conecte-se conosco

Saúde Pública

Pandemia: Secretário prevê MT em colapso em 15 dias; Ministro fala com municípios sobre vacinação

Publicado

O secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo (foto acima), disse nesta quinta-feira (14) que o Estado vive uma situação dramática por conta da segunda onda da covid-19 e que dentro de 15 dias as Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) entrarão em colapso por conta do contágio que deve ficar fora de controle.

Segundo Gilberto, em menos de 12 horas, o percentual de ocupação de UTI no estado saiu de 63% para 66%. “Nessa tendência de aumento de 3% ao dia, em 15 dias, nós não teremos UTI disponível. Só isso já assegura que não há possibilidade de retorno presencial das aulas”.

Avanço

O avanço da pandemia está deixando as autoridades em situação difícil e causa tensão no mundo político. Mato Grosso registrou, em apenas 72 horas, 4.754 novos casos de covid-19, causando 43 mortes, números divulgados nessa quarta-feira (13).

Em Tangará da Serra, boletim desta quinta-feira aponta para aponta para 8.680 casos acumulados desde o início da pandemia. Os casos ativos no município somam 183, além de um total de 119 óbitos, sendo 17 fatalidades somente neste mês de janeiro. (Veja boletim desta quinta-feira, ao final do texto)

Leia mais:  Coronavírus leva à suspensão de aulas, eventos, atividades privadas e eleições suplementares

Pazuello e a vacina

Ministro Interino da Saúde, Eduardo Pazuello: Vacina ainda em janeiro.

Em reunião virtual com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) nesta quinta-feira, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou a prefeitos que a vacinação contra a Covid-19 deve começar no próximo dia 20. A data já era apontada pelo governo federal como o cenário “mais otimista” para abrir a campanha de imunização.

O ministro repetiu aos presentes que 8 milhões de doses de vacinas devem estar disponíveis em janeiro, sendo 2 milhões do modelo de Oxford/AstraZeneca e 6 milhões da Coronavac. Estes imunizantes serão entregues no Brasil pela Fiocruz e pelo Instituto Butantan, respectivamente.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidirá no domingo se libera ou não o uso emergencial destes dois imunizantes. Após este aval, as doses já poderão ser aplicadas na população.

Pazuello disse aos prefeitos que as doses da vacina de Oxford/AstraZeneca devem chegar aos Estados na segunda-feira, 18. Um avião sairá na noite desta quinta-feira, do Brasil para buscar as doses na Índia. A previsão de retorno é no próximo sábado, dia 16. Antes do aval da Anvisa, porém, as doses devem ficar sob cuidados da Fiocruz.

Leia mais:  Ministério da Saúde não divulga casos de cura do COVID-19; Tamanho da pandemia é incógnita

Governador e a vacina

O governador Mauro Mendes afirmou que o Estado de Mato Grosso está devidamente preparado para “receber, fazer a logística e distribuir a vacina” contra a covid-19, que deverá ser recebida do Governo Federal.

Mauro: . “Previsão é que até o final do mês inicie a distribuição das vacinas”.

“Estamos preparados para receber, fazer a logística e distribuir aos municípios. Temos mais de 3 milhões de seringas no estoque da secretaria e já fizemos licitação e compramos mais”, disse, nesta quinta-feira, em entrevista à imprensa.

O gestor relatou que chegou a tentar adquirir vacinas, a exemplo da Pfizer e da desenvolvida pelo Butantan, mas ambas só estão sendo negociadas com a União. “O Plano Nacional de Imunização é coordenado pelo Governo Federal. A vacina do Butantan foi totalmente reservada pelo Governo Federal. Eu tentei comprar a vacina Pfizer, mas a empresa informou que só trata da vacina com o governo federal. A Pfizer me respondeu oficialmente, por meio de seu diretor. A previsão é que até o final do mês inicie a distribuição das vacinas”, afirmou.

Conforme o governador, a logística da vacinação seguirá o Plano Nacional de Imunização, ou seja, priorizando os profissionais de saúde, grupos de risco e, após, toda a população.

 

publicidade

Saúde Pública

Vacinas: Mendes e outros oito governadores querem ajuda americana para compra direta

Publicado

O governador Mauro Mendes pediu o auxílio do embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, para que Mato Grosso e os oito estados que compõem a Amazônia Legal possam fazer a aquisição direta de vacinas contra a covid-19.

O pedido foi feito na manhã desta sexta-feira (05.03), durante reunião do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal com o embaixador. Também endossaram a solicitação os governadores Gladson Cameli (Acre), Waldez Góez (Amapá), Wilson Lima (Amazonas), Flávio Dino (Maranhão), Helder Barbalho (Pará), Marcos Rocha (Rondônia), Antonio Denarium (Roraima) e Mauro Carlesse (Tocantins).

“Nós vimos com muita boa vontade quando vosso presidente anunciou que até maio pretende atingir a vacinação de grande parte de sua população. Vocês têm grandes laboratórios, grande capacidade de produzir. Queremos pedir a sua ajuda, enquanto embaixador, junto ao governo americano, para que ele possa negociar conosco, com o Consórcio da Amazônia Legal – que presta serviços importantes na área ambiental ao planeta – uma quantidade expressiva de vacinas que nós queremos comprar. E aí o governo americano, atingindo a meta de vacinação, possa nos auxiliar a comprar essas vacinas para atender a parte dos brasileiros que vivem aqui na Amazônia Legal”, solicitou Mauro Mendes.

Pedido foi feito diretamente ao embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

O chefe do Executivo de Mato Grosso ressaltou que os estados que compõem o consórcio fazem um grande trabalho para a preservação ambiental e o desenvolvimento sustentável não só do Brasil, mas de todo o mundo – bandeira que tem sido defendida pelo atual presidente americano, Joe Biden.

Leia mais:  Covid-19: Logística para distribuição das vacinas no MT terá aparato de segurança e 14 polos de distribuição

“O senhor deixou muito claro que vai ter um diálogo com o Governo Federal, mas também com os governos estaduais. Os 9 estados amazônicos têm o maior ativo ambiental desse país e um dos maiores ativos ambientais do planeta. A floresta amazônica que nós temos aqui é um patrimônio do nosso país e presta grandes serviço ao planeta e a toda a humanidade. Nós queríamos pedir um gesto de boa vontade dos EUA nessa questão da pandemia”, destacou.

O embaixador Todd Chapman respondeu que irá auxiliar os estados a estreitar o relacionamento com o governo americano para possibilitar essas aquisições.

“Nós estamos completamente abertos para oferecer as melhores vacinas do mundo, com as melhores tecnologias que existe. Queremos trabalhar com vocês e cumprir com as normas legais do país. Entendo que essa é a prioridade número 1 dos governadores é a saúde de sua gente”, declarou.

Desde o ano passado, o governador Mauro Mendes tem buscado comprar vacinas de forma direta para Mato Grosso, tendo conversado com os institutos e empresas que fabricam imunizantes em todo o mundo, mas por enquanto só há negociação com governos federais. Nesta semana, o gestor visitou a fábrica da vacina russa Sputnik V.

Leia mais:  Covid-19: Com 6.985 casos confirmados, Tangará da Serra soma 175 casos ativos e 91 óbitos

O gestor também tem buscado as vias diplomáticas, mantendo conversas com a embaixada da China e com o Instituto Sociocultural Brasil-China (Ibrachina).

(Assessoria SES-MT)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana