conecte-se conosco


Saúde Pública

No sábado: Escalada da Covid-19 motiva dia especial de vacinação em Barra do Bugres

Publicado

A preocupação com o avanço expressivo da pandemia do novo coronavírus em Barra do Bugres levou as autoridades do município a adotarem medidas emergenciais para conter o avanço da doença.

Além das medidas de biossegurança, a administração municipal busca ampliar a imunização dos cidadãos e, assim, programou para o próximo sábado (22.01) um mutirão de vacinação.

Para esta ação – que será realizada no Ginásio de Esportes ‘Abelhão’, das 08h00 às 16h00 – o município convoca toda a população acima de 12 anos que estão com doses em atraso e que ainda não receberam nenhuma dose. Também convoca todos os vacinados entre 23 e 30 de setembro.

Números

A escalada da pandemia em Barra do Bugres revela um salto de 3.736 casos confirmados no dia 1º de janeiro para 4.445 casos até ontem (quarta, 19), conforme boletim acima.

São 709 novos casos em 19 dias, dos quais 537 estão ativos, considerando os 528 pacientes em isolamento e outros nove internados, sendo oito em enfermaria e um em UTI.

Os óbitos em razão da Covid-19 em Barra do Bugres somam 91.

Alerta

Secretária Claudia Alves pede conscientização, prevenção e vacinas à população.

A secretária de Saúde de Barra do Bugres, Claudia Alves Souza de Lima, fez alerta sobre o aumento da Covid-19, citando que a demanda no atendimento aumentou substancialmente na unidade de atendimento localizada no bairro Maracanã. A mesma unidade também recebe pacientes para testes de Influenza.

Para agravar a situação, muitos profissionais de saúde que trabalham na linha de frente contraíram o vírus, forçando a prefeitura a contratar ao menos mais seis técnicos de enfermagem para auxiliar no atendimento.

A secretária afirma que, apesar dos casos leves, o município tem muitos pacientes hospitalizados no Pronto Atendimento. Uma pessoa idosa está aguardando uma vaga na UTI em Cuiabá.

Claudia Lima adverte para que a população evite aglomerações, use máscaras faça assepsia com álcool em gel. A secretária também apela para que os munícipes procurem as unidades de Saúde para vacinação, como ocorrerá no próximo sábado, no ginásio Abelhão.

(Colaboraram: Rubens Leite e Assessoria/Barra do Bugres)

publicidade

Saúde Pública

Com URA desativada, atendimentos Covid serão nas USFs; Pacientes de UTI serão removidos

Publicado

Os pacientes com sintomas de Covid-19 em Tangará da Serra deverão procurar as unidades de saúde da família (USFs, foto topo) para atendimento, e não mais a Unidade Respiratória Ambulatorial (URA), que funcionava no Hospital Municipal Arlete Daisy Cichetti de Brito e agora está desativada.

A medida, anunciada no início da semana pela Secretaria Municipal de Saúde, atende a portaria assinada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que revoga decreto que estava em vigor desde fevereiro de 2020. Assim, fica declarado o fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) motivada pela pandemia da Covid-19 no Brasil.

Com a desativação da URA, atendimento no Hospital Municipal volta à normalidade de antes da pandemia.

Contudo, os serviços de atendimento de casos relacionados à Covid-19 não deixarão de ocorrer. “A partir de agora os atendimentos passam a ser descentralizados, com os casos leves atendidos nas USFs e os casos mais graves na Unidade de Pronto Atendimento (UPA)”, informou à imprensa local a secretária municipal de Saúde, Gicelly Zanata.

Ainda segundo a secretária, nos casos que exigirem internação do paciente em UTI, estes serão removidos para as unidades ainda mantidas pelo Estado, na região metropolitana de Cuiabá.

A desativação das unidades exclusivas para atendimentos de casos de Covid-19 ocorre em todo o país, conforme determina a mesma portaria do Ministério da Saúde. A decisão leva em consideração, também, o número de atendimentos, que hoje é de apenas 1 a 2 casos diários, em média.

Com a desativação da URA, o atendimento no Hospital Municipal volta à normalidade de antes da pandemia. “Essa entrada do Hospital Municipal volta a ser fluxo para a entrada e saída de acompanhantes, visitas dos pacientes, marcar exames para aqueles que não estão na UPA, o eletivo”, acrescenta Gicelly Zanata.

A secretária observa, ainda, que a partir de agora outras áreas serão priorizadas. “Agora nosso foco é instalar o Centro Cirúrgico e UTI, para que nosso hospital comece a fazer cirurgias, sem precisar levar pacientes para outras cidades”, conclui.

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana