Tangará da Serra. A Feira do Produtor do Centro começa a atender a partir das 06h00, oferecendo o melhor da agricultura familiar.

No setor de hortifrutis, a Feira oferece grande variedade e fartura, com qualidade reconhecida e preços populares.

Nesta época do ano, a melancia é um dos destaques na Feira do Centro. Fruta rasteira em razão do seu peso e tamanho, a melancia é originária da África e é da mesma família do pepino, da abóbora e do melão.

Além do alto teor de água, a melancia contém açúcar, vitaminas do complexo B e sais minerais.

A polpa vermelha, doce, com alto de teor de água, é uma divertida e aprazível alternativa alimentar, ao natural ou na forma de suco, para qualquer hora do dia. Vai bem no café da manhã, no almoço, no lanche da tarde, ou à noite. “Difícil encontrar alguém que não goste de melancia”, observa o presidente da Associação dos Feirantes, Valdeci Ferraz Aquino.

Leia mais:  Esquema de sonegação com empresas fantasmas já lesou cofres públicos em R$ 23 milhões

Além do alto teor de água, a melancia contém açúcar, vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

Quem vende?

É fácil encontrar a melancia na Feira do Centro. No interior do maior mercado público de Mato Grosso, com uma rápida olhada é possível detectar a presença do grande fruto.

No box 59-C, do Roberto, a fruta ofertada é produzida na região do Joaquim do Boche. Já no box 53-C, Luiz Carlos oferece frutos que vem do Rio grande do Sul. Nos boxes 19 e 20-C, Leonilda oferece melancia vinda de São Paulo, Goiás e Tocantins, enquanto Dª Zeti, que é da região do Vale do Sol, comercializa o alimento no box 30-A.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana