conecte-se conosco


Saúde Pública

Nova Olímpia faz mutirão de vacinas nesta sexta; Estratégia anti-covid inclui ‘carro da vacina’

Publicado

Diante do aumento expressivo do número de casos de Covid-19 desde a virada do ano, Nova Olímpia adotou uma estratégia com múltiplas ações como forma de conter o avanço da pandemia.

Segundo o secretário de Saúde de Nova Olímpia, Junior Santi, o objetivo é oferecer aos cidadãos opções variadas de vacinação. “São dias, horários e formatos diferentes para se vacinar”, informa.

Secretário Júnior Santi: Estratégias e opções variadas para vacinação.

As estratégias incluem mutirões semanais – um deles já nesta sexta-feira (21) – e atendimento a pacientes na Unidade Mista e nas unidades básicas de saúde (UBS) Ouro Verde e Itamarati. Há, também, vacinação volante através de uma ambulância, o que já é conhecido na cidade como ‘Carro da Vacina’.

O mutirão desta sexta-feira (21) será realizado durante o dia inteiro – das 07hs às 18hs – no Salão Paroquial. As doses serão aplicadas em pacientes com mais de 12 anos que ainda não tomaram nenhuma dose e com vacinação atrasada e, ainda, para segunda dose.

Outros dois mutirões já estão confirmados. Na próxima quarta-feira (26), das 17h00 às 23h00, acontecerá o ‘Corujão da Vacina’, no Ouro Verde. Na semana subsequente, o mutirão acontecerá no sábado (05.02), também no Ouro Verde, das 07h00 às 18h00.

Já o Carro da Vacina consiste numa ambulância que trafega em toda a área urbana da cidade atendendo aos pacientes que queiram se vacinar. O veículo circula pela manhã e à tarde pelos bairros, com sonorização, chamando os cidadãos para receberem as doses. (veja vídeo a seguir)

Situação

Junior Santi avalia que o aumento da ocorrência de novos casos também é motivado pelo aumento das testagens. “Ano passado, naquela calmaria, não havia testes. Agora, em janeiro, temos um vírus mais transmissível, mas, por outro lado, aumentamos a testagem (…) Temos 50% dos pacientes testados como positivos para Covid-19”, relata o titular da pasta da Saúde.

Ainda segundo Santi, há, ainda, muitos pacientes com gripe (H3n2), que também passam pelo atendimento na Unida Mista ou nas unidades básicas, sempre com atendimento médico.

Ainda segundo o secretário, a cobertura vacinal em Nova Olímpia chega a 70% da população, considerando primeira e segunda doses e, também, a dose de reforço.

Números

Assim como em todos os municípios da região, Nova Olímpia enfrenta um ‘boom’ nos casos de Covid-19. Do dia 1º até ontem, os casos confirmados da doença saltaram de 1.728 para 2.087. Neste contingente de pacientes, há 295 casos ativos. Os óbitos em razão da Covid-19 no município somam 64.

publicidade

Saúde Pública

Com URA desativada, atendimentos Covid serão nas USFs; Pacientes de UTI serão removidos

Publicado

Os pacientes com sintomas de Covid-19 em Tangará da Serra deverão procurar as unidades de saúde da família (USFs, foto topo) para atendimento, e não mais a Unidade Respiratória Ambulatorial (URA), que funcionava no Hospital Municipal Arlete Daisy Cichetti de Brito e agora está desativada.

A medida, anunciada no início da semana pela Secretaria Municipal de Saúde, atende a portaria assinada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que revoga decreto que estava em vigor desde fevereiro de 2020. Assim, fica declarado o fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) motivada pela pandemia da Covid-19 no Brasil.

Com a desativação da URA, atendimento no Hospital Municipal volta à normalidade de antes da pandemia.

Contudo, os serviços de atendimento de casos relacionados à Covid-19 não deixarão de ocorrer. “A partir de agora os atendimentos passam a ser descentralizados, com os casos leves atendidos nas USFs e os casos mais graves na Unidade de Pronto Atendimento (UPA)”, informou à imprensa local a secretária municipal de Saúde, Gicelly Zanata.

Ainda segundo a secretária, nos casos que exigirem internação do paciente em UTI, estes serão removidos para as unidades ainda mantidas pelo Estado, na região metropolitana de Cuiabá.

A desativação das unidades exclusivas para atendimentos de casos de Covid-19 ocorre em todo o país, conforme determina a mesma portaria do Ministério da Saúde. A decisão leva em consideração, também, o número de atendimentos, que hoje é de apenas 1 a 2 casos diários, em média.

Com a desativação da URA, o atendimento no Hospital Municipal volta à normalidade de antes da pandemia. “Essa entrada do Hospital Municipal volta a ser fluxo para a entrada e saída de acompanhantes, visitas dos pacientes, marcar exames para aqueles que não estão na UPA, o eletivo”, acrescenta Gicelly Zanata.

A secretária observa, ainda, que a partir de agora outras áreas serão priorizadas. “Agora nosso foco é instalar o Centro Cirúrgico e UTI, para que nosso hospital comece a fazer cirurgias, sem precisar levar pacientes para outras cidades”, conclui.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana