conecte-se conosco


Cidades & Geral

Para enfrentar estiagem, município decreta emergência com medidas a partir do dia 1º

Publicado

Antevendo uma a estiagem severa que se já se anuncia com a interrupção abrupta das chuvas já no mês de maio, o poder público municipal editou o Decreto 264/2021, que impõe ‘situação de emergência’ em Tangará da Serra.

O decreto, anunciado na manhã desta quarta-feira (16) pelo prefeito Vander Masson (PSDB) e pelo diretor do SAMAE, Heliton Luiz de Oliveira, (foto acima) prevê medidas de prevenção ao desperdício/ perdas e estabelece normas para o consumo racional de água.

Também ficam dispensados os processos licitatórios para aquisição de produtos/materiais e serviços a serem empregados no enfrentamento à estiagem.

As medidas valem, efetivamente, a partir de 01 de julho, vedando as seguintes práticas:

– Irrigação na bacia do Queima Pé à montante (acima) da ETA;

– Retenção/represamento de água dos leitos da bacia do Queima Pé;

– Irrigação de jardins particulares com água do sistema de abastecimento público (permitido com água de reuso);

– Lavagem de veículos com mangueiras e molhagem de ruas (permitido com água de reuso);

Leia mais:  Dengue em Tangará da Serra: Com 915 registros até abril, doença tem 4 vezes mais casos em 2022

– Lavagem de calçadas externas;

– Despejo em vias públicas de água de filtragem de piscinas;

– Outras formas de desperdício.

()*) Abaixo, link com íntegra do Decreto 264/2021:

https://tangaradaserra.mt.gov.br/site/wp-content/uploads/2021/06/264-declara-situacao-de-emergencia-escassez-hidrica-no-municipio.pdf

 

publicidade

Cidades & Geral

Após 52 dias em greve, médicos peritos do INSS retornam com até 12 atendimentos cada

Publicado

Após firmarem acordo com o governo federal, os médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) encerraram a greve, que durou quase dois meses, e retomaram os atendimentos já nesta segunda-feira (23).

A categoria se comprometeu a repor os 52 dias parados e a trabalhar para reduzir o estoque de perícias não realizadas durante a paralisação.

O anúncio do fim da greve foi feito após reunião entre o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, e a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais, na última sexta-feira (20).

A categoria comemorou o acordo que resultou no atendimento de 18 itens da pauta de reivindicações.

Em transmissão pela internet, o vice-presidente da associação, Francisco Eduardo Cardoso Alves, explicou o que ficou acertado em relação ao reajuste salarial:

“A questão do aumento tem uma condicionante: se o governo for dar aumento linear para todas as carreiras do serviço público federal, sem nenhuma exceção, a gente, obviamente, vai entrar nesse aumento linear. Porém, se o governo quiser privilegiar uma ou outra carreira, que seja, automaticamente nós vamos entrar nos 19,9% [de reajuste]”.

Leia mais:  Bandidos roubam quase 200 toneladas de soja no Chapadão; Prejuízo passa de R$ 500 mil

Atendimento

Para reduzir a fila de exames periciais agendados, foi definida a realização de até 12 atendimentos diários por profissional. No entanto, de acordo com lei de 2019, os médicos que ultrapassarem essa quantidade, vão receber R$ 61,72 por perícia extraordinária.

Os servidores terão 8 meses para compensar os dias não trabalhados de modo presencial ou remoto.

(Agência Brasil)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana