conecte-se conosco

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: VBP, exportações de frango, novos parceiros e entrevistas são destaque

Publicado

A edição do Momento Agrícola dessa penúltima semana de fevereiro traz várias informações relevantes para quem produz e trabalha/opera no Agro.

O programa – produzido pelo engenheiro agrônomo, produtor rural e consultor Ricardo Arioli – é veiculado pela rede de rádios do Agro e reproduzido semanalmente pelo Enfoque Business em formato de matéria jornalística com link da íntegra ao final do texto

VBP

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) brasileira deve crescer 11,8% e chegar a R$ 1,002 trilhão, segundo estimativa divulgada nesta sexta-feira pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Para a agricultura, o valor projetado é de R$ 688,4 bilhões e para a pecuária é de R$ 314,5 bilhões. O acréscimo em relação a 2020 foi de 15,2% nas lavouras e 5,1% na pecuária.

O coordenador da pesquisa do VBP e coordenador geral de avaliação de Políticas e Informação do Mapa, José Garcia Gasques, entende que a expectativa do resultado se deve a dois fatores. O primeiro são os preços agrícolas favoráveis para grande parte dos produtos. O segundo são as boas previsões para a safra.

Soja é a principal commodity da produção brasileira.

Os cinco produtos que lideram o VBP são soja, milho, cana-de-açúcar e algodão, que representam 83,3% do VBP das lavouras.

Ricardo Arioli destaca, porém, que a geração de riquezas do Agro se dá apesar das pressões ambientais. O produtor rural brasileiro é o que mais preserva e é obrigado a ter reserva ambiental em sua propriedade. Vale a pena ouvir as considerações de Arioli a respeito.

Leia mais:  Em sua 14ª edição, Torneio Leiteiro movimenta produtores na Exposerra

Frango nas Arábias

As exportações brasileiras de carne de frango caíram no primeiro mês deste ano, mas alguns dos principais destinos do produto no mercado árabe aumentaram as importações.

Dados divulgados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) mostram que a Arábia Saudita comprou 35,8 mil toneladas, totalizando US$ 58,5 milhões, altas de 2% e 4% respectivamente sobre janeiro do ano passado.

Oriente Médio comprou mais carne de frango do Brasil em janeiro.

Os sauditas foram o maior importador de carne de frango do Brasil em janeiro entre os países árabes. Os Emirados Árabes Unidos ocuparam a segunda posição no ranking e adquiriram 21,7 mil toneladas, que somaram US$ 32,8 milhões. Houve alta de 3% em volume, apesar da queda de 2% em receita.

Em seguida apareceram Iêmen, Kuwait e Omã como compradores árabes do frango brasileiro. O Iêmen se destacou com altas de 6% em volume (9,6 mil toneladas) e de 10,7% em receita (US$ 13,9 milhões). O Kuwait apresentou uma queda brusca nos embarques, de 38% em volume (5,9 mil toneladas) e de 35% em receita (US$ 9,5 milhões). Omã apresentou alta de 8,9% em volume (5,6 mil toneladas) e de 1,5% em receita (US$ 8,3 milhões).

Leia mais:  Agricultura familiar: Sustentabilidade e comercialização serão temas de minicurso virtual promovido pela Unemat

Novos negócios

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou a abertura de mais três mercados para produtos brasileiros. O Camboja vai passar a comprar carne suína do Brasil. A abertura é válida para cortes in natura e processados de carne suína de indústrias habilitadas pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Brasil. O Chile liberou a compra de ovos SPF (Specific Pathogen Free, na sigla em inglês), que são livres de patógenos específicos do Brasil. A Colômbia, por sua vez, confirmou a abertura para importar sementes de arroz brasileiras.

Outras

O Momento Agrícola também traz informações sobre um estudo norte-americano sobre as influências do uso de tecnologias de agricultura de precisão.

A 12ª Jornada Técnica da Agrodinâmica, tradicional evento do Agro na região do Chapadão dos Parecis, é outro destaque. O evento, que aborda a safra de soja, será realizado de forma virtual, no próximo sábado (27), a partir das 07 horas. Os palestrantes são Valtemir Carlin, agrônomo, pesquisador e proprietário da Agrodinâmica; o pesquisador Leandro Zancanaro, da Fundação MT, e o também pesquisador Evandro Fagan, da Unipam.

Nos blocos seguintes, o Momento Agrícola traz entrevistas com os temas ‘Um novo Fundo para financiar o Agro, o FIAGRO’, com João Henrique Hummel, Executivo da FPA; ‘Instituto Pensar Agro sob nova presidência’, com Nilson Leitão, e ‘O Zoneamento Sócio Econômico Ecológico de MT está de volta’, com Normando Corral, presidente da FAMATO.

publicidade

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Caminhoneiros, frete menor e leite de baixo carbono estão entre os destaques

Publicado

A primeira edição de março de 2021 do Momento Agrícola traz, como já é tradição, informações e abordagens relevantes sobre o agronegócio. De autoria do produtor rural, agrônomo e consultor Ricardo Arioli, o programa é veiculado aos sábados pela Rede de Rádios do Agro e repercutido em forma de notícias e com o link do Soundcloud (ao final do texto) pelo Enfoque Business, também aos finais de semana.

Insatisfação dos caminhoneiros

Acabou não acontecendo a greve dos caminhoneiros que chegou a ser programada para o início de fevereiro. Mas, os últimos reajustes dos combustíveis sopraram a brasa dos debates entre a categoria dos transportadores. E o governo está preocupado.

Os caminhoneiros têm muita força no país, pois se paralisam as atividades, a economia sofre um forte baque. A categoria influenciou na troca de comando da Petrobras e, também, viu um reajuste de 16% na tabela de frete determinado pena Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Mas, quando se trata de mercado livre, a demanda sempre fala mais alto. As commodities subiram e o atraso na colheita refletiu no movimento dos portos e nas indústrias. Esta conjuntura fez o frete subir mais que os 16% autorizados pelo órgão regulador.

Ricardo Arioli avalia com muita propriedade essa questão logo no início do primeiro bloco do programa.

Frete mais barato

A utilização dos portos do Arco Norte como rotas de escoamento da soja pode representar uma economia de até 35% no valor do frete. A redução desse custo ocorre quando se faz a opção pelas rotas marítimas do Oceano Pacífico.

Leia mais:  Governo anuncia descoberta de novos depósitos de potássio para uso na agricultura

A avaliação é da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que divulgou, semana passada, o Boletim Logístico referente ao mês de fevereiro. A diferença foi constatada mesmo levando-se em conta a tarifa de utilização do Canal do Panamá.

Entretanto, para atingir esse índice de redução é preciso algumas melhorias na infraestrutura para adequar a realidade portuária brasileira a essas oportunidades.

O Momento Agrícola, logo no início, aborda o assunto.

Leite de baixo carbono

Outro tema explorado no programa é primeiro protocolo nacional para pecuária de leite de baixo carbono assinado entre Nestlé e Embrapa. Em nota, as empresas informam que a iniciativa envolve o desenvolvimento de guias e materiais com orientações para os produtores, além de uma calculadora que mostrará o balanço de carbono equivalente de cada uma das propriedades leiteiras.

O protocolo vai avaliar questões como manejo do solo, transporte, manejo e alimentação dos animais, manejo dos dejetos, entre outros.

Ainda neste ano, as empresas devem lançar um projeto piloto para desenvolver as primeiras fazendas de leite NETZERO no País. De acordo com a Nestlé, a iniciativa integra a meta global da companhia de neutralizar todas as emissões de suas operações, incluindo suas cadeias de fornecimento, até 2050, com metas de redução de 20% até 2025 e de 50% até 2030.

Outras

O Momento Agrícola deste final de semana tem outras atrações, como a análise da divulgação do PIB 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Neste levantamento, o órgão aponta que a agropecuária é o único setor que apresentou alta.

Leia mais:  IBGE prevê safra 1,9% maior em 2021, com 256 milhões de toneladas; Mato Grosso lidera

Ricardo Arioli também destaca no programa a interferência das chuvas na colheita da soja em vários pontos da região Centro Oeste. “Por consequência, o plantio do milho está bem atrasado também”, observa o agrônomo e apresentador do Momento Agrícola, no primeiro bloco.

Por sinal, o Brasil precisa de uma boa safra de milho para atender a uma demanda interna de aumento da produção de carnes de frango e suíno. Este foi o tema central de uma reunião convocada pela ministra Tereza Cristina, titular do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Na condição de presidente da Comissão de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Ricardo Arioli participou de reunião e traz, ainda no primeiro bloco do Momento Agrícola, informações importantes sobre o assunto.

Entrevistas

As tradicionais entrevistas do Momento Agrícola também são atração nesta edição do programa. Nos blocos demais blocos, Arioli conversa com Eduardo Caldas, da TFA, sobre ‘Um Piloto de Pagamento por Serviços Ambientais’.

Na sequência, a entrevista é com Daniel Latorraca, com o tema ‘Tudo atrasado! Os números do IMEA sobre a Colheita da Soja e o Plantio do Milho’.

Concluindo o programa deste final de semana, a entrevista é com a jornalista Kellen Severo, sobre a comunicação do Agro.

 

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana