conecte-se conosco


Cidades & Geral

Município projeta sistema de adução do Sepotuba e ETA ampliada operando já em 2022

Publicado

A adução de água do rio Sepotuba e a ampliação da capacidade da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Tangará da Serra representarão investimentos de cerca de R$ 31 milhões, com os dois sistemas funcionamento já em 2022.

Segundo o diretor do Samae, Heliton Luiz Oliveira, o sistema de adução do Sepotuba terá seu projeto básico concluído na próxima semana. “Com o projeto concluído, vamos licitar a tubulação e o sistema de captação”, disse, acrescentando que o valor final do investimento ficará na casa dos R$ 22 milhões, com recursos já assegurados, oriundos de superávit do próprio município.

Rio Sepotuba será fundamental para segurança hídrica de Tangará da Serra.

A previsão é que o certame licitatório seja concluído em outubro, com as obras sendo executadas num período de cinco meses. Assim, em tese, o sistema de captação e adução do Sepotuba – considerada principal solução para a segurança hídrica da cidade – estará pronto para operar em março do ano que vem.

Capacidade de tratamento

Leia mais:  Sem previsão de chuvas, meteorologia prevê calor e secura nas próximas duas semanas em Mato Grosso

Se o sistema Sepotuba é crucial para garantir a segurança hídrica em Tangará da Serra, a ampliação da capacidade de tratamento é fundamental para atender a demanda por água tratada.

A Estação de Tratamento de Água (ETA Queima Pé) opera no limite da sua capacidade – 300 litros/segundo de água tratada – para atendimento da demanda atual da cidade.

Para fazer frente ao crescente consumo da população de Tangará da Serra, a solução encontrada pelo Samae é a aquisição de uma ETA modular de aço carbono, orçada em R$ 9 milhões, para atuar conjuntamente com a estrutura atual.

ETA modular é de rápida instalação e estaria pronta para operar em poucos meses.

Segundo Heliton de Oliveira, a ETA modular seria de rápida instalação e estaria pronta para operar em poucos meses, ainda em 2022, ampliando em 375 litros/segundo a oferta de água tratada na cidade. O município passaria, então, dos atuais 300 litros/segundo para quase 700 litros/segundo de capacidade de tratamento de água. “Teríamos fôlego para atendermos praticamente uma população de 200 mil habitantes nos próximos anos”, projetou o diretor da autarquia.

Leia mais:  ATUALIZAÇÃO: Com 12 mandados, PF realiza ‘Operação Circumitus’ em Campo Novo e Cuiabá

Os recursos para aquisição da ETA modular terão origem em emenda parlamentar de bancada de R$ 16 milhões – prometida ainda em 2019 pelos deputados de Mato Grosso na Câmara Federal. Parte do valor da emenda – R$ 7 milhões – já está empenhada, segundo declarou o deputado federal Neri Geller (PP), em janeiro desse ano, em Tangará da Serra, durante encontro oficial com o prefeito Vander Masson (PSDB) e a direção do Samae.

O valor restante para aquisição da estrutura em aço carbono – R$ 2 milhões – será complementado pelo próprio Samae. (Abaixo, link da matéria sobre o empenho da emenda de R$ 7 milhões)

Tangará da Serra: Deputados asseguram emendas e convênio para ETA e Aeroporto

publicidade

Cidades & Geral

Porto Estrela: Assinada a ordem de serviço para construção de ponte sobre o Jauquara

Publicado

A ordem de serviço para as obras de uma ponte de concreto sobre o rio Jauquara, na comunidade Vão Grande, em Porto Estrela, foi assinada ontem (terça, 18) pelo prefeito Eugênio Pelachim (PSC – foto topo). As obras serão realizadas pela empresa CIBE Pré-Moldados, Concretos e Minerais, vencedora do certame licitatório realizado em dezembro do ano passado.

A construção da ponte será viabilizada através de convênio do governo de Mato Grosso, que repassou para a conta da prefeitura de Porto Estrela o valor de R$ 2.507.757,40. O município fará uma contrapartida de 51.178,77. No total, a obra custará R$ 2.558.936,17.

“Desde que assumi o meu primeiro mandato como prefeito de Porto Estrela, tenho trabalhado muito para resolver esse problema da Comunidade Vão Grande e hoje estamos vendo esse sonho se tornando uma realidade”, disse agradecendo a parceria do governador Mauro Mendes e do vice-governador Otaviano Pivetta.

Passarela sobre o rio foi rompida no início do mês, com fortes chuvas e a alta do nível das águas do Jauquara.

A ponte de concreto, que terá uma extensão de 71,1 metros e largura de 4,5 metros – proporcionará a ligação do município com as comunidades de Vaca Morta, Baixio e Vão Grande. “Nesta época de chuva, aquela comunidade sofre muito, pois o rio enche e a passarela não suporta o volume das águas e se rompe”, observou Pelachim, destacando que, com a ponte de concreto, o problema estará solucionado. “Sabemos da importância desta obra para a comunidade e estamos felizes em atender aquelas famílias”, completou.

Leia mais:  Altos e baixos: Meteorologia prevê duas semanas de grandes oscilações de temperatura

Eugênio Pelachim destacou, ainda, que a viabilização das obras da ponte sobre o rio Jauquara também tiveram a intermediação do deputado estadual Dilmar Dal Bosco e do senador Jaime Campos, ambos do DEM, além do apoio da Câmara Municipal, através da vereadora Sula (PSC).

(Com informações de Assessoria)

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana