conecte-se conosco


Infraestrutura & Logística

Obras autorizadas na 358, no Chapadão, consolidam uma solução para os gargalos logísticos do MT

Publicado

A autorização para pavimentação da MT-358, trecho Itanorte-Chapadão do Rio Verde atesta o acerto de uma modalidade que tem se apresentado como solução eficiente para obras estruturantes: as parcerias público-privadas (PPPs).

Ao firmar convênio com associações de produtores, o governo soluciona problemas de infraestrutura que representam grandes gargalos logísticos. Afinal, estradas não pavimentadas representam entraves que comprometem o escoamento e, assim, refletem diretamente nos custos de produção. “É uma fórmula inteligente, que proporciona ao governo solucionar estes gargalos através de uma parceria com entidades confiáveis, de credibilidade, que são as associações de produtores”, observa o superintendente da Associação Rio Verde, Edilson Sampaio, que estará à frente dos trabalhos na MT-358.

Governador e membros da Associação Rio Verde: Convênio e solução de gargalo logístico.

Em Tangará da Serra, as obras de pavimentação no alto do Chapadão do Rio Verde, na divisa com Campo Novo do Parecis, se converterá no quarto êxito das PPPs, que consistem em convênio entre governo do Estado e associações de produtores.

Prazos

A autorização assinada na última sexta-feira (13) pelo governador Mauro Mendes é o ‘start’ para pavimentação do primeiro lote, de 23,6 quilômetros de um trecho ainda não pavimentado de 130 quilômetros da MT-358, até o entroncamento com a MT-388, na direção oeste do estado. Serão dois anos para conclusão, contando o segundo lote, de 31 km, a ser autorizado pelo governo até 2023. A previsão para pavimentação do trajeto total – de 130 km – é de quatro anos.

Edílson Sampaio: “Essa é a nossa proposta para atender uma região que produz em escala e assegurar uma logística de transportes adequada”.

Antes do convênio com a Associação Rio Verde, o governo do Estado já havia firmado na região parcerias para manutenção da MT-480 (Associação de Produtores das Rodovias MT-480 e MT-339, entre Tangará da Serra e Deciolândia) e para pavimentação da MT-339 (mesma associação, na rodovia que liga Tangará a Panorama, no oeste do estado) e da MT-240 (Associação dos Produtores da Rodovia MT-240, entre Tangará e Santo Afonso). Estas duas últimas rodovias estão com obras em andamento. “Aos poucos estamos incrementando nossa malha rodoviária regional com asfalto de boa qualidade e manutenção permanente. Essa é a nossa proposta para atender uma região que produz em escala e assegurar uma logística de transportes adequada, com a classe produtora participando destas ações”, destaca Edilson Sampaio, que coordena os quatro trabalhos.

Leia mais:  Logística: Consema emite Licença Prévia do Terminal Portuário Paratudal, em Cáceres

Ligação

O vice-presidente da Associação Rio Verde, Ildo Crestani, externou satisfação em ver um antigo problema sendo solucionado. “Iniciaremos com 23 quilômetros, mas precisamos dar sequência. Esta obra não pode parar, pois ela não se resume no atendimento às nossas demandas de produtor rural, mas também representará uma importante ligação para o oeste/noroeste de Mato Grosso e ao estado de Rondônia”, destacou o produtor, ao usar a palavra durante o ato de assinatura da autorização para o primeiro lote do trecho.

Já o presidente da entidade conveniada, Macleibert Formigoni, destacou a confiança do governo estadual e a perseverança dos produtores do Chapadão do Rio Verde para estabelecer o compromisso de pavimentar uma via que até alguns anos não constava no cronograma do governo. “Selamos uma união entre a boa vontade de um governo sério como o de Mauro Mendes e a força do agronegócio. Estamos felizes pela conquista e isto nos serve de motivação para seguir trabalhando e produzindo em nome da nossa região e de Mato Grosso”, afirmou.

Leia mais:  Logística: Consema emite Licença Prévia do Terminal Portuário Paratudal, em Cáceres

publicidade

Infraestrutura & Logística

Governo publica edital para licitar pavimentação da MT-426, na região da Calcário, em Tangará

Publicado

O governo do Estado publicou no início deste mês de julho o edital de abertura de certame licitatório para obras de pavimentação da MT-426, na região da Calcário Tangará/São Jorge e Fazenda Netolândia, em Tangará da Serra.

O edital (RDC 059/2022) foi publicado com data de 01 de julho e prevê, em regime diferenciado, contratação de empresa de engenharia para execução dos serviços de implantação e pavimentação de 21,36 quilômetros da MT-426, desde a entrada da empresa Calcário Tangará até o entroncamento com a MT-358, proximidades da Serra dos Parecis, e, também, 17,24 quilômetros na MT-170, a partir da bifurcação com a 426, em direção ao distrito de São Jorge. Neste trecho, o projeto inclui a substituição da ponte de madeira existente sobre o rio Formoso, naquele distrito, por uma ponte de concreto. Extensão total, portanto, é de 38,60 quilômetros, com o governo estadual executando com a conclusão prevista até final de 2024, sem necessidade de parceria com associação de produtores.  (Veja, na imagem abaixo, trajeto a ser pavimentado)

Leia mais:  Governo publica edital para licitar pavimentação da MT-426, na região da Calcário, em Tangará

O projeto, no entanto, foi custeado com recursos privados de R$ 381 mil, através da Associação dos Produtores da MT-426/170, com aprovação pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra-MT) em março deste ano.

Região produtora

Um dos articuladores das obras que serão licitadas é Edilson Sampaio, que coordena as obras de pavimentação da MT-339, como superintendente da Associação dos Produtores das Rodovias MT-480 e MT-339. Ele, que foi informado da licitação durante uma visita à Sinfra-MT na semana passada, destaca a importância da pavimentação daquela rodovia, que atende a uma região que responde por importantes atividades econômicas – como produção de calcário e pecuária. “É preciso enaltecer a proatividade do governo do Estado, que dará uma solução definitiva para um problema que se arrasta a décadas. A pavimentação vai impulsionar a economia daquela região, que sempre contribuiu em alta conta para o município e ao próprio estado”, disse.

Segundo estimativas da associação dos produtores da localidade, somente em calcário a região produziu em 2021 um total de 1,18 milhão de toneladas, o que representou cerca de 40 mil viagens de caminhões carregados, cada um, com uma média de com 30 toneladas de carga do insumo.

Leia mais:  Logística: Consema emite Licença Prévia do Terminal Portuário Paratudal, em Cáceres

Há, também, uma intensa movimentação de gado de corte na região, advinda de um grande confinamento. Segundo informações repassadas por produtores da região, a pecuária de corte movimentou, por sua vez, cerca de 15 mil cargas vivas em 2021.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana