conecte-se conosco

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Reação na Argentina, aumento de impostos e entrevistas são destaques

Publicado

A segunda edição do Momento Agrícola de 2021 traz, como de costume, informações relevantes sobre o agronegócio. De autoria do produtor rural, agrônomo e consultor Ricardo Arioli, o programa é veiculado aos sábados pela Rede de Rádios do Agro e repercutido em forma de notícias e com o link do Soundcloud pelo Enfoque Business, também aos finais de semana.

Reação na Argentina

Depois da suspensão das exportações de milho pelo governo argentino para garantir o abastecimento do mercado interno, os produtores rurais do país vizinho reagiram.

Diversas entidades vendedoras de milho da Argentina decidiram paralisar suas atividades em protesto contra a decisão do governo Alberto Fernandez de proibir a exportação do cereal nos meses de janeiro e fevereiro de 2021. O movimento pode ainda ganhar o apoio da chamada “Mesa de Enlace”, uma organização que reúne as principais federações do agronegócio do país vizinho.

Isso acontece depois de encerrada a greve portuária na Argentina e contornada uma greve dos rebocadores. Surge agora a ameaça de uma greve dos vendedores de milho. De acordo com a equipe de analistas da Consultoria TF Agroeconômica, “tudo isso faz subir ainda mais as cotações da Bolsa de Chicago (CBOT) e os prêmios do milho no Brasil também”.

Leia mais:  Momento Agrícola: Multa bilionária e insatisfação deixam Aprosoja-MT em risco; Ex-presidentes notificam diretoria

O Momento Agrícola aborda esta situação vivenciada na Argentina, com comentários pontuais de Ricardo Arioli.

Aumento de impostos

Tratoraço em São Paulo mostra descontentamento com majoração do ICMS (Foto: NaçãoAgro)

Outra abordagem do Momento Agrícola ratifica a abominação dos brasileiros em relação ao aumento de impostos.

Na última quinta-feira, o país assistiu a um ‘tratoraço’, em São Paulo, contra a decisão do governo paulista de aumentar as alíquotas do ICMS sobre os insumos agrícolas, energia elétrica e combustíveis.

A majoração das alíquotas perpetrada pelo governo João Dória representa aumento dos custos de produção não só em São Paulo, mas em todo o Brasil, já que a maioria das indústrias estão estabelecidas em território paulista.

A manifestação de produtores rurais, sindicatos, cooperativas e agroindústrias, reivindicou fortemente que o aumento no ICMS paulista fosse revisto.

Fethab e Funrural

Em se tratando de aumento de impostos, em Mato Grosso o aumento do Fundo Especial para Transporte e Habitação – Fethab – em mais de 20% por conta do reajuste da Unidade Padrão Fiscal (UPF) é motivo de descontentamento da classe produtora.

Entidades do agronegócio e políticos querem uma revisão do Fundo Estadual para o Transporte e Habitação (Fethab) no Mato Grosso. No último ano a cobrança que incide sobre a comercialização de commodities no Estado ficou 24% maior após as alterações propostas pelo executivo.

Leia mais:  Lesma causa prejuízo em lavouras de soja de Sapezal

A UPF, hoje no valor de R$ 181,98, é utilizada como base para os cálculos de algumas contribuições do estado, entre elas o Fethab e o Facs (Fundo de Apoio à Cultura da Soja).

Ricardo Arioli considera, no Momento Agrícola, que a classe produtora poderá se manifestar sobre o assunto, já que é geral o desagrado com a majoração.

Arioli também destaca que a partir deste mês de janeiro o produtor rural poderá optar por calcular o FUNRURAL baseado na folha de pagamento da fazenda, ou continuar na forma tradicional, recolhendo sobre as vendas da produção.

Outras

O Momento Agrícola traz, nesta edição, informações sobre as cotações do boi gordo e, também, um estudo do Centro de Estudos e Pesquisas da Economia Aplicada – CEPEA, ligado à ESALQ – sobre a população ocupada no agronegócio.

Nos blocos seguintes, Arioli traz entrevistas sobre a ‘Feira Dinetec 2021 do Vale do Araguaia’, com Diego Sichocki, da Meta Consultoria; ‘A Piscicultura em 2020’, com Francisco Medeiros, da PeixeBR; e ‘O Cooperativismo de Crédito em 2020’, com João Spenthof, do Sicredi Central.

Para ouvir o Momento Agrícola na íntegra, clique abaixo.

publicidade

Agronegócio & Produção

Momento Agrícola: Crime de baderna, congelamento na Argentina e entrevistas são destaque

Publicado

Os atos de vandalismo contra uma entidade do Agro, as medidas para combate à inflação da vizinha Argentina, a tributação sobre os combustíveis e outros assuntos são os destaques do Momento Agrícola deste sábado.

O programa é produzido e apresentado pelo produtor rural, engenheiro agrônomo e consultor Ricardo Arioli e transmitido pela rede de rádios do agro aos sábados. É, também, repercutido em formato de matéria jornalística pelo Enfoque Business, com o link da Soundcloud ao final do texto.

Baderna e afronta

O primeiro assunto abordado pelo Momento Agrícola foi a baderna promovida pela Via Campesina e pelo MST na sede da Aprosoja, em Brasília, na manhã da última quinta-feira (14).

Cerca de 50 integrantes da Via Campesina invadiram a sede da Associação Brasileira dos Produtores de Soja, na capital federal, e picharam a fachada e paredes internas. A direção da entidade ligada ao Agro lamentou os atos de vandalismo e considerou uma afronta ao Estado Democrático de Direito.

Baderna da Via Campesina e do MST será investigada pela Polícia.

Segundo informações repassadas à imprensa pelos vândalos ligados à Via Campesina, a depredação foi motivada pelo veto do presidente Jair Bolsonaro ao projeto de lei 823/2021 (PL Assis Carvalho). Ainda conforme a imprensa nacional, a Via Campesina alega que a proposta do projeto consiste numa iniciativa dos movimentos populares do campo para garantir a segurança alimentar e subsídios na agricultura familiar.

Leia mais:  Com alta produção e demanda externa, Agronegócio ajudou a segurar PIB durante a pandemia, diz ministra Tereza Cristina

Ricardo Arioli faz um comentário sobre o lamentável episódio de vandalismo ocorrido na capital federal.

Congelamento na Argentina

O governo da Argentina congelou os preços de 1.245 produtos de consumo em massa por 90 dias para tentar controlar a inflação. O secretário de Comércio, Roberto Feletti, pediu que as empresas enviem as tabelas de preços válidas até dia 1º de outubro.

Os preços permanecerão inalterados aos consumidores até 7 de janeiro, numa medida clara do governo para buscar a estabilização dos preços.

O Momento Agrícola comenta o assunto relacionado ao país vizinho.

Outras

Outra notícia comentada nesta edição do Momento Agrícola é a unificação das alíquotas do ICMS sobre os combustíveis nos estados, através de projeto de lei aprovado pela Câmara Federal e que, agora, está sob apreciação no Senado.

O decreto do MAPA para simplificação dos processos de pesquisa, análise e registro comercial de defensivos agrícolas é outra abordagem do Momento Agrícola, assim como as entrevistas.

No segundo bloco, o entrevistado é César Borges, do Instituto da Soja Livre. Na sequência, o tema abordado é “O ritmo de plantio e da entrega de insumos em Mato Grosso”. Concluindo o programa, Ricardo Arioli discorre sobre “A Crise dos Insumos”.

Leia mais:  Menos de 2% dos imóveis rurais inscritos no CAR em Mato Grosso estão regulares

Para ouvir o Momento Agrícola na íntegra, clique abaixo:

 

Continue lendo

Envie sua sugestão

Clique no botão abaixo e envie sua sugestão para nossa equipe de redação
SUGESTÃO

Empresas & Produtos

Economia & Mercado

Contábil & Tributário

Governo & Legislação

Profissionais & Tecnologias

Mais Lidas da Semana